melhor-remedio

O mês de janeiro está terminando com o pior desempenho da Bovespa em quase trinta anos (desde a queda 1987) para o mês. Esse desempenho encontra razões na conjuntura internacional, mas, sobretudo, no cenário local. E note que foi mês de recesso no Congresso Nacional e também no Judiciário, o que tende a reduzir questionamentos e ruídos.

Pois bem, vamos começar o 13º mês do segundo governo Dilma ainda sem conhecer as diretrizes de política econômica e as medidas que serão implementadas. Por enquanto temos somente declarações de princípio, pouco suficientes para fazer movimentar a economia. O pior é que vamos ter o retorno de todos os questionamentos anteriores sobre impeachment da presidente, afastamento do presidente da Câmara; além dos desdobramentos das operações e apurações da corrupção no país.

No segmento externo, também inúmeras preocupações com a desaceleração da economia chinesa, queda acentuada de preços em commodities com destaque para o petróleo e bancos centrais de diferentes países voltando a flexibilizar a política monetária, como forma de elevar a inflação e recuperar o crescimento econômico. Como se vê, nesse aspecto, o Brasil está na ponta inversa do mundo desenvolvido e de alguns emergentes bem estruturados.

Por tudo isso, no que tange aos seus investimentos, o melhor mesmo é seguir prudente, ousando o menos possível e privilegiando aplicações seguras em renda fixa. Caso deseje aplicar também em renda variável, busque ações de companhias mais maduras, com baixa alavancagem financeira e com boa governança corporativa e política de distribuição de resultados.