O CRI é um investimento de renda fixa. Ele costuma oferecer taxa de rentabilidade atrativa, principalmente quando possui data de vencimento longa.

Esse tipo de ativo pode ser adquirido diretamente ou através da compra de Fundos Imobiliários (FIIs) híbridos ou de papel.

Com a diminuição dos juros na economia, o CRI tem se tornado uma opção cada vez mais procurada por aqueles que desejam a segurança da renda fixa.

No entanto, esse investimento possui riscos, e as formas de garantias são diferentes de ativos como Tesouro Direto, CDB e LCI.

Portanto, antes de investir em CRI, você deve conhecer as suas características, principalmente as relacionadas ao emissor.

Do contrário, é possível ter prejuízos significativos, ou até mesmo, perder todo o capital investido.

Assim, preparamos um guia completo sobre CRI. Aqui, você vai encontrar todas as informações necessárias para fazer o seu primeiro investimento ainda hoje.

Veja o que trouxemos para você:

  • O que é um CRI?
  • Como funciona um CRI?
  • Rentabilidade dos Certificados de Recebíveis Imobiliários
  • Principais dúvidas sobre CRI
  • Qual a diferença de CRI e CRA?

Boa leitura!

 

O que é um CRI?

Qualquer empresa do setor de imóveis pode recorrer a esse tipo de captação

 

O CRI é o Certificado de Recebíveis Imobiliário. Trata-se de um título de dívida emitido por securitizadoras.

Ele pode ser entendido como um instrumento de captação financeira para o custeio do setor imobiliário.

Como funciona um CRI?

O investimento em CRI funciona como um empréstimo do seu capital a um emissor ligado ao setor imobiliário.

Em troca, você receberá o dinheiro corrigido por uma taxa de juros em uma data futura definida.

Digamos que uma rede de hotéis precisa de R$ 10 milhões para se desenvolver. Para isso, há a opção de financiamentos ou empréstimos bancários.

Porém, os custos são altos. Então, uma alternativa é emitir um CRI através das securitizadoras.

O processo de securitização necessita de garantias. Neste caso, os proprietários da rede de hotéis podem oferecer parte da estrutura para tal fim, por exemplo, 150 quartos.

Esses quartos serão convertidos em uma CCI, que é uma Cédula de Crédito Imobiliário.

A securitizadora faz uma análise e define, por exemplo, que o CRI terá taxa de 8% + IPCA com prazo de dez anos.

Os proprietários da rede de hotéis recebem o dinheiro à vista e o título de dívida será ofertado no mercado.

Assim, os investidores podem comprá-los através de instituições financeiras, como o modalmais.

Caso a rede de hotéis não cumpra com o pagamento dos 8% + IPCA ao ano ou declare falência, os proprietários do CRI ficam com os 150 quartos dados como garantia.

Basicamente, o processo de securitização para este fim depende dos objetivos do emissor e das garantias oferecidas.

Vale lembrar que o lastro do CRI só pode ser dado através de ativos imobiliários ou dinheiro, por exemplo, terrenos, escritórios ou salas comerciais.

 

Rentabilidade dos Certificados de Recebíveis Imobiliários

O seu retorno costuma ser acima de 100% do CDI

 

O rendimento do CRI é semelhante aos demais ativos de renda fixa. Basicamente, ele pode ser prefixado, pós-fixado ou híbrido.

Prefixado. No prefixado, a taxa de rentabilidade é fixa, por exemplo 9% ao ano. Então, no momento da compra, você já sabe exatamente quanto o seu dinheiro irá render até o vencimento.

Esse tipo de CRI pode ser uma boa alternativa quando os juros da economia estão baixos ou em queda.

Assim, é possível ter maior rentabilidade em relação aos demais investimentos.

 

Pós-fixado. O CRI pós-fixado possui taxa de rendimento atrelada a um índice da economia, como o CDI ou taxa Selic.

Desta forma, você receberá um percentual deste indexador, por exemplo, 180% do CDI ao ano.

O CRI pós-fixado costuma ser recomendado quando há expectativa de alta nos juros. Isso porque, se eles sobem, os rendimentos também aumentam.

 

Híbrido. Por fim, temos a rentabilidade híbrida. Ela possui duas partes: uma fixa mais um indexador, por exemplo, 10% + IPCA.

Este tipo de CRI pode ser a escolha certa para obter ganho real sobre um índice da economia.

Ele também costuma estar presente em carteiras voltadas para a aposentadoria e investimentos de longo prazo, principalmente quando oferece proteção contra a inflação (ao ser indexado ao IPCA).

Perceba que o CRI pós-fixado e o híbrido oferecem apenas uma estimativa de quanto o seu dinheiro irá render até o vencimento.

Então, o ideal é fazer um bom planejamento em relação aos seus objetivos antes de definir a sua escolha.

Além disso, a rentabilidade ainda pode ser classificada como High Grade ou High Yield. A primeira classificação consiste em um título com emissor de alta capacidade de pagamento. O CRI High Yield trata-se de um ativo com rendimento maior. Porém, com risco mais elevado.

 

Principais dúvidas sobre o CRI

A CVM é responsável por regulamentar a distribuição pública desse ativo

 

Há muitas pessoas que confundem CRI com LCI. Ambos os ativos lidam com crédito imobiliário.

Porém, a LCI é emitida pelos bancos e possui a garantia do FGC (Fundo Garantidor de Créditos) para valores de até R$ 250 mil por CPF e instituição.

Ela também pode ter garantias adicionais, como no CRI. Porém, se houver quebra do emissor, basta recorrer ao FGC e recuperar o capital investido.

Além disso, o vencimento da LCI costuma ser menor (a partir de 6 meses) e há mais opções disponíveis para investir.

Por conta disso, em momentos de juros baixos, elas podem se tornar opções menos atrativas, porque o prazo de vencimento menor implica em rentabilidade mais baixa.

Tenha em mente que, antes de investir no Certificado de Recebíveis, você deve conhecê-lo a fundo para evitar dores de cabeça no futuro.

Por isso, respondemos a seguir as principais dúvidas dos investidores quanto a este ativo.

 

Investimento mínimo em CRI

O aporte inicial em CRI costuma ser a partir de R$ 1 mil. A sua aquisição pode ser feita através de ofertas públicas ou no mercado secundário.

O primeiro consiste na compra do título diretamente do emissor. As ofertas públicas possuem prospecto e são ofertadas na Bolsa de Valores.

Já o mercado secundário compreende em adquirir um CRI de um outro investidor.

Prazo e liquidez para um CRI

O CRI possui data de vencimento entre 5 a 10 anos. No geral, é possível negociá-lo no mercado secundário, porém, há o risco de mercado devido à falta de liquidez. Por isso, não é possível garantir a venda (resgate antecipado).

Quando há a possibilidade de vendê-lo, a negociação poderá ocorrer com ágio ou deságio em relação ao valor de compra. Então, não há qualquer garantia contra prejuízos.

Isso porque o preço dele poderá será influenciado por fatores, como inflação, taxa de juros e câmbio.

O ideal é manter o CRI na carteira até o vencimento. Assim, você receberá os rendimentos e o dinheiro investido conforme o acertado na sua aquisição.

Portanto, esse título costuma ser recomendado para objetivos de longo prazo, como para alcançar a independência financeira ou comprar um imóvel.

Riscos e desvantagens do Certificados de Recebíveis Imobiliários

O principal risco do CRI é o de crédito. Caso o emissor falte com os pagamentos dos rendimentos ou quebre, você pode perder o capital investido.

Mesmo com as garantias oferecidas na securitização, o processo de recuperação do dinheiro costuma ser lento e custoso.

Uma dica para investir em CRI com mais segurança é avaliar o rating do emissor. O ideal é priorizar notas próximas de A.

Faça a análise do endividamento da empresa e a moeda dessas dívidas. Lembre-se de conferir as garantias oferecidas.

O CRI está sujeito ao risco de liquidez. Isso significa que o resgate antecipado também depende da lei da Oferta e Demanda.

Nem sempre haverá investidores interessados em comprar o seu ativo. Portanto, é fundamental se planejar e evitar utilizar esse ativo para fins como a reserva de emergência.

De maneira geral, o CRI costuma ser recomendado para investidores de perfil arrojado. Afinal, o seu risco é alto quando comparado a ativos como CDB e LC.

Outra desvantagem é que boa parte dos estoques deste ativo está disponível apenas para investidores qualificados.

 

Taxas e Imposto de Renda

O CRI é um investimento isento de imposto de renda para pessoas físicas e isento de IOF tanto para pessoas físicas quanto jurídicas. Então, se você deseja investir com boa rentabilidade e sem tributos, ele pode ser a alternativa perfeita.

 

Vantagens dos Certificados de Recebíveis Imobiliários

Além dos rendimentos atrativos, investir em CRI pode ser uma forma de diversificar a sua carteira.

Tenha em mente que colocar todos os ovos na mesma cesta aumenta os riscos e nem sempre traz os retornos esperados.

Já ao optar pela diversificação, é possível ganhar mais e diluir os fatores arriscados dos investimentos.

O CRI também pode ser vantajoso no sentido de criar um fluxo de renda previsível para a sua carteira.

O seu rendimento deverá ser pago no vencimento ou o emissor tem a opção de amortizar a dívida através de um cronograma definido.

Esse tipo de ativo ainda conta com a vantagem de que o risco de crédito depende apenas do emissor.

Caso a securitizadora do seu CRI declare falência, o fluxo de pagamentos dos rendimentos e os resgates não são afetados.

Além disso, no processo de securitização, o emissor deposita, regularmente, 30% a mais do que deveria pagar aos investidores em uma conta Escrow.

Ela funciona como um fundo de reserva. Caso a empresa esteja inadimplente, você receberá os rendimentos normalmente.

A conta Escrow também pode ser utilizada para antecipar os pagamentos do CRI. Note que ela é uma forma de deixar o investimento mais seguro.

Qual a diferença de CRI e CRA?

Ambos os setores de custeio tendem a se expandir no país pelos próximos anos

 

O CRA é o Certificado de Recebíveis do Agronegócio. Ele funciona da mesma forma que o CRI.

A diferença é que esse ativo é um empréstimo para custeio do agronegócio. Assim, as garantias oferecidas são relacionadas à área, como, por exemplo, terrenos e máquinas.

Então, na hora de escolher entre CRI e CRA, você deve seguir as dicas deste guia e analisar as características de cada um deles.

Caso o seu interesse seja investir de forma indireta no agronegócio, o CRA pode ser uma boa alternativa.

Já se você deseja emprestar dinheiro para o setor imobiliário, o CRI tende a ser a escolha certa.

De toda maneira, ambos os investimentos são realizados através de instituições financeiras, como as corretoras de valores e bancos.

O processo de investimento começa com a abertura de conta. No modalmais, o cadastro é simples e 100% gratuito.

Ao entrar na sua plataforma, você encontrará na aba Renda Fixa, todos os CRIs e CRAs disponíveis para investir.

Depois de encontrar o CRI mais adequado para a sua carteira, é só clicar em Comprar. Informe a quantidade desejada e a sua assinatura eletrônica.

Viu só como é simples fazer o seu dinheiro render de verdade com o modalmais?

Conclusão

Abra a sua conta e comece a investir agora mesmo

 

O CRI é um dos ativos de renda fixa que mais cresceu desde de que os juros começaram a cair.

De acordo com a Uqbar, em 2019, houve a emissão recorde de R$ 21,73 bilhões neste título, que representa crescimento de 138% em relação à 2018.

A instituição ainda revelou que cerca de 32% dos CRIs emitidos possuem vencimento entre 10 e 15 anos.

O aumento do prazo de investimento é um dos principais efeitos que os juros baixos trazem aos títulos de dívida.

Diante de um cenário de previsibilidade, as empresas tendem a ir ao mercado em busca de capital para financiar as suas atividades.

Para o investidor de CRI, o alongamento do vencimento pode ser uma boa alternativa para conseguir rendimento maior.

Mas, é preciso estar ciente que o risco aumenta. Então, o ideal é fazer uma análise criteriosa da empresa emissora antes de fazer qualquer aquisição.

Continue a aprender sobre investimentos com estes outros artigos do nosso blog:

 

 

Caso você não possua muita experiência no mercado, há os FIIs que investem em CRI.

Eles contam com gestão profissional que é responsável por montar e acompanhar a carteira de ativos diariamente.

Assim, os riscos de investir diretamente em CRI tendem a diminuir. Em contrapartida, os rendimentos também podem ser menores.

Então, o ideal é avaliar o seu perfil de investidor e os seus objetivos agora mesmo.

Depois disso, é só abrir a sua conta no modalmais e escolher o CRI perfeito para fazer o seu dinheiro render.

Caso ainda tenha qualquer dúvida, entre em contato com o suporte. Nossos profissionais estão preparados para ajudá-lo a tomar as melhores decisões.

 

Obrigado por ler até aqui!