Sei que o assunto é meio denso. Mas não precisa ser assim, caro leitor. Aos poucos vamos tirando esse misticismo que existe por trás desse mercado tão curioso e fascinante que são os derivativos.

De início parece tudo muito confuso. Você ouve falar em letras gregas que nem sabia que existiam. É um tal de delta pra cá, gamma pra lá, volatilidade, entre outros termos esquisitos.

Formula de Black and Sholes????? Whaaat?

Calma. Respira.

Alguns dizem que o assunto é tão antigo quanto a bíblia, como o caso de Jacob, que trabalhou por sete anos para Laban, pai de Raquel, para obter o direito de se casar com ela.

É disso que se trata. Uma opção lhe dá o direito ( e não a obrigação) de comprar ou vender determinado ativo, a determinado preço, em uma data futura.

Imagine o seguro de seu carro. Você paga uma determinado preço (prêmio), para ter o direito, caso aconteça algo com seu veículo ( sinistro, roubo, etc), de vender o carro para a seguradora a um determinado preço pré estabelecido. Isso seria o equivalente a uma opção de venda.

Opções de compra são chamadas de calls, já as opções de venda, puts.

Vamos a definição:

 

Call:  Quem compra uma opção do tipo CALL estará comprando um direito de comprar o ativo a ela atrelado (ações, dólar, boi, milho, etc) por um determinado preço, em uma determinada data. Quem compra uma opção terá o direito a decidir se irá exercer o contrato até o dia do vencimento, ou não.

Put: Quem compra uma opção do tipo PUT estará comprando um direito de vender o ativo a ela atrelado (ações, dólar, boi, milho, etc)  por um determinado preço, em uma determinada data. Quem compra uma opção terá o direito a decidir se irá exercer o contrato até o dia do vencimento, ou não.

 

Quais são os fatores que influenciam o preço de uma opção?

São 5 fatores, que combinados, determinam qual deve ser o prêmio a ser pago em uma opção:

  • O tempo até o vencimento, também conhecido como theta;
  • O preço hoje do ativo no mercado a vista;
  • A volatilidade, ou desvio padrão, ou quanto esse ativo se mexe ao longo do tempo;
  • A taxa de juros;
  • O preço de exercício, ou strike, que é o valor acordado em que o ativo será ou não negociado no futuro.

 

Foram todas essas variáveis, que Fisher Black, Robert Merton e Myron Scholes, colocaram naquela formula complicada que ficou conhecida como formula de Brack-Scholes. A fórmula foi desenvolvida na década de 70 e rendeu um prêmio Nobel aos autores.

Podemos utilizar opções de forma singular (seca), ou combinadas em forma de estratégias. Um investidor pode comprar ou vender Calls ou Puts para fins especulativos ou de hedge.

Eventualmente, alguns tentam vender opções como formulas milagrosas de enriquecimento rápido. Outros, operam de forma muito alavancada sem o conhecimento real dos riscos. Quanto mais conhecemos esse mercado, percebemos que opções são ótimos instrumentos, desde que bem utilizados, podem trazer maior eficiência para a o portfólio do investidor e inclusive diminuir riscos.

É de suma importância que o investidor tire todos suas dúvidas antes de investir, e conheça claramente o payoff de risco/retorno, sabendo exatamente seus ganhos e riscos máximos.

O modalmais conta com uma mesa de operações estruturadas a sua disposição. Qualquer dúvida entre em contato.

Leia também:

O que é Mercado de Opções e como funciona

Setup: o que são e dicas de setups matadores para operar ativos na Bolsa

Stop Loss: pare de perder dinheiro em suas operações!