Dia ainda tenso

Ontem os mercados sentiram os efeitos do Coronavírus chegando aos EUA (caso diagnosticado), enquanto a China já computa nove mortes e 440 casos identificados, com o governo agindo duro na informação das famílias. Por conta disso, os mercados cederam mais para o final da tarde e a Bovespa encerrou com queda de 1,54% e índice em 117.026 pontos.

 

Hoje mercados acionários encerrando o dia com comportamento melhor na Ásia, Europa mostrando desempenho misto, mas com viés positivo e futuros do mercado americano começando o dia com altas. Aqui seria positivo não perder o patamar de 116.000 pontos, mas os investidores vão ter que absorver anúncios sobre Petrobras.

 

Na Coreia do Sul, o PIB referente ao quarto trimestre anualizado ficou em +2,2%, enquanto em 2019 fechou com expansão de 2%. Já em Davos, o secretário do Tesouro americano Mnuchin indicou que não há prazo para a fase 2 do acordo com a China e a prioridade de 2020 passa a ser acordo com o Reino Unido. Acrescentou que se os europeus tarifarem a tecnologia americana vão fazer o mesmo com os carros importados da região.

 

O presidente Trump também anunciou que em 90 dias divulgará corte “bem grande” de impostos visando a classe média. Os Republicanos também querem que o processo de impeachment que começa a ser discutido no Senado tenha trâmite rápido. Já a safra de balanços do quarto trimestre tem destaque hoje para a J&J e Antofagasta (cobre).

 

A S&P rebaixou a classificação de risco da Argentina em moeda local para SD vindo de CCC e manteve a classificação externa de CCC-. Na sequência dos mercados no exterior, o petróleo WTI negociado em NY mostrava queda de 0,67%, com o barril cotado a US$ 57,99. O euro era transacionado em leve alta para US$ 1,109 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,76%, em queda. O ouro e a prata mostravam quedas na Comex e commodities agrícolas em altas na Bolsa de Chicago.

 

No segmento doméstico, o ministro Paulo Guedes em Davos anunciou que o Brasil aderiu ao acordo internacional de compras governamentais e mostrou para investidores 115 projetos de investimentos, no montante de R$ 320 bilhões em parceria de investimentos (PPI), incluindo 5G. Já o BNDES anunciou que pretende vender 611 milhões de ações da Petrobras que pode chegar a R$ 22,7 bilhões. Também indicou que vai pagar R$ 15 bilhões em dividendos para a União e pode antecipar ajustes com o Tesouro.

 

Já o CARF (Conselho de Recursos Fiscais) proferiu decisão desfavorável para a Petrobras referente a PIS e COFINS em importações que pode chegar a R$ 9 bilhões. A FGV anunciou que a confiança da indústria subiu 1,1 ponto em janeiro para 100,5 pontos e a utilização da capacidade instalada (NUCI) ficou em 75,1% em dezembro.

 

A expectativa para o dia é que a Bovespa tem espaço para recuperar perdas, mas o quadro ainda é pesado, dólar pode enfraquecer um pouco depois de ter atingido ontem R$ 4,21 e juros um pouco mais fracos.

 

 

Alvaro Bandeira

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais