E, para te ajudar, resolvemos falar dessa vez sobre o crédito privado.
E diferentemente do que muitos pensam, os investimentos em títulos de crédito privado terão um ano positivo.

A conclusão foi dos participantes do painel “Quais as oportunidades em crédito privado para 2021” , em evento promovido pela plataforma de investimento Modalmais

Mas quais são as aplicações de crédito privado? Algumas delas são os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs), Debêntures de Infraestrutura, Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRAs).

Porém, poucas pessoas conhecem esse tipo de e por isso as dúvidas se vale a pena ou não investir no crédito privado são comuns. Mas saiba que existem boas opções de renda fixa para quem está buscando rentabilidade.

Entenda o que é o crédito privado

Para quem não sabe, o crédito privado é um tipo de emissão de , sendo assim é ideal para quem não gosta de correr muitos riscos. Mas do que ela é feita?

De uma captação de dívida realizada por uma empresa que está buscando financiamento para um novo projeto, expansão das operações ou até para um capital de giro.

Dessa forma, ao investir em um destes títulos, você estará emprestando dinheiro para uma empresa em troca de um valor previamente acordado.

Mas vale ressaltar que diferentemente dos outros , o crédito privado têm risco maior. Porque os ativos negociados no Tesouro Direto são emitidos e garantidos pelo Governo Federal. Eles têm menor risco de crédito do país.

Enquanto isso, os ativos bancários (CDB, LCI, LCA e LC), em sua grande maioria, são garantidos pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC).

Porém, no caso dos créditos privados não têm este tipo de garantia. É claro que a empresa pode oferecer como garantia imóveis próprios, mas esta não é uma regra. Além disso, a execução da garantia não é tão simples quanto no caso do FGC.

Especialistas enxergam boas oportunidades de crédito privado em 2021

De acordo com os especialistas e participantes do painel, o prêmio em relação aos títulos públicos e isenção de imposto de renda tornam os investimentos em debêntures de infraestrutura, CRIs e CRAs atrativos.

Com isso, eles indicam ser uma boa oportunidade e enxergam com bons olhos os investimentos em créditos privados para este ano.

Segundo Ulisses Duarte Nehmi, da gestora de recursos Sparta,o ganho médio adicional dos títulos privados em relação aos títulos públicos está em um patamar de 1,8% ao ano.

Essa avaliação, inclusive, é sem considerar os benefícios adicionais da isenção de impostos. Com isso, o especialista está otimista para um bom desempenho em 2021.

Vale destacar, porém, que a crise financeira originada em função da pandemia do novo coronavírus causou uma venda generalizada dos títulos privados.

Em consequência disso, o preço do mercado caiu. Logo, acontece uma diferença de rentabilidade para os papéis públicos, que subiu. Além disso, há outro ponto positivo. Neste cenário, aconteceu uma liquidez para quem quisesse se desfazer dos investimentos na época.

Fundo de crédito privado: conheça vantagens e desvantagens

Já ouviu falar em ? É um tipo de fundo no qual as pessoas podem investir, além de ser uma parte relevante do patrimônio aplicado em títulos de renda fixa de empresas privadas.

Consiste em um título de renda fixa, como qualquer outro. com prazos variados. Seguindo as regras da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) , se um determinado fundo tem mais de 50% do patrimônio líquido reservado para esse tipo de emissor, deve levar o nome de “crédito privado”.

Conheça a seguir as vantagens e desvantagens do fundo de crédito privado para o seu momento de aplicar o dinheiro.

Vantagens

Retornos acima do mercado, acima até mesmo do CDI e de outros investimentos;

Os investidores podem contar com gestores profissionais para cuidar do dinheiro;

Quem aplica o dinheiro tem a possibilidade de diversificar, porque o fundo de crédito privado conta com diversas aplicações em renda fixa;

Liquidez do dinheiro boa para quem trabalha com CDBs, debêntures e letras financeiras.

Desvantagens

Para quem investe em títulos públicos, os riscos são maiores, o que pode ser considerado uma desvantagem para os investidores que procuram segurança;

O fundo de crédito privado não oferece nenhuma garantia, nem cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGV);

Esse tipo de investimento tem tributação do tipo “come-cotas”, cobrada a cada seis meses;

Taxas e custos de administração maiores do que os demais investimentos. Por isso, é bom ficar atento nesses quesitos, principalmente as taxas por performance.

Este conteúdo te ajudou? Então deixe a sua opinião sobre créditos privados e compartilhe o artigo com outras pessoas que precisam saber sobre o assunto.

Fonte: FinanceOne | Juliana Favorito