Embraer e Boeing podem criar a nova gigante da fabricação de aeronaves

Às 16h42 de ontem, após a expressiva alta de suas ações depois que o Wall Street Journal noticiou uma possível fusão com a Boeing, a Embraer enviou Fato Relevante ao mercado admitindo que as empresas estão negociando uma potencial combinação de seus negócios, em bases que ainda estão sendo discutidas. As companhias deixaram claro que não pretendem fazer comentários adicionais sobre as discussões em curso. O principal negócio da Bombardier e da Embraer é a fabricação de jatos regionais e a Bombardier tem uma aliança com a francesa Airbus, o que isola a Embraer neste negócio. Nossa opinião é que para a Embraer, o negócio é bom e para a Boeing, melhor ainda, porque pode significar expansão do agigantamento da já gigante fabricante de aeronaves. O Governo Brasileiro, que parece ter sido surpreendido com a revelação da negociação, tem uma golden share da Embraer que lhe dá o direito de não concordar com a efetivação do negócio. É esperar para ver, mas achamos que as ações da Embraer já ajustaram o suficiente no pregão de ontem. Por outro lado, se o resultado das negociações for apenas a venda de um de seus negócios, a Embraer sai enfraquecida das negociações.

Conselho da Sanepar aprova Programa de Investimentos

O Conselho de Administração da empresa aprovou o Programa de Investimentos para o período de 2018 a 2022. O programa de investimentos para os anos de 2018 a 2022, no montante total de R$ 5.685,0 milhões, contempla para o ano de 2018 o valor de R$ 1.180,6 milhões, para o ano de 2019 o valor de R$ 976,7 milhões, para o ano de 2020 o valor de R$ 918,2 milhões, para o ano de 2021 o valor de R$ 1.267,4 milhões e para o ano de 2022 o valor de R$ 1.342,1 milhões. Os investimentos adicionais, em relação ao programa de investimentos atual, serão encaminhados à Agência Reguladora com o objetivo de reconhecimento na Base de Ativos Regulatória. O Programa de Investimentos contempla recursos próprios e financiados.
Notícia neutra.

Copel define Programa de Investimentos

O Conselho de Administração da Companhia aprovou o montante de R$ 2.928,6 milhões destinados ao programa de investimentos previstos para 2018. Do total do orçamento previsto, (a) R$ 888,5 milhões serão destinados a conclusão da construção do Complexo Eólico Cutia, o qual sofreu alteração em seu cronograma de entrada em operação e conseqüente readequação do seu cronograma financeiro em 2017; (b) R$ 790,0 milhões serão destinados ao segmento de distribuição de energia, para fazer frente a ampliação e modernização da rede, bem como manutenção e melhoria dos indicadores de qualidade; (c) R$ 743,6 milhões serão alocados, basicamente, na conclusão das obras em curso dos empreendimentos de geração e transmissão; e (d) R$ 340,2 milhões serão alocados no segmento de telecomunicações para suportar a ampliação da base de clientes, bem como a atualização tecnológica. Notícia neutra.

Suzano é grau de investimento segundo a Fitch

A Fitch Ratings elevou o rating da Suzano para grau de investimento, de BB+ para BBB- na escala global e de AA+ para AAA na escala local, com perspectiva estável. De acordo com a Fitch, a elevação do rating é reflexo da forte geração de caixa que impulsionou a redução da alavancagem da Suzano.

Vale disponibiliza linha de crédito de curto prazo para a Samarco

A Vale pretende disponibilizar até US$ 48 milhões para apoiar as operações da Samarco no primeiro semestre de 2018 e cobrir as despesas relacionadas aos especialistas nomeados em consonância com o Acordo Preliminar com o Ministério Público Federal, assinado em janeiro deste ano. Adicionalmente, dada a previsão atualizada do fluxo de caixa da Samarco, é provável que os acionistas sejam chamados a cumprir na proporção de sua participação acionária na Samarco (50% cada um), as obrigações do Acordo assinado em 2 de março de 2016 para restauração do meio ambiente e das comunidades afetadas pela ruptura da barragem da mineradora. Desta forma, a Vale estima contribuir em torno de R$ 432 milhões no 1S18. Esta quantia será descontada da provisão de R$ 3,7 bilhões provisionada no segundo trimestre de 2016.