Operar no mercado de renda variável é uma atividade que tem por objetivo principal, fazer com que o investidor obtenha alguma participação lucrativa em suas operações, independentemente do prazo e do objetivo final ao qual se pretende destinar aquele recurso.

No entanto, para que quem ainda não iniciou nesse universo, é importante conhecer todos os detalhes operacionais, para que não haja surpresas ao final das contas. Um desses detalhes diz respeito aos custos operacionais, em especial, aos emolumentos. A B3 cobra algumas taxas para que seja possível manter o moderno sistema que ela disponibiliza no Brasil atualmente.

Apesar de fazer parte do dia a dia de quem opera, é comum que muitas pessoas ainda tenham dúvidas sobre o seu funcionamento, especialmente depois de algumas mudanças que ocorreram ao longo desses anos. Pensando nisso, nós resolvemos escrever este artigo para que você não tenha mais dúvidas sobre esse assunto.

Aqui, mostramos o que são os emolumentos, em quais ativos eles são aplicados e como saber os valores que serão cobrados. Acompanhe e saiba mais!

 

O que são emolumentos?

Os emolumentos são taxas cobradas pela B3 para remunerar os custos com os seus serviços prestados no que diz respeito à negociação e registro dos ativos. Essa cobrança possui um fato gerador, ou seja, existe uma obrigação tributária por parte da B3 como pessoa jurídica, que faz com que ela seja necessária.

Assim, ela sempre estará atrelada às suas operações de compra e venda de ativos de renda variável, em formato de emolumentos.

Isso também significa que, se você somente abrir a conta na instituição de investimento e não fizer absolutamente nenhuma operação em renda variável, não haverá nenhuma cobrança relacionada à essa taxa.

Muitas pessoas confundem o termo emolumentos com custas. Todavia, são conceitos totalmente diferentes. Os emolumentos, que também podem ser chamados de taxa de negociação, são, portanto, os custos relacionados à compra e venda de ativos de renda variável e são recolhidos com o objetivo de remunerar a B3 por seus serviços prestados no processamento dessas negociações.

As custas, por outro lado, se referem ao resultado da soma de todas as despesas que ocorreram ao longo de um período. Nesse caso, as custas seriam a junção dos valores pagos a título de emolumentos, Imposto Sobre Serviço (ISS), entre outros.

 

Como os emolumentos são cobrados na Bolsa de Valores?

Entendido o conceito de emolumentos na Bolsa de Valores, demonstraremos como eles são calculados e cobrados do investidor. Também é importante saber que, além deles, há outras taxas envolvidas na negociação dos ativos. Acompanhe!

O valor referente aos emolumentos incide sobre a compra e venda dos ativos de renda variável e no caso dos ativos listados à vista, é calculado utilizando um percentual aplicado ao volume total da operação.

Esse percentual pode ser diferente de acordo com o tipo de negociação e a quantia negociada. Por exemplo, quando as negociações no mercado de ações à vista são abertas e encerradas em um mesmo dia, ou seja, quando ocorre o famoso Day Trade, quanto maior for o volume negociado, menor tende a ser o percentual cobrado.

Além disso, essas taxas podem ser diferentes quando consideramos os percentuais aplicados às operações de pessoas físicas, jurídicas, bem como os fundos de investimento. Para manter-se sempre atualizado sobre o percentual de emolumentos incidente sobre suas operações, acesse a página de “Tarifas” no site da B3.

Como mencionamos, também há outras taxas envolvidas nessas operações, sendo que algumas podem ou não, ser aplicadas, em percentuais diferentes e de acordo com o tipo de operação e o investidor envolvido (pessoa física, jurídica ou fundo de investimento). Essas outras taxas são a de registro e de liquidação.

No entanto, como investidor, apesar de ser importante conhecer quaisquer custos que possam reduzir seus rendimentos, saiba que eles serão demonstrados em suas notas de corretagem, que são documentos emitidos pela instituição por meio da qual você realiza suas operações, depois do encerramento do pregão. As notas de corretagem são facilmente encontradas em sua área logada na plataforma de investimentos ou em seu Home Broker.

 

Como os emolumentos são recolhidos?

Portanto, como você pôde ver, diferentemente do custo com o Imposto de Renda, em que o investidor é obrigado a apurar o tributo, preencher o Documento de Arrecadação da Receita Federal (DARF) e pagar o mesmo na rede bancária, os emolumentos são recolhidos de forma automática pelo sistema da corretora ou do banco de investimentos, que é diretamente ligado à Bolsa de Valores.

Outro ponto importante de se ter em mente é que os emolumentos permanecem inalterados de uma instituição de investimento para a outra.

No entanto, é possível operar em uma instituição de qualidade inigualável e ainda assim, contar com benefícios no que diz respeito a outros custos, como taxa de custódia e corretagem. Por exemplo, no modalmais, as taxas de custódia e manutenção de conta não existem, independentemente do valor ou do tipo de investimento você movimente ou mantenha em sua carteira.

Conhecer os custos que envolvem as suas operações é fundamental. Eles podem parecer insignificantes se analisarmos uma única transação, mas podem inclusive impactar os resultados de suas operações a tal ponto que faça com que o resultado líquido, que poderia ser positivo, seja negativo.

Outro ponto importante de se ressaltar, é que essas taxas mencionadas no artigo se aplicam independentemente de que haja ganhos ou não em suas operações.

Como você pôde perceber, os emolumentos não são nenhum bicho de sete cabeças. É fundamental conhecer os que incidem sobre o ativo que você opera com mais frequência para não ser pego de surpresa ao abrir suas notas de corretagem.

Se você gostou deste artigo e quer começar a investir com quem revoluciona o mercado financeiro, abra a sua conta no modalmais e conheça a nossa plataforma de investimentos.

 

Nova call to action