Ontem os mercados acionários dos EUA e Bovespa engataram aceleração de alta mais para o final da tarde. A Bovespa terminou o dia com alta de 7,14%, aos 92.214 pontos, o Dow Jones com valorização de 4,89% e o Nasdaq com +4,95%. Investidores assustados com a expansão do vírus fora da China, mas esperando decisões de flexibilização de bancos centrais e ajudas governamentais. Mas, nem de longe cobriram as perdas da véspera.

Hoje, mercados da Ásia terminaram a sessão com comportamento de queda e preocupação com coronavírus e desaceleração econômica, Europa reagindo em boa alta no início do dia com medidas adotadas e futuros do mercado americano em queda. Aqui, a Bovespa segue tendo bastante espaço para recuperações até pelo menos 100.000 pontos, mas vai precisar de mostrar interesse em acelerar reformas que estão tardando e atrasadas.

O petróleo que começou o dia em nova alta inverteu tendência no mercado internacional, depois de a Aramco dizer ter recebido ordem para elevar a produção de óleo para 13 milhões de BPD. Já a Rússia busca contemporizar e quer ajudar a OPEP+ em um acordo e acalmar os agentes do mercado.

O que movimenta os mercados da Europa na sessão de hoje foi a decisão surpresa do BOE (Banco Central Inglês) de reduzir a taxa de juros básica de 0,75% para 0,25% (queda de 0,50%)e novas medidas para auxiliar as empresas. O presidente Mark Carney, disse que o coronavírus necessita de ação coordenada dos países e bancos centrais. Christine Lagarde do BCE disse que a Europa pode sofrer como em 2008, deixando a porta aberta para admitir recessão.

No Reino Unido, a produção industrial de janeiro encolheu 0,1% e o saldo da balança comercial mostrou déficit de 3,7 bilhões de libras, quando o esperado era -7 bilhões de libras. O não acordo do Brexit dificulta o processo decisório no BOE. Na China, novos empréstimos de fevereiro caíram para 905 bilhões de yuans, de previsão de 1,05 trilhão. Já a base monetária expandiu anualizado em 8,8%, de previsão de +8,5%. Joe Binden venceu as primárias de vários estados e cada vez mais próximo de competir com Trump.

A Austrália também entrou para o time dos países que destinaram recursos para combater o coronavírus em frentes diversificadas com US$ 1,56 bilhão e a Alemanha anunciou que a União Europeia vai investir 25 bilhões de euros para conter impactos.

No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em NY mostrava queda de 0,93%, com o barril em US$ 33,43. O euro era transacionado em queda para US$ 1,13 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 0,70%. O ouro em queda e a prata em alta na Comex e commodities agrícolas operando em altas na Bolsa de Chicago.

No segmento local, o ministro Paulo Guedes enviou ofício para o Congresso pedindo celeridade nas votações do que foi encaminhado e Rodrigo Maia segue reclamando pelo atraso de mandarem as reformas tributária e administrativa. Guedes diz que isso pode proteger o país da crise. Já a CVM quer que as empresas relatem os efeitos do coronavírus e divulguem fato relevante.

A FGV anunciou a primeira prévia do IGP-M de março em 0,15% (anterior 0%) acumulando alta em 2020 de 0,59% e 5,66% em 12 meses. A expectativa do dia é que Bovespa tente recuperação (mas é mais difícil), dólar mais fraco e juros dependendo do IPCA que será anunciado.

 

Bom dia e bons negócios.

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do Home Broker modalmais