Mais Comedido
Depois da forte alta de ontem de 4,57% e índice em 86083 pontos (querendo aproximar do recorde histórico pouco acima de 88400 pontos) e de dólar fechando em queda de 2,40% e cotado a R$ 3,76 (abriu em R$ 3,70), o dia parece ser de maior comedimento, seguindo, inclusive, o exterior mais pesado.
Na Ásia durante a madrugada mercados acionários em queda, exceto a bolsa de Xangai em leve alta de 0,17%, Europa operando no negativo e futuros dos EUA também em queda. Aqui o ambiente ainda é favorável ao fluxo de recursos para mercados de risco, mas os ETFs Brasil trabalhavam hoje próximos da estabilidade.
O FMI disparou avaliação sobre a economia global reduzindo projeções de crescimento em 2018 e 2019. Em 2018 China e EUA foram mantidos com respectivamente 6,6% e 2,9%, mas reduzindo no ano seguinte para 6,2% (anterior em 6,4%) e 2,5% (anterior em 2,7%). Segundo o FMI o PIB global de 2018 encolherá para crescimento de 3,7% (anterior em 3,9%) e igual expansão em 2019. O FMI projeta fluxo de comércio crescendo em 2018 4,2% (anterior em 4,8%) e para 2019 +4,0% (de anterior em 4,5%).
O FMI estima que o PIB do Brasil cresça 1,4% em 2018 (anterior em 1,8%) e em 2019 com +2,4%. Acrescenta que a reforma da Previdência é absolutamente essencial para melhorar a perspectiva fiscal do país, mas se preocupa com a falta de prioridade.
No mercado internacional o petróleo WTI negociado em NY mostrava alta de 0,52%, com o barril cotado a US$ 74,68. O euro era transacionado em queda para US$ 1,143 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 3,23, em queda. O ouro e a prata mostravam altas na Comex e commodities agrícolas com comportamento misto na bolsa de Chicago.
No segmento local a Fipe anunciou o IPC da primeira quadrissemana de outubro com inflação acelerando para 0,43%, de anterior em 0,39%, como tem acontecido com outros indicadores. No âmbito político os partidos começam a se movimentar em apoios aos candidatos de segundo turno. Bolsonaro mantendo seu discurso mais contundente sobre manter a constituição, mas com o PT acenando sobre mudanças mais brandas na constituição, via PECs.
Bolsonaro e Paulo Guedes começam a falar sobre nomes que poderiam constituir sua equipe e os citados são nomes conhecidos do mercado e bem aceitos. O maior problema parece estar no eventual embate entre os dois candidatos e na perda de palanque de Haddad em locais importantes como Minas Gerais.
Amanhã teremos nova pesquisa nacional com algum poder de interferir no comportamento dos mercados. Por aqui o dia começando com ajustes. A Bovespa cai 0,87% em seu índice futuro e o dólar sobe 0,60%, cotado aR4 3,7986. Taxas de juros também em elevação para os vencimentos mais líquidos.
Bom dia e bons negócios
Alvaro Bandeira