Os últimos dados divulgados para a economia local mostram situação um pouco melhor, muito embora longe de uma situação confortável. A última pesquisa Focus indicou inflação arrefecendo, queda do PIB (produto interno bruto) menor em 2016 encolhendo 3,30% e produção industrial melhorando para -5,80%. Indicadores parciais do IGP-M de julho (primeira prévia) também indicam desaceleração para 0,55%, vindo de anterior em 1,12%.

Indicadores de atividade industrial e de serviços também evoluíram no mês de junho e o governo começa a se movimentar no sentido de levar a economia para rumos mais positivos, estabelecendo limites de gastos e conseguindo aprovar déficit do governo central menor para 2017, porém ainda muito longe do ideal.

Em que pese isso, os desdobramentos da operação Lava Jato sempre trazem tensão ao lado político, na medida em que se aproximam de políticos influentes ligados ao PT ou mesmo ao novo governo provisório de Michel Temer. Nessa semana teremos votação para a presidência da Câmara com muitos candidatos, já que seriam substitutos em primeira linha de Michel Temer na presidência.

Tudo isso nos leva à situação de que maiores mudanças na economia só devem acontecer depois do julgamento do Senado do processo de impeachment da presidente Dilma, em princípio marcado somente para o final de agosto. Ou seja, estamos perdendo meses preciosos para ajustar a economia.

Função disso, ainda recomendamos prudência em seus investimentos, com opção maior para aplicações em renda fixa, de preferência em títulos prefixados. Porém para os mais agressivos abre-se janela de oportunidade para arriscar em renda variável, caso a visão seja de que Temer conseguirá realizar as mudanças necessárias e atrair investimentos. Maiores detalhes acesse nosso site em www.modalmais.com.br.