Caso medidas fiscais demorem, a queda dos juros pode acabar ficando para próximo ano