Diversificar os investimentos é uma das formas que as pessoas físicas e, até mesmo, empresas encontraram para ter rentabilidades mais interessantes, especialmente em épocas de cortes na taxa básica de juros da economia.

Entre as opções de investimentos, está o FIC. Entretanto, existe muita dúvida sobre o assunto. Por esse motivo, resolvemos escrever este artigo. Nele, mostraremos tudo o que você precisa saber sobre essa modalidade de investimento.

Acompanhe-nos nesta leitura e aprenda mais sobre esta modalidade de fundos de investimento.

 

O que são os FICs e como eles funcionam?

FIC é sigla para fundo de investimento em cotas. Basicamente, trata-se de uma modalidade que adquire cotas de outros fundos de investimento disponíveis no mercado financeiro. Esse tipo de investimento é emitido pelas instituições financeiras que contam com toda uma equipe técnica para gerenciar a composição da carteira.

Existem algumas regras para a divisão dessas aplicações. Cada FIC deve seguir o regulamento do seu respectivo segmento. Por isso, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) determina que, no mínimo, 95% do patrimônio desse fundo seja direcionado para adquirir cotas de fundos de investimento da mesma classe.

Vamos utilizar como exemplo, um FIC FIM (Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Multimercado). Nesse caso, 95% do patrimônio do fundo deve ser destinado a adquirir cotas de fundos multimercados, ou seja, investir em fundos de investimento dessa classe.

O restante, ou seja, os outros 5%, pode ser alocado em diversos outros ativos de renda fixa, como Tesouro Direto, CDB (Certificado de Depósito Bancário), LCI (Letra de Crédito Imobiliário), entre outros.

Esses fundos também são classificados de acordo com o tempo médio de aplicação dos ativos que compõem suas carteiras, podendo ser de curto e longo prazos. Entretanto, o tempo em que você manterá o recurso aplicado em um fundo, dependerá muito dos seus objetivos.

A grande vantagem por trás dos FICs está no fato de um investidor poder começar com um aporte reduzido, por volta de R$ 1.000,00, em vez de investir diretamente em cada um dos fundos que compõem a carteira do FIC. Ou seja, é possível fracionar os seus riscos e experimentar diversas rentabilidades sem ter que aplicar ou acompanhar cada um dos fundos.

Quais são as principais siglas dos fundos de investimento?

Você precisa saber que, além do FIC, existe uma diversidade de fundos de investimento que possuem características completamente distintas. Portanto, antes de pensar em investir, é preciso conhecer as principais diferenças entre eles e verificar os que estão mais adequados às suas necessidades de curto, médio e longo prazos, objetivos e, principalmente, perfil de investidor.

Por isso, neste tópico, elencamos as principais siglas de fundos de investimento que existem no Brasil. Assim, você conhecerá cada um deles e suas principais características. Continue lendo!

 

FI – Fundos de investimento

FI é nada mais nada menos que a sigla para Fundos de Investimento, que são denominados como um “condomínio”, onde diversos investidores disponibilizam recursos que serão geridos por um especialista com o intuito de aplica-los em determinados ativos.

 

FIM – Fundo de investimento multimercado

Os FIMs são fundos que aplicam em classes variadas de ativos, como os de renda fixa e variável ao mesmo tempo. Eles são mais flexíveis, e os gestores têm mais liberdade para escolher seus ativos.

 

RF – Renda fixa

Esse tipo de fundo aloca a maior parte do seu patrimônio em ativos de renda fixa, em percentuais que podem variar entre 80% e 95%, dependendo do tipo de fundo de renda fixa. Geralmente, a rentabilidade desses fundos é menor, porém os riscos também.

 

FIA – Fundos de Investimento em ações

Os fundos de investimento denominados de FIA aplicam em ações. A CVM estabelece que a sua carteira deve ser composta de, pelo menos, 67% desses ativos, logo, o principal fator de risco dos FIA, está atrelado à variação dos preços de ações.

 

REF –  Referenciado

Essa é a sigla utilizada nos fundos referenciados, que têm como objetivo acompanhar o desempenho de um indicador de referência, como o IPCA ou o CDI. Pelo menos 95% da carteira do fundo deve ser composta por ativos que utilizam esse determinado índice como principal indexador, sendo pelo menos, 80% desses ativos, títulos públicos ou privados.

 

CP –   Curto Prazo

Como o próprio nome sugere, fundos de investimento classificado como curto prazo, têm foco principal os títulos de curto prazo. Dessa forma, os títulos que compõem a carteira desse fundo devem ter limite máximo de vencimento de 365 dias.

 

LP – Longo Prazo

Essa é a sigla utilizada em fundos de investimento de longo prazo, que são aqueles que possuem carteira composta por títulos com tenha prazo igual ou superior a 365 dias.

 

Qual é a diferença entre FI e FIC?

Com as definições das siglas acima, ficou mais fácil de entender. Como você pôde perceber, o FIC tem um conceito diferente do FI. O FI é a sigla básica para Fundos de Investimento. O FIC, por outro lado, pode ser considerado como uma classe de fundos de investimento. Ele investe seu patrimônio em cotas de outros fundos de investimento, sendo conhecido também como FICFI (Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento) ou fundos de fundos.

Quais são os riscos de investir em FIC?

Seja qual for a modalidade de investimento, não há como se esquecer de mencionar os riscos. No caso do FIC, o risco ao qual está exposto, está diretamente ligado a possíveis prejuízos nas cotas dos outros fundos de investimento que o FIC adquiriu.

Entretanto, como existe uma variedade muito grande nas aplicações – uma vez que não há um limite específico de fundos que o FIC possa ter na composição de sua carteira, desde que respeite o percentual exigido para cada segmento – também há uma fragmentação no risco. Isso porque, caso um fundo em específico venha a se desvalorizar, outro que está dando resultados positivos pode compensar eventuais prejuízos que afetariam o FIC.

Por que diversificar seus investimentos com FIC?

Agora, mostraremos alguns bons motivos para apostar no sucesso desse tipo de aplicação. Continue lendo!

 

Diversificação

Em vários pontos, mencionamos sobre a importância da diversificação. Além de poder ser utilizado para compor sua própria carteira de investimentos, você pode ter em mente que o FIC, por características próprias, é um produto super diversificado, sendo esse um grande motivo para que você considere esse tipo de investimento.

Se baseando nesse conceito, de diversificação, e claro, ao escolher o FIC que mais se adequa ao seu perfil de investidor, você estará buscando uma alternativa de proteção do seu capital.

 

Gestão especializada

Para quem não tem muito tempo para ficar acompanhando tudo o que acontece no mercado financeiro, ou mesmo não tem grandes conhecimentos sobre, investir em FIC se torna uma alternativa sensata.

Isso porque o FIC conta com uma equipe especializada de gestores, que buscam alocar na carteira do fundo, as melhores oportunidades do mercado, sempre respeitando o regulamento e as regras do fundo. Dessa forma, os gestores, por assim dizer, fazem esse trabalho para todos os cotistas, independentemente do volume do capital aplicado.

 

Investimento mínimo

Quando mencionamos que é possível iniciar seus investimentos em um FIC com poucos recursos, não é exagero. No modalmais, por exemplo, há FICs com aporte inicial mínimo de R$ 100.

O mais interessante é que, já que o FIC aplica em cotas de outros fundos, de certa forma, você está aplicando nesses fundos, que você talvez até tivesse interesse, mas nunca tenha aplicado devido ao alto valor de aporte mínimo inicial, por exemplo.

 

Transparência

Quando você se tornar um cotista de um FIC, terá acesso a todos os relatórios, informativos e demais documentos sobre as ações que foram adotadas em determinado período. Assim, é possível acompanhar a rentabilidade, o patrimônio total, as alterações da carteira, bem como outras informações.

Como você pôde perceber, o FIC é um tipo de investimento excelente para fazer uma boa diversificação na sua carteira e experimentar rentabilidades diferenciadas, potencializando as chances de multiplicar seus recursos, fracionando os seus riscos.

 

Gostou dessas informações? Então, faça o seu cadastro no modalmais e conheça mais sobre os nossos fundos de investimento.

 

Nova call to action