Agenda

Açúcar e Etanol

As usinas do Brasil passaram por anos difíceis e com alto endividamento. Agora com as altas cotações do açúcar, as usinas estão focadas em desalavancar, reduzindo suas dividas. Porém com a falta de capital nas safras passadas, o investimento em renovação do canavial ficou comprometido. As plantações do Centro-Sul estão com idade média do canavial de 3,6 anos, segundo levantamento do Banco Pine, é o maior patamar desde a safra 2011/12. A safra brasileira está com média de 3,4 anos. O canavial mais velho reduz a produtividade da cana que costuma ser de 73 toneladas por hectar, com um ano a mais a produtividade cai para 66 toneladas por hectar. O Pine estima para a safra 2017/18 (que se inicia em abril) uma moagem de 590 milhões de toneladas de cana, considerando um cenário médio, mas esse valor pode variar entre 545 milhões e 635 milhões de toneladas. Com o envelhecimento do canavial, na próxima temporada a disponibilidade de cana pode ser menor em até 65%. Apesar da queda na produtividade, o Banco projeta uma safra com maior produção de açúcar, chegando a 35,7 milhões de toneladas, ante 35,2 milhões de toneladas da safra atual. O aumento de produção é pelo fato das usinas estarem mais “açúcareiras”.

As usinas brasileiras viram no último mês mais vantagem em negociar o açúcar cristal no mercado interno, do que no externo. O açúcar cristal em São Paulo chegou a ser cotado a R$100,70 a saca de 50 kg, dia (1), novo recorde histórico para série do Cepea/Esalq. O açúcar cristal já acumula alta de 31% no mercado interno, desde o começo da safra (1º de Abril) e 36% desde 3 de novembro de 2015. Após sete sessões de queda, o açucar na Bolsa de NY volta a subir. Ontem (2), as Bolsas de NY abriram normalmente, visto que o feriado era apenas no Brasil, e o açúcar fechou mar/17 US$ 21,70 alta de 2,41% e mai/17 a 21,16 alta de 1,73%.

Grãos

Mato Grosso do Sul está com leve atraso de plantio, 7,6% na comparação com a safra passada, porém chega a 45,4% de área plantada, o equivalente a 1,1 milhão de hectares. O atraso é consequência da escassez de chuvas no estado, principalmente no norte, onde apenas 24,7% da área foi semeada. A região sul é a mais avançada, chegando a 56,5% de área plantada. O Estado estima um aumento de área plantada em 2,4%, de 2,46 milhões de hectares para 2,52 milhões de hectares, com um aumento de produção também de 2,4% de 7,601 milhões de toneladas para 7,787 milhões de toneladas. Com a especulação de que o USDA divulgará uma produção ainda maior nos EUA do que anteriormente prevista, as cotações de soja ficaram pressionadas ontem na Bolsa de Chicago. O Relatório divulgado em Outubro tinha previsão de 116,18 milhões de toneladas para a safra 2016/17. Ontem na Bolsa de Chicago tivemos os contratos mar/17 a US$ 993,50 queda de 0,65% e mai/17 a US$ 1.000,25 queda de 0,62%.

Nesse ano, o mercado interno viu as cotações de milho dispararem, após uma quebra de produção do milho segunda safra no país, a “safrinha”, outro motivo também foi que os produtores já haviam negociado um alto volume do cereal no mercado futuro, logo faltou milho para o mercado interno. O Governo para tentar amenizar as altas cotações, e para que os produtores de aves e suínos que tem o milho na base da sua ração animal, não fossem tão prejudicados pelas altas cotações, isentou o ICMS para a importação de milho no país. Produtores acabaram importando milho nesse ano, principalmente de países da América do Sul, e na quarta-feira (26) o segundo navio de milho argentino chegou ao porto do ES. O primeiro carregamento foi em agosto e agora o segundo, mês passado, com um total de 27,1 mil toneladas do cereal.

A perspectiva de um excelente safra de milho norte-americana voltou a pressionar os contratos ontem na Bolsa de Chicago. O último Relatório do USDA estimou uma produção de 382,4 milhões de toneladas, semana que vem o Departamento irá soltar sua nova estimativa, e o mercado esta na expectativa dos novos dados. Os contratos mar/17 fecharam a US$ 355,50, queda de 0,63% e mai/17 a US$ 363,00, queda de 0,55%. No Paraná, o preço médio ficou em R$31,20 a saca, alta de 0,10% segundo o Deral. No mercado brasileiro, o indicador Cepea/Esalq ficou em R$r40,83 a saca, leve queda de 0,07%.

Café

A Indonésia é um dos maiores produtores de café no Mundo, e a Sumatra, ilha no país que é líder de produção de café, relatou que suas exportações de café robusta no mês de outubro cairam 43,15% comparado a igual período do ano passado, chegando a 281,701 mil sacas. No acumulado de out/15 a set/16 as exportações acumulam queda de 50,49%, chegando a 2,687 milhões de saca. A perspectiva para a nova safra também não são boas, com expectativa de novas secas e menor produção de café robusta no país. Ontem na Bolsa de NY, os contratos mar/17 fecharam a US$ 166,45 alta de 0,88% e mai/17 a US$ 168,65 alta de 0,90%.

Equipe:

Pedro Esberard Barbirato Rosa
pedro.rosa@modal.com.br

Katharyne Amorim Caiaffa
katharyne.caiaffa@modal.com.br

Rio de Janeiro 55 21 3223 7890 | 7934
São Paulo 55 11 2106 6880
www.modal.com.br

Fonte:
http://scasa.co.za/blogs/market-reports
http://www.valor.com.br//agro/4763791/de-olho-na-renovacao-dos-canaviais
http://www.portaldoagronegocio.com.br/noticia/mesmo-com-76-de-atraso-plantio-da-soja-em-ms-chega-a-45-da-area-151607
http://www.portaldoagronegocio.com.br/noticia/segundo-navio-de-milho-importado-da-argentina-chega-ao-es-151605
http://www.valor.com.br/agro/4763783/commodities-agricolas

1) Este documento é fornecido exclusivamente a título informativo e não deve ser considerado uma recomendação, sugestão de estratégia de investimento e/ou análise de valores mobiliários. Rentabilidades passadas não são garantia de rentabilidades futuras. O Banco Modal S.A. ou quaisquer das empresas que compõem o Grupo Modal (conforme definição legal) não expressam qualquer forma de garantia, implícita ou explícita, através do presente material.

2) Este material não leva em consideração objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas dos Investidores, que devem procurar aconselhamento financeiro destinado às suas necessidades antes de tomar qualquer decisão de investimento com base em informações contidas neste material. O material, inclusive, não representa o oferecimento de produtos, visto que tal oferta só pode ser feita mediante identificação do perfil de risco do cliente.

3) O presente material não representa a opinião do Banco Modal S/A bem como das demais empresas do Grupo Modal e seu conteúdo é de inteira responsabilidade dos responsáveis pela sua elaboração e das respectivas fontes utilizadas.

4) Esta comunicação deve ser lida apenas pelo seu destinatário e não pode ser retransmitida sem autorização formal. Caso recebida indevidamente, por favor destrua-a. Qualquer reprodução, disseminação, alteração, distribuição e/ou publicação deste e-mail é estritamente proibida.

Ouvidoria 0800 283 0077