Açúcar e Etanol

Segundo dados da Datagro a Tailândia exportou 314,1 mil toneladas de açúcar em novembro (sendo 222,4 mil de açúcar branco), um aumento de 6,2% comparado ao mês anterior, porém uma retração de 45,6% em comparação ao mesmo mês de 2015. O aumento nas exportações se deu pela elevação dos embarques para países como Camboja, Mianmar e Taiwan, cuja boa parte do volume depois é reexportado para a China.

Os contratos de açúcar tiveram valorização pelo enfraquecimento dólar ante o real, o que desestimula as exportações por parte dos produtores brasileiros e pelo encerramento antecipado da safra na Índia. A moeda americana se enfraquece pelas incertezas se o novo presidente dos EUA, Donald Trump conseguirá colocar em prática as medidas econômicas anunciadas em sua campanha. Ontem o mar/17 fechou a US$ 20,89, alta de 1,85% e mai/17 a US$ 20,41 alta de 1,44%. No mercado interno o açúcar cristal em São Paulo fechou a R$ 89,39 a saca de 50kg, queda de 0,53%.

Grãos

A colheita de soja já foi iniciada no estado de MT, mas deve se intensificar a partir do dia 10 de janeiro. Produtores estão apreensivos com relação as pragas nas lavouras, principalmente a mosca branca e o percevejo. Somente o controle da mosca branca gera um custo de R$150,00 por hectare em cada aplicação, e o produtor pode ter que realizar até quatro aplicações na lavoura para controlar a praga. Os custos de produção já estão em patamares elevados alcançando R$ 3.572,16 por hectare, pelo fato da grande negociação de pesticidas ter sido realizado meio de 2016 quando o dólar estava valorizado frente ao real, encarecendo a produção. Mato Grosso semeou 9,3 milhões de hectares e a perspectiva é que a safra chegue a 30,4 milhões de toneladas. As chuvas na Argentina, após um período de seca que vinha pressionando as cotações da oleaginosa, agora vem gerando receios quanto a postergação do plantio no país. Junto as lavouras na Argentina a desvalorização do dólar frente as principais moedas do Mundo sustentaram os contratos, visto que o dólar mais fraco estimula as importações da soja americana. Ontem a soja fechou o contrato mar/17 a US$ 1.023,50 alta de 1,99% e mai/17 a US$ 1.015,25 alta de 2,04%. No mercado interno a soja em Paranaguá fechou em R$ 74,52 a saca de 60kg, queda de 1,27%

Meteorologistas alertam sobre os sustos com o excesso ou falta de chuva nas lavouras do Brasil. O clima caminha para uma neutralidade, o que representa chuvas mal distribuídas em todo o país. Atualmente as chuvas tem atingido o Sul do país, enquanto as regiões Norte e Nordeste sofrem com a seca. A região mais crítica por falta de chuvas é o Matopiba, porém são previstas chuvas a partir da próxima semana. Ontem o contrato mar/17 fechou a US$ 359,75 alta de 1,12% e mai/17 a US$ 365,75 alta de 1,18%.

Café

A Conab está projetando uma maior produção de café no Brasil na safra 2017/18 puxada pelo café arábica que representa quase 85% da produção de café brasileiro. Porém produtores se mantém apreensivos com a bienalidade negativa do café podendo resultar em uma menor produção no país e apostam que os preços vão se manter firmes no ano. O Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) irá apoiar a Conab no levantamento dos estoques de café robusta no ES. O estado é responsável por 78% da produção brasileira desse tipo de café e ontem a Conab teve uma reunião com o Instituto pela manhã para apresentar o plano de trabalho. A intenção é entregar o documento com o levantamento dos estoques até o dia 14 de janeiro, para o Governo analisar e tomar uma decisão na reunião da Camex programada para o dia 15 de janeiro. O objetivo da reunião é liberar ou não a importação de café robusta do Vietnã caso os estoques nacionais não estejam em patamares suficientes para abastecer o mercado interno. A queda do dólar frente as principais moedas do Mundo e o fraco desempenho das lavouras de café na Colômbia deram sustentação a commodity ontem na Bolsa de NY. A Colômbia colheu 1,319 milhões de sacas em dez/16, uma queda de 9,3% comparado a igual período de 2015. Ontem o contrato mar/17 fechou a US$ 141,80, alta de 3,20% e mai/17 a US$ 144,10, alta de 3,15%. No mercado interno o café fechou a R$ 491,74 a saca de 60kg, alta de 4,12%.

Aldodão

Com uma baixa produção de algodão no país na safra passada, 2015/16, os estoques de passagem se mantém em níveis baixos e o fato da concentração da pluma estar na mão de poucas tradings vem gerando preocupação no mercado. Vendedores se mantém atentos as oscilações do dólar e dos preços internacionais e apostam na expectativa de sustentação dos preços da pluma nesse início de ano. A demanda firme mundial pelo algodão e os estoques mundiais em queda pela menor produção, estão dando sustentação as cotações da pluma na Bolsa de NY. A valorização do dólar também tende a sustentar as cotações, visto que o algodão fica mais barato em comparação com as roupas sintéticas que tem o petróleo na sua base de produção. O Comitê Consultivo Internacional do Algodão prevê que na safra 2016/17 os estoques mundiais fiquem em 18 milhões de toneladas, queda de 7% em relação a temporada anterior. Ontem o contrato mar/17 fechou a US$ 74,08 alta de 3,20% e mai/17 a US$ 74,22 alta de 2,91%.

Equipe:
Pedro Esberard Barbirato Rosa
pedro.rosa@modal.com.br

Katharyne Amorim Caiaffa
katharyne.caiaffa@modal.com.br

Rio de Janeiro 55 21 3223 7890 | 7934
São Paulo 55 11 2106 6880
www.modal.com.br

Fonte:
https://www.agrolink.com.br/noticias/mosca-branca-e-percevejo-preocupam-sojicultores-em-mato-grosso–produtividade-em-50-sc-ha_367803.html
https://www.agrolink.com.br/noticias/cafe-cepea–com-menor-producao-no-br–preco-pode-se-manter-firme-em-2017_367787.html
https://www.agrolink.com.br/noticias/incaper-auxilia-conab-na-contagem-de-estoque-de-cafe-conilon-no-es_367775.html
https://www.jornalcana.com.br/exportacoes-de-acucar-na-tailandia-crescem-6-em-novembro/
http://revistagloborural.globo.com/Noticias/Agricultura/noticia/2017/01/clima-vai-testar-limite-das-lavouras-de-verao.html
http://www.valor.com.br/agro/4826360/commodities-agricolas

1) Este documento é fornecido exclusivamente a título informativo e não deve ser considerado uma recomendação, sugestão de estratégia de investimento e/ou análise de valores mobiliários. Rentabilidades passadas não são garantia de rentabilidades futuras. O Banco Modal S.A. ou quaisquer das empresas que compõem o Grupo Modal (conforme definição legal) não expressam qualquer forma de garantia, implícita ou explícita, através do presente material.

2) Este material não leva em consideração objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas dos Investidores, que devem procurar aconselhamento financeiro destinado às suas necessidades antes de tomar qualquer decisão de investimento com base em informações contidas neste material. O material, inclusive, não representa o oferecimento de produtos, visto que tal oferta só pode ser feita mediante identificação do perfil de risco do cliente.

3) O presente material não representa a opinião do Banco Modal S/A bem como das demais empresas do Grupo Modal e seu conteúdo é de inteira responsabilidade dos responsáveis pela sua elaboração e das respectivas fontes utilizadas.

4) Esta comunicação deve ser lida apenas pelo seu destinatário e não pode ser retransmitida sem autorização formal. Caso recebida indevidamente, por favor destrua-a. Qualquer reprodução, disseminação, alteração, distribuição e/ou publicação deste e-mail é estritamente proibida.

Ouvidoria 0800 283 0077