AGENDA

AÇÚCAR E ETANOL

Arnaldo Luiz Correa, Diretor da Archer Consulting também prevê um grande déficit mundial de açúcar para a próxima temporada. Foram levantadas algumas premissas para embasar essa visão: a primeira é que na perspectiva do mercado, a expansão canavieria não irá ultrapassar 2,5-3%. A segunda é que com a provavél retomada da economia, a frota de veículos leves irá aumentar, dos atuais 35,8 milhões de unidades para 46,2 milhões de unidades, e com isso sendo requerido mais combustível, lembrando que o mix de etanol na gasolina é de 27%. A terceira é que se os países que competem com o Brasil na produção mundial de açúcar não aumentarem siginificativamente sua produção, teremos um déficit de 33,5 milhões de toneladas para a safra 2017/18. Levando em consideração que o Brasil deve produzir 40 milhões de toneladas na próxima safra, e consumir internamente 11,6 milhões de toneladas, sobrariam para exportação 28,4 para atender o défict mundial de 33,5 milhões de toneladas, com isso sendo projetado um déficit de 5,1 milhões de toneladas. Na semana passada na Bolsa de NY o açúcar encerrou a semana cotado a 19,71 centavos de dólar a libra peso, recuo de 64 pontos em relação a semana anterior.

GRÃOS


Com o Relatório do USDA que saiu sexta-feira (12) prevendo que serão colhidos 330,4 milhões de toneladas de soja na safra atual dos EUA, 5,7% a mais que na safra passada, os contratos de set/16 fecharam a US$ 9,99 o bushel, queda de 2,75 centavos. No mercado interno a soja em Paranaguá fechou a R$ 79,90 a saca de 60kg, alta de 0,13%.
Em Mato Grosso do Sul a colheita do milho segunda safra, “safrinha”, avança e atinge 50% das lavouras. A projeção é de uma colheita de 6,2 milhões de toneladas no Estado, ante 9,1 milhões de toneladas na safra passada. Em Mato Grosso a colheita já atinge 90,4% e a quebra do millho segunda safra chega a 22,4%, com 4,5 milhões de toneladas a menos. Apesar das novas projeções para a atual safra de milho nos EUA serem positivas, os contratos com vencimento para dez/16 fecharam a sessão US$ 3,33 o bushel, elevação de 1,25 centavos em relação à véspera. No mercado interno o cereal fechou em R$ 45,78 a saca de 60kg, alta de 0,26%.

CAFÉ

O Governo Brasileiro iniciou os leilões quinzenais de café arábica, com o objetivo de vender 50% dos seus estoques (1,3 milhões de toneladas) para abastecer o mercado interno que vem sofrendo com a queda de produtividade na safra atual. O segundo leilão realizado na quinta-feira (11) teve um total de 75% de negócios com o preço do grão variando de R$ 426,60 e R$ 481,75 a saca. Já a expectativa é de que a safra de café robusta do ES só irá se recuperar na temporada 2018/19, com isso no mercado interno o café tipo robusta já se valorizou 28% em 12 meses. Na atual safra 2016/17 que acaba de ser colhida, a produção de robusta deve fechar com 5,5 milhões de sacas, metade do que se esperava inicialmente. A corretora Marex Spectron inverteu sua projeção de superávit de café na safra 2016/17 para um déficit de 1 milhão de sacas de 60kg. A queda na produção global pelo clima mais seco, deve diminuir a produtividade. O relatório prevê um déficit de 6 milhões de sacas de robusta e superávit de 5 milhões de sacas de arábica, dando um net de déficit de 1 milhão de toneladas. Essa projeção pode aumentar dependendo da dimensão do café robusta que poderá ser subistítuido pelo arábica, de acordo com seus preços de negociação.

ALGODÃO


O mercado esperava a divulgação do Relatório do USDA com projeção de 2,8 milhões toneladas para a safra 2016/17, devido ao tempo quente e seco no Texas que deteriorou as condições das lavouras do país. Porém ao inverso da expectativa do mercado, o relatório apontou que a safra será de 3,45 milhões de toneladas, e os contratos para dez/16 fecharam a 70,65 centavos de dólar a libra peso, queda de 121 pontos. No mercado interno na Bahia ficou em R$ 84,43 por arroba. O Estado de MT é o maior produtor de algodão do país e nessa safra teve um aumento de 8% na área plantada, porém com a falta de chuva a colheita deve render 926 mil toneladas, 1,5% a menos que no ano passado.

Fontes:
http://canaplan.com.br/noticias/setor-sucroenergetico
http://www.portaldoagronegocio.com.br/noticia/colheita-do-milho-2-safra-avanca-e-chega-a-50-das-lavouras-de-ms-148360
http://www.portaldoagronegocio.com.br/noticia/quebra-de-224-no-milho-2-safra-derruba-producao-de-mato-grosso-em-7-mi-toneladas-148359
https://www.agrolink.com.br/noticias/milho-sobe-mesmo-com-revisao-da-safra—analise-agrolink_359606.html
http://www.valor.com.br/agro/4671885/commodities-agricolas
http://www.abic.com.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=59&infoid=5689
http://revistagloborural.globo.com/Noticias/Agricultura/Cafe/noticia/2016/08/corretora-estima-deficit-de-1-milhao-de-sacas-de-cafe.html
http://www.valor.com.br//agro/4671887/os-mil-dias-que-abalaram-o-cafe-no-es
http://g1.globo.com/economia/agronegocios/globo-rural/noticia/2016/08/lavouras-de-algodao-devem-produzir-menos-e-mercado-ja-sente-os-reflexos.html
http://www.valor.com.br/agro/4671885/commodities-agricolas

1) Este documento é fornecido exclusivamente a título informativo e não deve ser considerado uma recomendação, sugestão de estratégia de investimento e/ou análise de valores mobiliários. Rentabilidades passadas não são garantia de rentabilidades futuras. O Banco Modal S.A. ou quaisquer das empresas que compõem o Grupo Modal (conforme definição legal) não expressam qualquer forma de garantia, implícita ou explícita, através do presente material.

2) Este material não leva em consideração objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas dos Investidores, que devem procurar aconselhamento financeiro destinado às suas necessidades antes de tomar qualquer decisão de investimento com base em informações contidas neste material. O material, inclusive, não representa o oferecimento de produtos, visto que tal oferta só pode ser feita mediante identificação do perfil de risco do cliente.

3) O presente material não representa a opinião do Banco Modal S/A bem como das demais empresas do Grupo Modal e seu conteúdo é de inteira responsabilidade dos responsáveis pela sua elaboração e das respectivas fontes utilizadas.

4) Esta comunicação deve ser lida apenas pelo seu destinatário e não pode ser retransmitida sem autorização formal. Caso recebida indevidamente, por favor destrua-a. Qualquer reprodução, disseminação, alteração, distribuição e/ou publicação deste e-mail é estritamente proibida.

Ouvidoria 0800 283 0077