Açúcar e Etanol

Dados da Unica revelam que na segunda quinzena de outubro as usinas do Centro-Sul do país atingiram uma moagem de 31,75 milhões de toneladas, 18% menor que em igual período do ano passado. Em comparação com a primeira quinzena, o processamento ficou praticamnete estável, porém a produção de açúcar na segunda quinzena recuou 8,6% em comparação com a primeira, e a produção de etanol teve recuo de 7,3%. A diminuição na produção é devido a queda na concentração de açúcar recuperável na cana (ATR), recuo de 8,1%. Em comparação com o mesmo período do ano passado a produção de açúcar caiu 6% e etanol caiu 29,3%.

Nos EUA, na semana passada, a produção de etanol subiu 1,5% em comparação com a retrasada. O volume de produção de etanol nos EUA é um importante termômetro da demanda interna pelo milho. Visto que a indústria local de produção de etanol utiliza um terço da safra de milho do país.

As fortes oscilações ontem do dólar frente ao real, refletiram nas cotações do açúcar na Bolsa de NY. Ontem na Bolsa de NY o açúcar fechou mar/17 US$ 20,22 queda de 0,69% e mai/17 a US$ 19,71 queda de 0,81%. No mercado interno o açúcar cristal em São paulo ficou em R$98,32 a saca de 50 kg, queda de 0,64%.

Grãos

Com as boas condições climáticas o plantio de soja segue avançado em todo o país, registrando até o sexta-feira (11) plantio de 65,4% da área projetada, acima dos 62% da média histórica. Em MT, maior estado produtor do país, o plantio já alcança 89,5% da área projetada, acima da média de 85,6%. O Paraná, segundo maior estado produtor, o plantio atinge 82% ante 81,8% da média. O Rio Grande do Sul, terceiro maior estado produtor, alcança 30%, ante 26,8% da média. Ontem na Bolsa de Chicago os contratos mar/17 fecharam a US$ 998,00, alta de 0,40% e mai/17 a US$ 1.007,25, alta de 0,47%.

Mesmo com o aumento de área plantada de milho indo de 3,902 milhões na safra passada para 4,152 milhões na safra atual, o plantio segue em ritmo acelerado. O milho verão, também conhecido como “milho primeira safra” já atinge 86,1% de área plantada, ante 67,2% no ano passado. A demanda firme pelo milho americano sustenta as cotações do cereal. Dados divulgados pelo USDA relatam que na semana encerrada dia 10, foram fechados contratos para embarque de 1,661 milhão de toneladas do grão, alta de 35% ante a semana anterior e 47% acima da média das últimas quatro semanas. Os contratos para mar/17 fecharam a US$ 349,75, alta de 0,94% e mai/17 a US$ 356,50, alta de 0,85%. No mercado interno o milho ficou em R$ 39,72 a saca de 60kg, queda de 1,07%.

Café

A Nespresso firmou uma parceria com a Australia Post, empresa australiana de serviços postais, para facilitar o consumidor em devolver suas cápsulas para reciclagem. O cliente tem a possibilidade de devolver suas capsulas em mais de 4 mil agências e 15 mil postos de correios dentro da Austrália. A devolução também pode ser feita em 18 boutiques da Nespresso no país e 300 floriculturas. Segundo o Jornal Folha de São Paulo a importação de cápuslas de café pelo Brasil diminuiu nos primeiros oito meses do ano em 27%, indo de 54,7 mil sacas em 2015 para 39,9 mil sacas nesse ano. Os motivos são a valorização do dólar frente ao real, queda na renda dos brasileiros e aumento de produção de café em cápsula no território nacional. Ontem na Bolsa de NY, os contratos mar/17 fecharam a US$ 162,95 queda de 0,88% e mai/17 a US$ 165,30 queda de 0,87%.

Algodão

Embora no pregão de ontem tenha ocorrido realização de lucros, a pluma fechou em alta. A perspectiva de menor produção na China, demanda mais firme pela pluma dos EUA e menor oferta na Índia deram sustentação aos contratos. A China é o maior importador mundial, e os contratos da commodity registraram alta de 2,13%, o que reflete uma menor produção no país e demanda firme pela commodity. Ontem os contratos mar/17 fecharam a US$ 72,54, alta de 1,19% e mai/17 a US$ 73,07 alta de 1,09%.

Equipe:
Pedro Esberard Barbirato Rosa
pedro.rosa@modal.com.br

Katharyne Amorim Caiaffa
katharyne.caiaffa@modal.com.br

Rio de Janeiro 55 21 3223 7890 | 7934
São Paulo 55 11 2106 6880
www.modal.com.br

Fonte:
http://canaplan.com.br/noticias/setor-sucroenergetico
http://www.portaldoagronegocio.com.br/noticia/plantio-de-soja-no-brasil-segue-a-frente-da-media-historica-diz-consultoria-152253
http://www.valor.com.br/agro/4779797/commodities-agricolas
http://www.icafebr.com.br/publicacao2/v.%205%20n.9.pdf

1) Este documento é fornecido exclusivamente a título informativo e não deve ser considerado uma recomendação, sugestão de estratégia de investimento e/ou análise de valores mobiliários. Rentabilidades passadas não são garantia de rentabilidades futuras. O Banco Modal S.A. ou quaisquer das empresas que compõem o Grupo Modal (conforme definição legal) não expressam qualquer forma de garantia, implícita ou explícita, através do presente material.

2) Este material não leva em consideração objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas dos Investidores, que devem procurar aconselhamento financeiro destinado às suas necessidades antes de tomar qualquer decisão de investimento com base em informações contidas neste material. O material, inclusive, não representa o oferecimento de produtos, visto que tal oferta só pode ser feita mediante identificação do perfil de risco do cliente.

3) O presente material não representa a opinião do Banco Modal S/A bem como das demais empresas do Grupo Modal e seu conteúdo é de inteira responsabilidade dos responsáveis pela sua elaboração e das respectivas fontes utilizadas.

4) Esta comunicação deve ser lida apenas pelo seu destinatário e não pode ser retransmitida sem autorização formal. Caso recebida indevidamente, por favor destrua-a. Qualquer reprodução, disseminação, alteração, distribuição e/ou publicação deste e-mail é estritamente proibida.

Ouvidoria 0800 283 0077