Agenda

Açúcar e Etanol

Pedro Mizutani, presidente do conselho da Unica e vice-presidente de Relações Externas e Estratégicas da Raizen, esta acompanhando o Presidente Michel Temer em uma visita ao Japão. A visita da seguimento ao encontro dos países no G-20 e tem como pauta energias renováveis e consequentemente o setor sucroenegetico, podendo trazer bons negócios para o Brasil. A União Européia se prepara para por fim as cotações que limitavam a produção de açúcar nos países do bloco. Atualmente a cota de produção de açúcar é de 13,5 milhões de toneladas, especialistas prevêm um aumento de 20% na produção com a extinção da cota. A China enviou um documento ontem (20/10) convidando o Brasil para participar da audiência sobre o aumento das importações de açúcar pela China. O país relata que as altas importações estão prejudicando os produtores locais e solicita a salva-guarda, impedindo que países exportem açúcar para o país. O Brasil tem até 27 de Outrubro para se inscrever e participar da audiência que será realizada dia 10 de Novembro.

Com a perspectiva de déficit mundial de açúcar para as próximas temporadas, e sendo o Brasil o maior player do mercado, a Canaplan investiga o motivo do setor de açúcar no Brasil estar produzindo menos. Esse será um dos pontos discutidos no Seminário Internacional do Açúcar que será realizado dia 7 de Novembro em São Paulo. A queda se dá apenas por questões climáticas ou por políticas erráticas do Governo Dilma ou ainda por questões estruturais que estão levando os produtores a produzirem menos? Petrobras contratou o Banco Itau para assessorar a companhia na venda de 45,9% de sua participação na companhia de açúcar e etanol Guarani. O pricipal interessado é a companhia Tereos International, que já detém 54,1% da empresa. Uma realização de lucros de fundos, com uma liquidação de posições vendidas motivou a queda ontem na Bolsa de NY. Em relatorio divulgado na sexta-feira a Comissão de Negociação de Futuros de Commodities já havia informado que os fundos haviam reduzido 6,27% das suas posições em comparação com o dia 4. Ontem na Bolsa de NY o açúcar fechou a mar/17 US$ 22,62 queda de 1,44% e mai/17 a 21,99, queda de 1,35%. No mercado interno, o açúcar cristal em São Paulo fechou a R$ 98,57 a saca de 50kg, queda de 0,09%.

Grãos

Nos últimos anos o governo chinês tem incentivado o plantio de milho no país em detrimento do de soja. Mas agora, após acumular grandes estoques do cereal, o governo está adotando medidas contrárias, incentivando o plantio de soja ao invês do milho. A previsão é que a área de milho caia 0,7% ao longo dos próximos cinco anos chegando a 33,3 milhões de hectares. Já no mercado brasileiro a Algar Agro prevê que os negócios de venda de soja só devem evoluir na fase de colheita que será no primeiro trimestre de 2017. Atualmente com o cambio desfavorável e baixas cotações da oleaginosa, produtores travam as negociações em busca de melhores preços. Segundo a Consultoria França Junior até 7 de outubro apenas 24% do volume total da próxima safra havia sido negociado, ante 40% negociado no mesmo período da safra passada e 31% na média dos últimos cinco anos. Ontem na Bolsa de Chicago a soja mar/17 fechou a US$991,00 o bushel, queda de 0,58% e mai/17 a US$997,75 o bushel, queda de 0,57%.

Os produtores de milho no Brasil encerraram a última semana semeando 70% da área estimada de 805 mil toneladas, ante 64% da safra passada e 61% da média dos últimos cinco anos. O plantio agora deve ser mais lento, com previsão para terminar final de dezembro, pois os produtores começam o plantio de soja. Ontem na Bolsa de Chicago o cereal apresentou queda, após atingir na quinta-feira o seu valor máximo dos últimos três meses. A demanda firme pelo milho americano também pressionou os contratos com o USDA reportando que na semana do dia 7 a 13 de outubro foram embarcados 1,02 milhão de toneladas de milho, 17% acima do que na semana passada. O milho fechou mar/17 a US$360,75 o bushel, queda de 1,77% e mai/17 a US$ 367,50 o bushel, queda de 1,74%. No mercado interno o milho ficou em R$ 41,73 a saca de 60kg, queda de 0,97%.

Café

Ontem(20/10) o acumulado do dia no Brasil foi de 72,785 mil sacas de 60kg de café arábica embarcados e 0,32 mil sacas de 60 kg de café robusta, no mês de outubro o café arábica chega a 1.199,74 mil sacas de 60kg de arábica e 8,89 mil sacas de 60kg de café robusta. Com alta de 54,50% nos embarques para o café arábica comparado ao mês anterior e queda de 58,16% para o café robusta. Os contratos de café arábica ontem na Bolsa de NY voltaram a cair, pela desvalorização do dolar o que desestimula as exportações dos produtores brasileiros. Juros elevados, inflação em alta e perspectiva de grande entrada de dólares na economia brasileira pela Lei de Repatriação de Recursos, devem manter o dólar abaixo dos R$3,20. Ontem os contratos mar/17 fecharam a US$ 159,40, baixa de 1,21% e mai/17 a US$161,65, baixa de 1,13%. No mercado interno o grão em São Paulo ficou em R$507,50 a saca de 60kg, queda de 1%.

Algodão

O algodão tem sofrido pressão com a colheita da pluma nos EUA no qual o USDA reporta um aumento de oferta no país e no Mundo. Os preços dos contratos futuros estão na casa dos US$70. A China também pressiona o mercado ofertando um volume maior da commodity nos seus leilões do que inicialmente previsto. A China ainda irá realizar mais leilões para aliviar seus estoques, porém o restante pode afetar o mercado caso o algodão não tenha a qualidade determinada. Caso aconteça, uma alternativa seria a China importar mais fio, aumentando a compra de outros países, por exemplo o Vietña, para melhorar a qualidade do seu algodão. A safra passada de algodão no Brasil teve muitos problemas climáticos, e a área de plantio para a proxima temporada vai diminuir. Visto que apesar do aumento, a cotação a ~US$70 não irá atrair novos produtores para a próxima safra. Com isso prevemos um aperto de oferta de algodão para a safra 2017-18. Também podemos pelo lado da demanda prever uma desaceleração do consumo nos principais mercados, pela desaceleração da economia no Mundo. Roupas não estão mais no centro dos presentes, sendo muitas vezes substitiuidos por aparelhos eletrônicos. Ontem na Bolsa de NY a realização de lucros pressionou os contratos de algodão. A continuidade dos leiões na China e a nova expectativa do USDA, prevendo que o Texas irá colher 1,41 mil toneladas da pluma, 3,17% acima do estimado anteriormente, derrubou os contratos. O vencimento mar/17 fecharou US$70,08, queda de 1,92% e mai/17 a US$ 70,53, queda de 1,80%. No mercado interno o algodão na Bahia ficou em R$ 85,07 a @.

Equipe:

Pedro Esberard Barbirato Rosa
pedro.rosa@modal.com.br

Katharyne Amorim Caiaffa
katharyne.caiaffa@modal.com.br

Rio de Janeiro 55 21 3223 7890 | 7934
São Paulo 55 11 2106 6880
www.modal.com.br

Fonte:
http://canaplan.com.br/noticias/setor-sucroenergetico
https://www.agrolink.com.br/noticias/autoridades-chinesas-convidam-brasil-para-audiencia-em-investigacao-sobre-acucar_363836.html
https://www.agrolink.com.br/noticias/seminario-debate-os-rumos-do-mercado-mundial-de-acucar_363832.html
https://www.agrolink.com.br/noticias/china-vai-reduzir-plantio-de-milho-e-elevar-o-de-soja-nos-proximos-5-anos_363837.html
https://www.agrolink.com.br/noticias/nova-safra-de-soja-devera-ser-mais-negociada-no-mercado-a-vista–diz-algar-agro_363840.html
http://revistagloborural.globo.com/Noticias/Agricultura/Milho/noticia/2016/10/plantio-do-milho-atinge-70-da-area-no-rio-grande-do-sul.html
http://www.cecafe.com.br/dados-estatisticos/exportacoes-brasileiras/
http://seekingalpha.com/news/3215333-bloomberg-petrobras-hires-banco-itau-sell-stake-sugarcane-company?source=email_rt_mc_readmore&uprof=4&dr=1#email_link
http://www.valor.com.br/agro/4751369/commodities-agricolas

1) Este documento é fornecido exclusivamente a título informativo e não deve ser considerado uma recomendação, sugestão de estratégia de investimento e/ou análise de valores mobiliários. Rentabilidades passadas não são garantia de rentabilidades futuras. O Banco Modal S.A. ou quaisquer das empresas que compõem o Grupo Modal (conforme definição legal) não expressam qualquer forma de garantia, implícita ou explícita, através do presente material.

2) Este material não leva em consideração objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas dos Investidores, que devem procurar aconselhamento financeiro destinado às suas necessidades antes de tomar qualquer decisão de investimento com base em informações contidas neste material. O material, inclusive, não representa o oferecimento de produtos, visto que tal oferta só pode ser feita mediante identificação do perfil de risco do cliente.

3) O presente material não representa a opinião do Banco Modal S/A bem como das demais empresas do Grupo Modal e seu conteúdo é de inteira responsabilidade dos responsáveis pela sua elaboração e das respectivas fontes utilizadas.

4) Esta comunicação deve ser lida apenas pelo seu destinatário e não pode ser retransmitida sem autorização formal. Caso recebida indevidamente, por favor destrua-a. Qualquer reprodução, disseminação, alteração, distribuição e/ou publicação deste e-mail é estritamente proibida.

Ouvidoria 0800 283 0077