AÇÚCAR E ETANOL


Na atual safra 2016/17 a produção de açúcar no Brasil cresceu, porém os preços se mantém em patamares elevados, sendo o segundo maior, em termos reais, desde toda a série iniciada pelo Cepea em 2003. Os altos patamares se sustentam pelas perspectivas de défict global motivado por problemas na produção nos países como China, Índia e Tailândia. De abril a primeira quinzena de agosto o indicador Cepea/Esalq do açúcar cristal registra média de R$ 83,42/ saca de 50kg, 51,2% acima de igual período da safra passada. Com as altas cotações, as lavouras estão destinando mais cana a produção de açúcar, sendo em São Paulo 51,8% destinada a commodity, ante 48% no mesmo período do ano anterior. Uma ordem de compra de açúcar de uma empresa não identificada, em um momento de défict global, impulsionou os contratos ontem na bolsa de NY. Os contratos com vencimento mar/17 fecharam a US$ 20,88, avanço de 60 pontos. No mercado interno o açúcar cristal em São Paulo ficou em R$ 85,74 a saca de 50 kg, alta de 0,18%.

GRÃOS


No mês de agosto o dólar apresenta seu menor patamar, com média de R$ 3,20, apesar do recuo o custo de produção de soja em Mato Grosso segue o maior da história. A comercialização de insumos atingiu 90,1% em julho, com as cotações do dólar em patamares elevados, com um custo de produção de R$3.212 por hectar, o maior da história. Na última semana o preço do grão de soja em MT encerrou a R$72,23/saca, elevação de 3,29%, após nove semanas de quedas consecutivas. Os baixos volumes no último mês em MT, impactaram também no esmagamento da soja. O Estado processou cerca de 709 mil toneladas, apontando um recuo de 5%, sendo menor que o mesmo período nos últimos dois anos. Para agosto além da margem bruta das esmagadoras que vem se retraindo, a baixa disponibilidade do grão vem modificando as estratégicas de processamento, que devem ter mais um mês de pé no freio.


A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) realizará hoje (23/08) um leilão de 50 mil toneladas de milho armazenadas em MT, destinado a produtores de aves e suínos. Os preços foram fixados de R$24,45 a R$28,62 a saca, dependendo da região. A segunda safra de milho 2015/16, “safrinha”, sofreu com adversidades climáticas ao longo de seu desenvolvimento. A baixa pluviosidade na região de MT, principalmente no mês de abril foi um dos grandes motivos para a queda de produtividade. O regime de chuvas foi na média de 68,66 mm, abaixo do que convencionalmente se julga o mínimo necessário para um bom desenvolvimento. Após o mês de abril o índice pluviométrico reduziu para menos de 30mm até o fim do desenvolvimento das plantas, muito abaixo do esperado. A colheita em MT encerrou a última semana em 95,81% sobre a área semeada, e o abandono de 4,19% de área, representa 177,7 mil hectares de abandono de área.

CAFÉ

A seca que atingiu fortemente a região do ES, principal produtora de café robusta no Brasil, está fazendo muitas empresas exportadoras e armazens fecharem as portas. Após a terceira safra seguida de seca, a safra atual produziu 5,5 milhões de sacas, ante 9 milhões de sacas há dois anos atrás. O prejuízo estimado chega a R$2,5 bilhões, e com o real se valorizando frente ao dólar as exportações são ainda mais prejudicadas. Os efeitos climáticos também afetaram a produção de café arábica em MG na safra atual, com a ocorrência de geadas no estado. A Cooperativa Regional de Cafeicultura em Guaxupé (Cooxupé) prevê uma safra de café em MG de 17 a 18 milhões de sacas, redução de 6 milhões de sacas, frente a saca atual que variou de 23 a 26 milhões de sacas. Apesar da bianualidade da cultura, que alterna uma safra grande e uma menor a cada ano, as adversidades climáticas tornarão mais expressivas essas diferenças de produtividade. Com as perspectivas de baixas temperaturas no Sudeste do Brasil, ontem na Bolsa de NY, os contratos para dez/16 fecharam a US$ 1,4640 a libra-peso, avanço de 480 pontos.

ALGODÃO


De acordo com o último informativo divulgado pelo Imea, a colheita de algodão em MT avança para 84,3% dos 612 mil hectares plantados no Estado. A colheita segue em bom andamento reflexo do bom tempo nas últimas duas seamanas. Desde fevereiro desse ano o custo para a produção de algodão na atual safra 2016/17 vem caindo ao longo do ano em MT. No mês de julho os gastos foram de R$8.209,25, uma queda de 1,8% em relação a junho, porém ainda 7% superior a igual período da safra passada. O recuo do dólar foi o maior motivo para a queda do custo de produção, já que fertilizantes e defensivos representam 50% dos custos e são cotados na moeda americana. O preço da pluma em MT fechou R$ 79,05/@, recuo de 3,19%.

Fontes:
http://canaplan.com.br/noticias/setor-sucroenergetico
http://www.unica.com.br/noticia/20030441920332180623/precipitacao-das-chuvas-na-2-por-centoC2-por-centoAA-quinzena-de-agosto/
https://www.agrolink.com.br/noticias/apesar-do-recuo-do-dolar–custo-de-producao-da-soja-em-mato-grosso-segue-o-maior-da-historia_360237.html
http://revistagloborural.globo.com/Noticias/Agricultura/Milho/noticia/2016/08/conab-fixa-precos-de-r-2445-r-2862-saca-para-leilao-de-milho-na-terca-feira.html
http://www.imea.com.br/upload/pdf/arquivos/S103_Paper_abondono_area_milho_15_16.pdf
http://www.imea.com.br/upload/publicacoes/arquivos/R403_2016_08_19_BSMilho.pdf
http://g1.globo.com/espirito-santo/agronegocios/noticia/2016/08/seca-faz-armazens-de-cafe-fecharem-portas-no-es.html
http://revistagloborural.globo.com/Noticias/Agricultura/Cafe/noticia/2016/08/producao-mineira-de-cafe-deve-ser-menor-em-2017-avalia-cooxupe.html
http://www.valor.com.br//agro/4682755/commodities-agricolas
http://www.imea.com.br/upload/publicacoes/arquivos/22082016170637.pdf

1) Este documento é fornecido exclusivamente a título informativo e não deve ser considerado uma recomendação, sugestão de estratégia de investimento e/ou análise de valores mobiliários. Rentabilidades passadas não são garantia de rentabilidades futuras. O Banco Modal S.A. ou quaisquer das empresas que compõem o Grupo Modal (conforme definição legal) não expressam qualquer forma de garantia, implícita ou explícita, através do presente material.

2) Este material não leva em consideração objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas dos Investidores, que devem procurar aconselhamento financeiro destinado às suas necessidades antes de tomar qualquer decisão de investimento com base em informações contidas neste material. O material, inclusive, não representa o oferecimento de produtos, visto que tal oferta só pode ser feita mediante identificação do perfil de risco do cliente.

3) O presente material não representa a opinião do Banco Modal S/A bem como das demais empresas do Grupo Modal e seu conteúdo é de inteira responsabilidade dos responsáveis pela sua elaboração e das respectivas fontes utilizadas.

4) Esta comunicação deve ser lida apenas pelo seu destinatário e não pode ser retransmitida sem autorização formal. Caso recebida indevidamente, por favor destrua-a. Qualquer reprodução, disseminação, alteração, distribuição e/ou publicação deste e-mail é estritamente proibida.

Ouvidoria 0800 283 0077