Agenda

Açúcar e Etanol

Plinio Natari da DATAGRO apresentou algumas projeções na 16ª Conferência Internacional da Datagro sobre Açúcar e Etanol. A produção de açúcar tem perspectiva de crescimento, visto que as usinas estão aumentando sua produção de açúcar em detrimento ao etanol. Em 2015/16 as usinas produziram 34 milhões de toneladas, e 16/17 com projeção para 37,1 milhões de toneladas. Com isso a projeção de produção de etanol em 2015/16 foi de 30,3 bilhões de litros e com projeção para ir para 27,5 bilhões de litros para a próxima safra. O mix de produção de etanol esta indo de 59,1% para 54,7% e o de açúcar de 40,9% para 45,3%, aumentando a produção de açúcar pelas usinas. Em 13/out o etanol hidratado totalizou alta de 2,6% sendo cotado a R$2,049/litro, com alta acumulada de 15,2% em um mês.

Ontem o Brasil contestou a China na Organização Mundial do Comércio (OMC) a respeito da investigação que Pequim iniciou na Organização. A China alega que as importações de açúcar pelo país aumentaram de 21,23% para 32,09% entre 2011 e 2015 e solicita a “salva-guarda”. Pequim impõe uma cota de 1,945 milhão de toneladas com alíquota de 15% de importação, fora da cota o produto pagará 50% de tarifa, para proteger a indústria de açúcar local. O que ocorre é que o Brasil é tão competitivo no mercado que consegue vender todo o açúcar da cota, e ainda fora dela e continuar competitivo. O Brasil solicitou um encontro bilateral com os chineses para tentar reverter o estrago que pode vir a acontecer caso a China saia vitoriosa da investigação. Ficamos no aguardo dos próximos passos da investigação. Ontem na Bolsa de NY o açúcar fechou a mar/17 US$ 23,20 alta de 2,16% e mai/17 a 22,53 alta de 2,08%.

Grãos

A China continua com ritmo forte de importações de soja, no acumulado do ano o total esta em 61,2 milhões de toneladas, alta de 2,6%. Apesar do Brasil ainda ser o maior exportador de soja para a China, os EUA vem ganhando mercado. Os preços da soja brasileira estão elevados, pela escassez do cereal no país por problemas climáticos na semeadura da commodity, já os EUA estão ainda na fase de colheita e com previsão de uma grande safra. No acumulado do ano o Brasil embarcou 35,5 milhões de toneladas para os chineses, alta de 7,6% e os EUA embarcaram 17,5 milhões de toneladas, alta de 2,9%. O destaque é para o mês de agosto que o Brasil teve queda de 26,8% das importações para a China e os EUA com aumento de 201 toneladas para 1,36 milhão de toneladas.

A demanda firme pela soja americana continua dando sustentação aos contratos. O USDA reportou que na semana encerrada dia 20/out o país embarcou 2,74 milhões de toneladas de soja, 9,16% acima do que na semana anterior, trata-se um volume bem alto comparado ao período. A perspectiva ainda é de safra recorde, chegando a 116,18 milhões de toneladas. Ontem na Bolsa de Chicago a soja jan/17 fechou a US$ 1.002,25,alta de 10 centavos, mar/17 fechou a US$1.009,00 o bushel, alta de 1,03% e mai/17 a US$1.015,50 o bushel, alta de 0,99%. No mercado interno a soja ficou em R$76,33 por saca, leve queda de 0,05%

O baixo desempenho dos embarques de milho americano e o avanço da colheita pressionaram o cereal ontem na Bolsa de Chicago. Na semana encerrada dia 20/out os EUA embarcaram 541,53 mil toneladas do cereal, uma queda de 38,3% na comparação com a semana passada. Os EUA devem produzir 382,48 milhões de toneladas na a safra atual. O milho fechou mar/17 a US$358,00 o bushel, queda de 1,17% e mai/17 a US$ 365,00 o bushel, queda de 1,08%. No mercado interno o milho ficou em R$ 40,40 a saca de 60kg, queda de 1,7%.

Café

O Ministério da Agricultura repassou R$ 2,622 bilhões de recursos para o Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé), o que representa 57,17% do total repassado para o Fundo. Do total encaminhado para os bancos e coopetaivas de crédito até ontem, R$1,339 bilhão foram destinados a linha de estocagem e R$ 724 milhões para Financiamento para Aquisição de Café (FAC). Ontem os contratos mar/17 fecharam a US$ 161,40 alta de 1,13% e mai/17 a US$163,65, alta de 1,14%.

Algodão

O avanço da colheita de algodão nos EUA pressionou os contratos ontem na Bolsa de NY. O USDA reportou que até o último domingo a colheita avançava 39% da área plantada, igual ao mesmo período do ano passado, mas acima dos 37% da média dos último cinco anos. As condições das lavouras boas ou excelentes melhoraram 1 ponto, indo para 48%. O vencimento mar/17 fechou US$69,22, queda de 0,36% e mai/17 a US$ 69,78, queda de 0,27%. No mercado interno o algodão na Bahia ficou em R$ 85,41 a @.

Equipe:

Pedro Esberard Barbirato Rosa
pedro.rosa@modal.com.br

Katharyne Amorim Caiaffa
katharyne.caiaffa@modal.com.br

Rio de Janeiro 55 21 3223 7890 | 7934
São Paulo 55 11 2106 6880
www.modal.com.br

Fonte:
http://www.dci.com.br/agronegocios/brasil-perde-espaco-para-eua-nas-entregas-de-soja-na-china-em-setembro-id582731.html
http://www.valor.com.br/agro/4754561/esquenta-disputa-do-acucar-com-os-chineses
http://www.valor.com.br/agro/4754557/commodities-agricolas

1) Este documento é fornecido exclusivamente a título informativo e não deve ser considerado uma recomendação, sugestão de estratégia de investimento e/ou análise de valores mobiliários. Rentabilidades passadas não são garantia de rentabilidades futuras. O Banco Modal S.A. ou quaisquer das empresas que compõem o Grupo Modal (conforme definição legal) não expressam qualquer forma de garantia, implícita ou explícita, através do presente material.

2) Este material não leva em consideração objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas dos Investidores, que devem procurar aconselhamento financeiro destinado às suas necessidades antes de tomar qualquer decisão de investimento com base em informações contidas neste material. O material, inclusive, não representa o oferecimento de produtos, visto que tal oferta só pode ser feita mediante identificação do perfil de risco do cliente.

3) O presente material não representa a opinião do Banco Modal S/A bem como das demais empresas do Grupo Modal e seu conteúdo é de inteira responsabilidade dos responsáveis pela sua elaboração e das respectivas fontes utilizadas.

4) Esta comunicação deve ser lida apenas pelo seu destinatário e não pode ser retransmitida sem autorização formal. Caso recebida indevidamente, por favor destrua-a. Qualquer reprodução, disseminação, alteração, distribuição e/ou publicação deste e-mail é estritamente proibida.

Ouvidoria 0800 283 0077