AGENDA

AÇÚCAR E ETANOL


A União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica) defende que o governo reduza o preço da gasolina e substitua pelo aumento da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide), com a manutenção dos preços do combustível na bomba. Com a medida, o governo aumentaria arrecadação, não geraria inflação e ainda teria um efeito de “tributação ambiental” via Cide. A Unica também não vê espaço para a elevação dos preços do etanol hidratado. E caso aumente, vai perder a paridade, cairá a demanda e a oferta se ajusta. O preço do etanol hidratado sobe há quatro semanas e saiu de R$1,5473 em média para R$1,6910, alta de 9,3%.

O Ministério do Comércio da China anuncia uma investigação sobre as importações de açúcar do país nos última cinco anos. As cotações mínimas estabelecidas pelas regiões chinesas produtoras, inflou o preço doméstico e estimulou a importação da commodity. Atualmente o governo conta com um alto estoque da commodity de 7 milhões de toneladas e o objetivo é iniciar as vendas com uma oferta inicial de 2 milhões de toneladas nos próximos 12 meses. O açúcar permanece em alta na Bolsa de NY, com o vencimento mar/17 a US$23,12 avanço de 42 pontos. No mercado interno o açúcar cristal em SP fechou R$ 89,06 a saca de 60kg, alta de 0,46%.

GRÃOS


A semeadura do soja no MT já foi iniciada atingindo 1,2% da área total. Observa-se que a semeadura foi iniciada pelos produtores que tem pivô ou que as regiões já apresentam índices pluviométricos ideais. A região médio-norte apresenta uma previsão de pluviosidade em set/16 superior a igual período do ano passado e a média dos últimos 5 anos. Já as regiões sudeste e nordeste de MT apresentaram em set/16 uma pluviosidade abaixo comparado ao mesmo período do ano passado , porém em out/16 para a região sudeste espera-se uma recuperação da pluviosidade. Com o avanço da colheita nos EUA e os altos índices de produtividade registrados até o momento, o preço da soja opera em queda na Bolsa de Chicago e no mercado interno. Ontem na Bolsa de Chicago os vencimentos jan/17 fecharam a US$ 9,515 o bushel, qeuda de 9,50 centavos. No mercado interno a soja em Paranaguá ficou em R$ 78,11 a saca de 60kg, queda de 0,52%.


Agricultores catarinenses voltam a investir na produção de milho
Os preços do frete de milho de Sorriso para Santos e Miritituva estão em patamares historicamente baixos, chegando no mês de set a R$ 228,33/t e R$ 154,67/t, 23,2% e 14,9% inferiores a igual período do ano passado. A queda nos preços se da pela conjuntura atual do mercado de milho brasilerio, que opera com uma boa oferta, mas uma demanda que não a comporta. As cotações ainda se mantem em patamares elevados e uma produção brasileira menor que o esperado vem motivando os vendedores a segurarem o produto internamente, reduzindo assim a demanda pelo frete. A 10ª Estimativa de Safra de Milho do Imea aponta uma queda de 2,2% em relação a previsão anterior, com MT atingindo uma média de 74 sca/hc, 27,8% menor que a safra anterior. Com a região nordeste do estado sendo a mais atingida com perda de produtividade de 62,2%. Segundo o USDA a colheita de milho nos EUA já atinge 15% da área até o último dia 25, abaixo dos 16% vistos em igual período do ano anterior e abaixo da média de 19% dos últimos cinco anos. As condições climáticas favoráveis nos EUA pressionaram o cereal na Bolsa de Chicago. Ontem os contratos mar/17 fecharam a US$ 3,39 o bushel, recuo de 7,25 centavos. No mercado interno o milho fechou a R$40,47 a saca, queda de 1,20%.

CAFÉ


As dúvidas com relação a próxima safra de café brasileiro 2017/18 sustentou o café ontem na Bolsa de NY. O Escritório Carvalhares reporta que a safra de café arábica será de nível baixo, e as secas no ES e BA, principais estados produtores do café robusta, continuarão. A quebra da safra de café robusta no país tem intensificado a procura do café arábica que sustenta as cotações da commodity. Os contratos dez/16 fecharam a US$ 1,5355 alta de 215 pontos e o mar/17 US$ 1,5685 a libra-peso, alta de 225 pontos. No mercado interno o grão em SP ficou em R$ 504,65 a saca de 60kg, alta de 1,66%.

ALGODÃO


Clima afeta lavouras de algodão e produção em Mato Grosso tem queda de 4%
A produção de algodão na China, principal mercado têxtil do mundo, será melhor do que o esperado com condições climáticas ao longo do verão favoráveis as lavouras. A temporada que se encerra em set/17 tem previsão de produção de 4,91 milhões de toneladas, 5,6% abaixo do ano atual, mas 1,6% acima da estimativa anterior divulgada em junho. A última semana foi uma “montanha-russa” no mercado internacional do algodão. O início da semana foi marcado por forte valorização, motivado pelo encerramento dos leilões chineses de algodão no seu mercado interno. Porém o final da semana reverteu parte dos ganhos pela alta do dólar, queda do petróleo, o que acarretou a realização de lucros por parte dos especuladores. Mesmo assim a commodity fechou a semana passada com valorização de 4,1%. Ontem na Bolsa de NY os contratos out/16 fecharam a US$ 69,16 centavos de dólar por libra-peso, alta de 0,08% e dez/16 a US$ 70,08, alta de 0,01%. No mercado interno o algodão em Sorriso fechou a R$ 77,60/@, alta de 0,23%.

Fonte
http://revistagloborural.globo.com/Noticias/Agricultura/Cana/noticia/2016/09/unica-ve-espaco-para-baixar-gasolina-e-aumentar-cide.html
http://www.valor.com.br/agro/4726035/com-acucar-china-comeca-rever-politica-de-estoques
http://canaplan.com.br/noticias/setor-sucroenergetico
http://www.imea.com.br/upload/publicacoes/arquivos/26092016172710.pdf
http://revistagloborural.globo.com/Noticias/Agricultura/Soja/noticia/2016/09/preco-da-soja-cai-no-mercado-brasileiro.html
http://www.valor.com.br/agro/4726033/commodities-agricolas
https://www.agrolink.com.br/noticias/preco-da-soja-segue-em-queda-nos-eua—analise-agrolink_362410.html
http://www.imea.com.br/upload/publicacoes/arquivos/26092016172537.pdf
http://www.portaldoagronegocio.com.br/noticia/imea-revisa-dados-e-produtividade-da-ultima-safra-de-milho-e-ainda-menor-no-estado-150189
http://www.portaldoagronegocio.com.br/noticia/china-deve-colher-safra-de-algodao-maior-que-o-esperado-em-2016-17-150182

Rio de Janeiro 55 21 3223 7700
São Paulo 55 21 2106 6880

salestrading@modal.com.br
www.modal.com.br

1) Este documento é fornecido exclusivamente a título informativo e não deve ser considerado uma recomendação, sugestão de estratégia de investimento e/ou análise de valores mobiliários. Rentabilidades passadas não são garantia de rentabilidades futuras. O Banco Modal S.A. ou quaisquer das empresas que compõem o Grupo Modal (conforme definição legal) não expressam qualquer forma de garantia, implícita ou explícita, através do presente material.

2) Este material não leva em consideração objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas dos Investidores, que devem procurar aconselhamento financeiro destinado às suas necessidades antes de tomar qualquer decisão de investimento com base em informações contidas neste material. O material, inclusive, não representa o oferecimento de produtos, visto que tal oferta só pode ser feita mediante identificação do perfil de risco do cliente.

3) O presente material não representa a opinião do Banco Modal S/A bem como das demais empresas do Grupo Modal e seu conteúdo é de inteira responsabilidade dos responsáveis pela sua elaboração e das respectivas fontes utilizadas.

4) Esta comunicação deve ser lida apenas pelo seu destinatário e não pode ser retransmitida sem autorização formal. Caso recebida indevidamente, por favor destrua-a. Qualquer reprodução, disseminação, alteração, distribuição e/ou publicação deste e-mail é estritamente proibida.

Ouvidoria 0800 283 0077