Alupar descontrata energia

A empresa informou que conseguiu descontratar 100% da energia vendida pelas PCHs Verde 8 e Água Limpa. Essa energia foi vendida nos Leilões de Energia Nova 16º e 18º. A energia foi descontratada no Mecanismo de Compensação de Sobras e Déficits. Notícia neutra porque já esperada.

Vendedores protocolam pedido de registro de Oferta de ações do IRB na CVM

O pedido de registro de companhia aberta e de autorização para realização de oferta pública do IRB foi protocolado ontem na CVM e envolve a distribuição pública secundária de ações ordinárias de emissão do IRB. Segundo os vendedores, a realização da Oferta dependerá de condições favoráveis dos mercados de capitais nacional e internacional.

Exame.com afirma que minoritários vão pedir a saída de Wesley Batista da presidência da JBS

Em meio a toda a polêmica que envolve os donos da JBS, Joesley Batista renunciou à sua posição de presidente e membro do Conselho do frigorífico e dos Comitês dos quais participava. Foi substituído por Tarek Farahat, até então membro do CA, na presidência do órgão. Por outro lado, seu irmão Wesley Batista foi substituído por José Batista Sobrinho na vice-presidência do CA, mas se manteve como membro do colegiado e presidente-executivo da JBS. Para o bem da empresa e da governança que seus executivos afirmam que ela tem, achamos que Wesley Batista, José Batista Sobrinho e qualquer membro da família Batista devem renunciar a seus cargos na JBS, executivos ou não.

São Carlos vende Edifício Mykonos

Através da subsidiária Top Center Empreendimentos e Participações Ltda., a São Carlos vendeu por R$ 41,3 milhões os 57% de sua participação no Edifício Mykonos, um conjunto de escritórios de alto padrão na Vila Olímpia em São Paulo. Disse a São Carlos que o valor de venda foi acima do valor de avaliação e os recursos já foram recebidos integralmente. Com esta transação, o portfólio da São Carlos e suas controladas passa a ter 83 imóveis, com ABL própria de 419.367 m2 e valor de mercado estimado em R$ 4,3 bilhões. Notícia positiva.

Convenção Internacional passa a reger questões sobre extravios de bagagem em voos internacionais de brasileiros

O Pactual de Montreal substitui o Código de Defesa do Consumidor para os casos de indenização aos passageiros em função de extravios de bagagem. Pelo Código brasileiro não há limite de valor para a indenização, já no caso da regra internacional existe um limite de R$ 4,5 mil por bagagem extraviada. A mudança assemelha a regra do Brasil a de outros países neste polêmico assunto, o que é positivo. Porém, considerando o valor da indenização, o consumidor perde e as companhias aéreas ganham