Brasil Brokers passa a comercializar consórcio de imóveis

A corretora iniciou parceria comercial com a Conseg Administradora de Consórcios para oferta e distribuição de consórcio imobiliário. O consórcio imobiliário é uma modalidade de compra baseada na união de pessoas físicas ou jurídicas em grupos, com a finalidade de formar poupança para a aquisição de imóveis. Este segmento passa a agregar a plataforma de comercialização de serviços da Brasil Brokers, operado sob a marca Credimorar. A Conseg, empresa que opera em consórcios desde 1992, será responsável pela administração dos grupos de consórcios e a Brasil Brokers receberá da Conseg uma comissão por cada operação realizada durante a parceria. Notícia positiva.

Light vai emitir debêntures

A Light submeteu à ANBIMA um pedido de análise prévia para registro de oferta pública de, inicialmente, 400.000 debêntures simples, nominativas, escriturais, não conversíveis em ações, da 13ª emissão da Companhia, com valor nominal unitário de R$ 1.000,00 (mil reais) na data de emissão, perfazendo o montante de R$ 400 milhões. Notícia neutra.

Prumo: subsidiária Açu Petróleo em crise com a Shell

Em comunicado ao mercado de hoje a Prumo informa que a Shell decidiu unilateralmente não demandar os serviços do Açu previstos em contrato e não tem cumprido suas obrigações de take or pay ao não pagar as faturas devidas desde junho de 2017. Segundo a Prumo, o Açu tentou e continua a empregar seus melhores esforços para obter amigavelmente o cumprimento da Shell de suas obrigações no âmbito do Contrato de Serviços de Transbordo de Petróleo, assinado em 3 de junho de 2015. O acordo prevê que a Shell utilize a infraestrutura e os serviços do Açu por 20 anos em regime de take-or-pay, a fim de transferir um volume médio de até aproximadamente 200 mil barris por dia, de acordo com o crescimento previsto no cronograma de produção da Shell. No início de maio deste ano ocorreu um incidente e desde então a Shell descumpre sua parte no Contrato. Considerando o impacto financeiro adverso que a Açu Petróleo S.A. suportará como consequência do descumprimento da Shell, a Prumo informa que deve buscar o pagamento imediato das faturas pendentes e reivindicar todos os danos incorridos advindos do inadimplemento supramencionado. Notícia negativa.