BRF: desdobramento das decisões da Previ e Petros

Abílio Diniz, presidente do Conselho de Administração da BRF, convocou, reunião Extraordinária do CA a ser realizada no próximo dia 5 de março, para apreciar os termos de correspondência encaminhada pela Previ e Petros e deliberar sobre o pedido de convocação de Assembleia Geral Extraordinária para destituir o atual Conselho de Administração da BRF. Em seguida, a Companhia comunicou a renúncia de Hélio Rubens ao cargo de Diretor Vice-Presidente de Operações Globais. Esta é a primeira baixa da diretoria executiva após a decisão dos fundos de pensão.

CSN recorre ao Cade contra a compra da Votorantim pela Arcelor Mittal

Contra quatro votos a dois, o Cade aprovou, no início de fevereiro, a compra da Votorantim pela Arcelor Mittal. A CSN pede a anulação do julgamento e uma nova análise da operação e decidirá seus próximos passos após o julgamento do embargo, o que pode incluir um recurso à Justiça. A motivação da CSN é um relatório do Departamento de Estudos Econômicos (DEE) do Cade que, inclusive, foi questionado por um dos conselheiros que disse que o documento apresenta premissas “falhas” e que levam a conclusões erradas. A CSN argumenta que se o relatório tivesse sido apresentado antes, ele poderia ter mudado o voto dos conselheiros que votaram a favor da compra da Votorantim pela Arcelor Mittal. Vamos aguardar.

EMBRAER:

enquanto a mídia dá como certa a criação de uma empresa, da qual a Embraer teria 49% de participação e a Boeing 51%, a própria Embraer em resposta ao questionamento da CVM afirmou hoje que “até o momento não há definição acerca da estrutura da referida combinação de negócios, incluindo os percentuais que as partes eventualmente possuirão caso venha a ser implementada a referida combinação de negócios. A Embraer reitera que não há garantia de que a referida combinação de negócios venha a se concretizar. Quando e se definida a estrutura para combinação de negócios, sua eventual implementação estará sujeita à aprovação não somente do Governo Brasileiro, mas também dos órgãos reguladores nacionais e internacionais e dos órgãos societários das duas companhias.”