CIA HERING: lucro cresce 29%

As vendas brutas totalizaram R$ 388,97 milhões no 1T17, 3,4% superior ao 1T16, influenciadas pelo desempenho de lojas próprias e webstores, além da recuperação de vendas no canal multimarcas. A receita líquida cresceu 4,5%, para R$ 328,49 milhões. O lucro líquido foi de R$ 37,8 milhões, alta de 29,2% quando comparado ao 1T16, em função dos crescimentos do resultado operacional e da receita financeira líquida, além da menor taxa efetiva de imposto de renda.

COPASA: lucro cresce 66%

O resultado líquido atingiu R$ 149 milhões, contra R$ 89,8 milhões no 1T16, um aumento de 65,9%. Apesar de a Receita Líquida ter crescido apenas 3,2%, a empresa obteve significativa redução de custos: a margem bruta melhorou cerca de 10 p.p. e a margem operacional teve acréscimo de 7 p.p.. O resultado financeiro líquido negativo caiu 25,1%, contribuindo positivamente para a formação do resultado final.

FLEURY: lucro cresce 82%

No primeiro trimestre a receita líquida atingiu crescimento de 15,7%, resultado da combinação da demanda pelos serviços da Fleury com a redução do índice de glosas na comparação com o mesmo período no ano passado. A evolução da receita líquida aliada à gestão de custos e despesas resultaram em uma alta de 42,3% no Ebitda, que atingiu margem de 29,5%. O lucro líquido foi expandido em 82,6% ao registrar R$ 81,6 milhões e a geração de caixa avançou 10%, alcançando R$ 85,9 milhões.

JSL: reverte lucro em prejuízo

No 1T17, a receita bruta consolidada atingiu R$ 2 bilhões, apontando crescimento de 16,3% a/a, e foi composta por: R$ 1,3 bilhão com receita de serviços, R$ 461,1 milhões proveniente de venda de ativos, R$ 217,9 milhões da JSL Concessionárias e R$10,7 milhões da JSL Leasing. Apesar da evolução da receita, a JSL reportou mais um prejuízo líquido, desta vez de R$ 7 milhões, impactado por fatores macroeconômicos, como a desaceleração econômica e a consequente redução do volume de produção dos clientes da Logística.

MOVIDA: lucro cresce 56,2%

A receita líquida registrou R$ 615,1 milhões no 1T17, um aumento de 51,7% em relação ao 1T16, devido principalmente à expansão de 73,2% na receita com venda de ativos. O lucro líquido, de R$ 20,6 milhões no 1T17, com margem líquida de 8,4%, equivale a um aumento de 56,2% quando comparado ao 1T16.

P.ACUCAR-CBD: reverte prejuízo em lucro

O lucro atribuído aos sócios da empresa controladora apurado no 1T17 foi de R$ 125 milhões e reverteu o prejuízo de R$ 51 milhões no 1T16. Esse resultado reflete um crescimento da receita líquida consolidada da ordem de 6,7%, manutenção da margem bruta em torno de 22% e redução de despesas operacionais. O lucro consolidado, de R$ 214 milhões, incorpora R$ 133 milhões de operações descontinuadas da Via Varejo.

RAIADROGASIL: lucro cresce 15%

Encerrou o 1T17, com uma receita bruta consolidada de R$ 3,2124 bilhões, um incremento de 21,6% em relação ao ano anterior. Nossas operações de drogarias registraram um crescimento de 20,4%, enquanto a 4Bio cresceu 66,6%. A venda de medicamentos foi o destaque do trimestre. Os Genéricos cresceram 25,4%, elevando em 0,4 p.p. a sua participação no mix de vendas, e foram seguidos pelos Medicamentos de Marca, que cresceram 24,2%. OTC teve crescimento de 21,2% e aumentou sua participação em 0,1 p.p., enquanto a perfumaria cresceu apenas 12,3% e perdeu 1,9 p.p. no mix de vendas. O lucro do trimestre atingiu R$ 103,8 milhões, crescimento de 15% sobre os R$ 90 milhões do 1T16.

SMILES: lucro cresce 32%

Seguiu apresentando evolução positiva nos indicadores operacionais e financeiros. Houve altas de 51,7% no volume de milhas acumuladas e de 52,2% no volume de milhas resgatadas em comparação ao 1T16. A receita bruta de resgates subiu 26,4% em relação ao 1T16, reflexo do crescimento de 22,0% da receita de resgate de milhas e de 45,7% da receita de breakage. A receita líquida atingiu R$ 443,3 milhões de janeiro a março deste ano, ante R$ 350,6 milhões em igual período de 2016. A Smiles obteve lucro líquido trimestral de R$ 156,3 milhões, representando margem líquida de 35,3%, 1,5 p.p superior ao 1T16.

TIM PART S/A: lucro cresce 3%

O resultado líquido chegou a R$ 132 milhões, apenas 3,3% superior ao 1T16 (lucro líquido de R$ 127,9 milhões). Os problemas do setor e da empresa tiveram continuidade, resultando em crescimento de apenas 2,5% na Receita Líquida. Apesar disso, a empresa obteve bom resultado operacional (crescimento de 29,5%), devido a reduções de custos que foram obtidas. O resultado financeiro líquido negativo cresceu 50%, praticamente anulando o bom resultado operacional.

Celesc divulga entregas de energia no 1T17

As entregas totais chegaram a 7,9%, tendo o mercado cativo caído cerca de 2% e o mercado livre crescido 37,6%. O consumo residencial teve forte crescimento (+10,8%), mas a classe industrial continua muito afetada, com 29,3% de queda. Notícia neutra.

Light divulga números de entrega de energia referente ao 1T17

No segmento de distribuição, as entregas totais de energia cresceram 7,5%, com destaque para a classe residencial (+16,2%), seguido pela classe industrial com acréscimo de 4,7%. No segmento de geração, as entregas cresceram 17,1%. Consideramos os números bastante positivos.

Lojas Renner

inaugurou duas lojas Camicado na Região Nordeste, em Teresina e Salvador, uma loja Renner na Região Sudeste, em Itaquaquecetuba, e uma loja Youcom na Região Sul. em Passo Fundo. De janeiro a 27 de abril de 2016 foram inauguradas 17 lojas e até 27 de abril de 2017 foram inauguradas 16 lojas. Com estas inaugurações, a Lojas Renner totaliza 458 lojas, sendo 305 lojas Renner, 87 Camicado e 66 Youcom.

Senior Sol

na quarta-feira a Companhia recebeu da BM&FBovespa um parecer favorável da Comissão de Listagem à migração de suas ações para o Novo Mercado. Ontem, o Conselho de Administração da Senior Solution deliberou submeter a proposta de migração à Assembleia Geral.