Cemig anuncia plano de desinvestimentos

Durante o “XXII Encontro Anual da Cemig com o Mercado de Capitais”, esta anunciou um “plano de desinvestimentos, com potencial, estimado pela companhia, de gerar recursos da ordem de R$ 6,5 bilhões. Os ativos à venda se constituem basicamente em participações da companhia em diversas empresas do setor elétrico e mesmo fora dele. Os maiores destaques são: a participação de 19% na Taesa, com potencial de gerar recurso para a Cemig de R$ 1,4 bilhão, a participação de 12% na Norte Energia (UHE Belo Monte) com potencial de R$ 1,4 bilhão e a participação de 18% na Santo Antônio Energia (UHE Santo Antônio) com potencial de R$ 1,3 bilhão. Notícia neutra.

OGpar e OGX pedem encerramento da Recuperação Judicial

OGPar, OGX, OGX Austria GmbH e OGX International GmbH ingressaram, junto ao juízo da 4ª Vara Empresarial da Comarca da Capital do Rio de Janeiro, pedido de encerramento do processo de Recuperação Judicial. As empresas afirmam que conforme dispõe a Lei de Falências, elas cumpriram com todas as obrigações previstas em seus respectivos Planos de Recuperação Judicial até 2 anos após a concessão da recuperação, em 30 de outubro de 2013. Naquele ano as empresas apresentavam dívidas superiores a R$ 13,8 bilhões. Em 16 de outubro de 2014, a OGX realizou o aumento de capital que converteu créditos concursais e extraconcursais em ações, marco importante para a reestruturação das empresas. Notícia positiva.

Triunfo: citação do BNDES quanto à execução de empréstimo-ponte da controlada Concer

Desde fevereiro o BNDES move ações de execução de dívida contra a Triunfo e suas controladas, Concer e Concebra, para que elas efetuem, em parcela única, o pagamento dos empréstimos-ponte concedidos pelo Banco. Agora a Triunfo informou que a Concer recebeu ontem o mandado de citação referente à execução de sua dívida. No caso da Concer, o valor executado é de R$ 219 milhões, vencido em novembro de 2016. No caso da Concebra, a dívida é de R$ 760 milhões, vencida em dezembro de 2016. Em fevereiro, a exigibilidade de tais dívidas já estava sendo controvertida em ações que a Companhia ajuizou, juntamente com suas controladas, em face do BNDES, perante a Seção Judiciária Federal do Rio de Janeiro. Notícia negativa.

Consumo de energia cai 2,3% em abril, segundo EPE

O consumo de energia elétrica na rede totalizou 39.167 Gwh em abril, retração de 2,3% em relação ao mesmo mês de 2016. Os dados constam da publicação Resenha Mensal da Empresa de Pesquisa Energética. Todas as regiões do país assinalaram retração na demanda de eletricidade em abril, sendo os maiores recuos observados no Sudeste com queda de 3,4%, Nordeste ficou 1,5% negativo e Centro-Oeste em 3,1%. Enquanto o mercado cativo das distribuidoras apresentou redução de 10,2% em abril e de 4,8% em 12 meses, o consumo livre aumentou 21,8% no mês e 15,6% em 12 meses. Notícia negativa, particularmente para distribuidoras de energia elétrica.