Cemig dá continuidade à reestruturação

A Cemig concluiu o processo de transferência de algumas de suas linhas de transmissão para a Taesa, tendo recebido o valor de cerca de R$ 56 milhões por essas participações acionárias. Simultaneamente, adquiriu participação adicional nas empresas Luce Empreendimentos e Participações S.A. e Rio Minas Energia Participações S.A., aumentando, assim, indiretamente, sua participação na Light S.A. O valor gasto nesta transação é da ordem de R$ 1 bilhão. Tais movimentos societários já eram previstos e fazem parte do processo de desinvestimentos que a empresa vem realizando, no intuito de reduzir sua alavancagem financeira. Este último evento, embora tenha envolvido desembolso por parte da empresa, deve resultar em maior entrada de caixa no futuro, em virtude da declarada intenção de venda da participação na Light S.A. Notícias positivas.

Assembleia de Credores aprova o Plano de Recuperação Judicial da PDG Realty

O plano aprovado prevê a venda de ativos e a conversão de dívidas em ações e não está prevista a injeção de recursos novos no capital da companhia. Em entrevista a jornalistas, o diretor presidente da incorporadora, Vladimir Ranevsky, afirmou que a PDG está agora liberada para vender ativos, essencial para obtenção de caixa e execução do plano de recuperação. Vladimir afirmou que boa parte do estoque de imóveis estava preso como garantias a credores até que o encaminhamento da dívida fosse definido. “Estava tudo travado.” O estoque da companhia é avaliado em R$ 2,3 bilhões, incluindo unidades prontas e em obras. A PDG também tem o desafio de concluir 19 obras, cujo custo a incorrer gira em torno de R$ 730 milhões, mas ainda não há prazo para retomada dos canteiros que estão parados. O presidente estimou que a PDG é capaz de voltar a lançar novos empreendimentos imobiliários a partir de 2019. “No próximo ano vamos estruturar esses projetos e acho que conseguiremos lançar em 2019. Os lançamentos estão, definitivamente, em nossos planos. Vamos tentar antecipar o máximo possível”, afirmou Vladimir. Em um País com histórias de insucesso no quesito recuperação judicial de empresas, a aprovação do Plano de Recuperação já é uma vitória a ser comemorada. Desejamos boa sorte à PDG.

Prumo: valor econômico fixado em R$ 9,94/ação

O Laudo de Avaliação elaborado pela Brasil Plural, atualizado de acordo com a data-base do ITR do 3T17 indica R$ 9,94 por ação como valor econômico e justo das ações
da Companhia com a faixa de preço variando entre R$ 9,44 a R$ 10,44. O preço será utilizado na OPA para aquisição das ações de emissão da Prumo para cancelamento de registro na categoria A e saída do Novo Mercado, a ser realizada por seus acionistas controladores.

Consumo de energia cresce 2,8% em outubro, segundo EPE

Segundo a Empresa de Pesquisa Energética, o consumo de energia elétrica na rede das distribuidoras totalizou 39.131 Gwh em outubro, volume 2,8% acima do patamar registrado nesse mesmo mês no ano passado. Esse foi o melhor resultado mensal no ano. Todas as regiões do país apresentaram taxas positivas, com destaque para o Sul (+6,3%), Centro-Oeste (+3,8%) e Norte (+3,4%). Notícia positiva, vem se observando gradativa melhoria do consumo de energia elétrica, fato coerente com a retomada da atividade econômica.