ECORODOVIAS:

por R$ 600 milhões a Ecorodovias comprou 100% do capital social da Concessionária de Rodovias Minas Gerais Goiás S.A., responsável pela administração, recuperação, conservação, manutenção, ampliação e operação da BR-050, no trecho de 436,6 quilômetros que começa no entroncamento com a BR-040, em Cristalina (GO), e se estende até a divisa de Minas Gerais com São Paulo, no município de Delta. A Ecorodovias diz que esta aquisição é consistente com sua estratégia de focar nos ativos de concessões rodoviárias e alongar o prazo de duração do seu portfólio.

CIELO publicou hoje projeções para 2018

Para o volume financeiro Cielo Brasil um crescimento de 5% a 7%; Para custos e despesas totais Cielo Brasil e Cateno um cresciemtno entre 2% a 4%; Capex, representado pela compra de terminais de captura de R$ 300 milhões a R$ 400 milhões.

Consumo de energia cresceu 0,8% em 2017

O consumo de energia no ano passado ficou em 463.904 Twh, um aumento de 0,8% na comparação com o ano de 2016. Este é o primeiro resultado positivo dos últimos três anos, informou a Empresa de Pesquisa Energética. Esse volume de energia equivale ao mesmo patamar registrado no ano de 2015. Na base mensal o consumo de energia na rede totalizou 39.288 Gwh em dezembro, representado crescimento de 1,7% em relação ao mesmo período de 2016. Todas as regiões do país apresentaram elevação no consumo em dezembro, com destaque para o Sudeste onde a demanda ficou 1,7% mais elevada (0,3% de aumento no ano), no Sul o índice alcançou 2,5% (3% no ano) e no Centro-Oeste com crescimento de 3,1% no mês (1,9% no ano). Notícia positiva.

TV por assinatura apresenta queda de 5% no ano de 2017

Segundo a Anatel, o ano de 2017 terminou com 17,9 milhões assinantes do serviço, uma queda de 4,99% nos últimos doze meses, perda de 938,7 mil contratos ativos, e uma redução de 0,70% em relação a novembro de 2017, menos 125,7 mil. Dos grupos acompanhados pela agência reguladora, a Oi registrou aumento de 205,2 mil novos usuários (+15,73%), seguida da Sky com acréscimo de 109,6 mil (+2,09%). A prestadora Claro teve a maior redução em número de contratos ativos, menos 724,2 mil contratos (-7,39%), seguida da Vivo, com redução de 131,4 mil (-7,67%), da Algar Telecom, com menos 23,9 mil (-24,34%), e da Nossa TV com menos 2,7 mil (-2,14%). Notícia negativa.