Conselho de Administração da Alpargatas aprova migração das ações para o Novo Mercado

Será convocada Assembleia Especial para deliber sobre a migração da Alpargatas para o segmento especial de listagem do Novo Mercado. A Assembleia Especial vai aprovar a proposta de unificação das espécies de ações, mediante a conversão da totalidade das ações preferenciais em ações ordinárias, na proporção de 1,30 ações PN para 1 ação ON. A relação de troca foi proposta pelo acionista controlador que tomou por base o estudo realizado pelo Banco Bradesco BBI S.A.. Os acionistas preferencialistas na data de 20 de abril que votarem contra a conversão, se abstiverem de votar; ou não comparecerem à Assembleia Especial, terão assegurado o seu direito de retirada. Segundo o presidente da Alpargatas, a migração da negociação das ações para o Novo Mercado vai permitir o acesso aos recursos de fundos de investimento europeus e americanos.

Eztec: prévia operacional 1T17

Foi mais um trimestre de vendas fracas. As vendas brutas atingiram R$ 114 milhões e as vendas líquidas de distratos apenas R$ 9 milhões (R$ 26 milhões no 1T16 e R$ 39 milhões no 4T16). O valor positivo só foi possível porque o nível de distratos caiu pelo segundo trimestre consecutivo. Em 12 meses, findos em março de 2017, o valor do distrato atingiu R$ 530 milhões e havia sido de R$ 580 milhões em 12 meses findos em set.2016, passando por R$ 552 milhões em 12 meses findos em dez.2016. A Eztec entregou no prazo previsto as duas fases do empreendimento Cidade Maia: o Alameda e o Praça, projetos com 448 e 451 unidades e VGV de R$ 127 milhões e R$ 211 milhões, respectivamente, Não houve lançamentos no 1T17, mas a retomada teve início este mês quando na quinta-feira passada a Eztec anunciou o lançamento do Legíttimo Vila Romana, na Zona Oeste de São Paulo, cuja previsão de entrega é março de 2020. Este projeto contará com 1 torre residencial, com 54 unidades de alto padrão e áreas de 100 m², para um VGV total de R$ 49,5 milhões. O destaque do primeiro trimestre ficou com a segunda queda trimestral consecutiva dos distratos.

Paranapanema celebra MoU e renova acordo de Standstill

A Paranapanema assinou Memorando de Entendimentos Não Vinculante para a renegociação de dívidas junto a credores que representam 84% do total do passivo financeiro. A renegociação das dívidas criará condições para a companhia readequar a sua estrutura de capital. O MoU prevê que a celebração dos contratos definitivos poderá envolver prorrogação de prazos, redução de taxas, obtenção de carência de pagamentos, e a conversão parcial de créditos em capital e/ou títulos conversíveis em ações de emissão da Paranapanema. Para dar sequência à renegociação das dívidas, a Paranapanema assinou novo acordo de standstill pelo prazo de 30 dias. Notícia positiva, já que representa mais um passo para a definitiva renegociação de parcela significativa das dívidas da Paranapanema.

Prumo assinou acordo com a Port of Antwerp International NV

As empresas pretendem estabelecer uma parceria que consiste na prestação de serviços de consultoria, serviços de operação e/ou um potencial investimento pela Porto of Antwerp ao Porto do Açu Operações S.A.. Esta empresa é uma subsidiária do Porto da Antuérpia, um centro internacional de excelência portuária, que presta serviços de consultoria, assistência, apoio à gestão e de investimentos em projetos portuários em todo o mundo. Os estudos conjuntos serão focados no desenvolvimento e exploração do complexo industrial do Porto do Açu e deverão ser conduzidos de modo exclusivo até 30 de junho de 2017, impedindo até esta data que a Prumo inicie negociação com outras autoridades portuárias européias em relação a estudos e serviços similares. Boa notícia.

Aviação doméstica tem primeira reação em 20 meses

A Associação Brasileira das Empresas Aéreas, a ABEAR, mostrou que os resultados do transporte aéreo doméstico de passageiros no Brasil em março marcam a interrupção de um ciclo de retração do mercado iniciado em agosto de 2015. A demanda por viagens dentro do país teve alta de 5,9% na comparação com março do ano passado. Na mesma base, a oferta teve expansão de 3,98%. Com a demanda avançando mais do que a oferta, o fator de aproveitamento das operações cresceu 1,44 ponto percentual, chegando a 79,07%. O volume de passageiros transportados nos voos realizados em março somou 7,4 milhões, crescimento de 5,72%. A Gol permanece na liderança da aviação doméstica no Brasil com 35,22% de participação. Boa notícia.