Curtas Empresas

AES Tietê anuncia aumento de capital
Será submetida à Assembleia Geral Extraordinária uma proposta de aumento de capital, mediante a capitalização parcial da Reserva Especial de Ágio, por meio de subscrição privada, nos termos a seguir: (i) valor de R$ 154.627.148,50, mediante a emissão de 37.036.400 novas ações preferenciais e 24.081.050 novas ações ordinárias idênticas às ações de cada espécie já existentes; (ii) preço de emissão de R$ 2,53 por ação preferencial e ordinária, valores equivalentes a R$ 12,65/Unit. O preço de subscrição tem deságio de 10% aplicado sobre o preço médio de fechamento das Units (TIET11) nos últimos 22 pregões ocorridos anteriormente a 22 de junho de 2016, data em que foi convocada a reunião do Conselho de Administração que aprovou a proposta de Aumento de Capital. Consideramos a notícia como neutra.

Alpargatas: novos desdobramentos sobre a aquisição do controle pela J&F
A J&F deve realizar Oferta Pública obrigatória de aquisição de ações devido à aquisição do controle da Alpargatas, mas a J&F informou à CVM que resiliu o contrato com a instituição financeira apta a intermediar a OPA Obrigatória. Em função disso a Autarquia determinou que a J&F reapresente o pedido de registro da OPA Obrigatória até 12 de julho de 2016 e caso isto não ocorra, o pedido de registro da OPA Obrigatória será indeferido e, consequentemente, a alienação de controle da Alpargatas não será autorizada pela CVM. Notícia desfavorável em função da insegurança gerada.

BMFBovespa divulga balanço operacional de junho de 2016
O segmento Bovespa movimentou R$ 143,65 bilhões, ante R$ 139,58 bilhões, registrados em maio. A média diária foi de R$ 6,52 bilhões, ante R$ 6,64 bilhões. Foram realizados 19.491.168 negócios, ante 19.650.240 no mês anterior. A média diária de negócios atingiu 885.962, ante 935.726 em maio. Os mercados do segmento BM&F totalizaram 70.137.454 contratos negociados e volume financeiro de R$ 5,29 trilhões, ante 56.846.149 contratos e giro de R$ 4,17 trilhões em maio. Ao final do último pregão de junho, o número de contratos em aberto foi de 45.281.183 posições, 42.090.012, no período anterior. Observa-se melhoria significativa no segmento BM&F e estabilidade no segmento Bovespa. No segmento BMF verifica-se aumento de 26% no giro de negócios e no segmento Bovespa, acréscimo de 2,9% no volume movimentado, mas queda de 2,6% no que se refere ao giro diário. Consideramos a notícia como neutra.

Cemig estuda venda da Gasmig
Tendo em vista seu endividamento elevado e de custo cada vez mais alto, a Cemig vem estudando, como alternativa, eventual venda de ativos. Considerado como um investimento “non core”, a participação da Cemig na distribuidora de gás, há tempos, vem sendo cogitada como venda potencial. Consideramos a notícia como positiva.

CVC: destaques do 2T16
A CVC reportou crescimento de 6,6% nas Reservas Confirmadas e de 2,4% nas Reservas Embarcadas. O acréscimo das Reservas Confirmadas foi ocasionado principalmente pelo forte crescimento das reservas através do canal agente independente (crescimento de 15% no 2T16) e pela recente valorização do real, que favoreceu a venda do segmento internacional. O segmento nacional continuou apresentando crescimento de duplo dígito no 2T16. O crescimento do segundo trimestre é bastante importante já que ocorre sobre uma base elevada porque o 2T15 já havia tido um crescimento de 12,9% comparado ao 2T14 e de 4,1% em comparação com o 1S15. Durante o trimestre foram inauguradas 20 novas lojas.

Daycoval: Conselho aprova cancelamento do registro de companhia aberta
Em reunião ontem o Conselho de Administração do banco manifestou-se favorável à realização da Oferta Pública unificada para a aquisição de até a totalidade das ações preferenciais de emissão do Daycoval e de titularidade de seus acionistas não controladores para fins do cancelamento do registro da Companhia e saída do Nível 2 de Governança Corporativa da BM&FBOVESPA.

Estácio esclarece a respeito de propostas de compra de seu controle
Em resposta à consulta feita pela Bolsa de Valores, a empresa esclareceu que: i) nenhuma das propostas feitas até agora para compra de seu controle acionário foi aprovada, requerendo-se para isso, aprovação plena do Conselho de Administração e convocação de Assembleia Geral dos acionistas para deliberação da matéria e ii) de fato, o Clube de Investimentos TCA, do qual fazem parte importantes acionistas da companhia, considera a possibilidade de realizar uma OPA para aquisição do controle da Estácio. Tal notícia pode ter algum impacto negativo sobre a cotação da Kroton. Com relação às ações da Estácio Participações, a notícia pode ser positiva se implicar em melhoria das ofertas conhecidas até o momento.

Multiplus e Itaucard fecharam contrato de parceria comercial
As empresas firmaram parceria para a oferta, promoção, distribuição e comercialização de cartões de crédito co-branded (“Cartões Multiplus”), em todo território nacional. O principal objetivo é oferecer aos participantes da rede Multiplus um produto que permita o acúmulo direto de Pontos Multiplus por meio de uma conversão e bonificações diferenciadas. O portador do Cartão Multiplus também terá uma variedade de benefícios atrelados à rede Multiplus, como: condições especiais de acúmulo e resgate em determinados parceiros e acesso exclusivo a promoções. Boa notícia.