Curtas Empresas

Aliansce fará aumento de capital para a compra de 25,1% do Shopping Leblon
Foi convocada AGE para o dia 13 de setembro para que os acionistas deliberem acerca da compra de participação de 25,1% no Shopping Leblon, localizado na cidade do Rio de Janeiro. O Shopping Leblon foi inaugurado em dezembro de 2006 e a Aliansce administra e comercializa o shopping desde a sua inauguração. Os 25,1% de participação no Shopping equivale a R$ 309,9 milhões, dos quais R$ 187,5 milhões serão pagos à vista e os demais R$ 122,4 milhões corresponde à assunção de dívida. A companhia informou que prezando pela maior transparência no processo, em vista do vendedor ser parte relacionada, haverá abstenção de voto da parte relacionada na AGE. Para financiar a aquisição a Aliansce realizará um aumento de capital mediante subscrição privada, no valor mínimo de R$ 300 milhões e no máximo de R$ 600 milhões, ao preço de emissão de R$ 15,00/ação. A conclusão da aquisição da parcela extra do Shopping Leblon está sujeita ao aumento de capital que, se aprovado, terá direito de preferência de 14 de setembro até 13 de outubro.

Eletrobras esclarece notícias a respeito de distribuição de dividendos
Em termos bastante resumidos, a empresa esclareceu em Comunicado que parcela substancial dos lucros obtidos no 1º semestre de 2016 se deveu à apropriação de valores indenizatórios pertinentes à Portaria 120 do Ministério de Minas e Energia. Assim, como tal, embora o valor dessas indenizações seja apropriado (de forma meramente contábil) de uma vez só, seu efetivo recebimento se dará em parcelas a longo prazo. Deste modo, trata-se claramente de valores a realizar, ensejando sua apropriação em “reserva de lucros a realizar” e não necessariamente distribuído como dividendos. Por outro lado, a empresa também esclareceu que o fato aqui descrito não interfere no pagamento normal dos dividendos obrigatórios definidos em seu Estatuto Social. Notícia neutra.

Fibria: comunicou a conclusão de 50% da execução física de seu plano de expansão, que consiste na construção de nova linha de produção de celulose em Três Lagoas, no Estado do Mato Grosso do Sul, denominado Projeto Horizonte 2. Após o início das operações, a unidade de Três Lagoas ampliará sua capacidade de produção, que passará a ser de 3,25 milhões de toneladas de celulose/ano. Dessa forma, a companhia mantém sua previsão inicial de que o início da operação da nova linha industrial ocorrerá no início do 4T17.

Vale: hoje, às 15h00, será apresentado, via webcast, o resultado da investigação externa sobre o rompimento da Barragem de Fundão da Samarco. Após o rompimento, a Vale, a BHP Billiton e a Samarco, contrataram a Cleary Gottlieb Steen & Hamilton LLP para conduzir uma investigação sobre a causa do rompimento da barragem de Mariana, que foi concluída agora. Esperamos que a revelação contribua para a obtenção de novas licenças ambientais, condição imprescindível para o retorno das atividades da Samarco.