Curtas Empresas

Banco do Brasil: o banco vai pagar R$ 352,7 milhões de Juros sobre Capital Próprio, correspondente a R$ 0,12665207193/ação. As ações ficarão ex-direito ao provento em 13 de setembro e pagamento aos acionistas será feito a partir de 30 de setembro. É uma boa oportunidade.

Cemar: protocolou junto à Anbima um pedido para emissão de 200.000 debêntures não conversíveis em ações, com valor unitário de R$ 1.000,00, perfazendo a emissão R$ 200 milhões, que serão ofertadas sob o regime de garantia firme de colocação. Notícia neutra.

Cemig vai vender ações da Taesa
Ontem o Conselho de Administração da Cemig autorizou a alienação de até 40.702.230 de units da Taesa, de titularidade da Cemig. No início de agosto a Cemig já havia divulgado sua intenção de alienar estes títulos, tendo como meta o desinvestimento para reduzir seu endividamento. Entre outras medidas, estaria a venda de ativos considerados não estratégicos. Esta operação deve trazer cerca de R$ 900 milhões para os cofres da companhia. Notícia positiva.

Contax: Andrade Gutierrez, Jereissati Telecom e Fundação Atlântico de Seguridade Social, acionistas da CTX Participações, vão receber um total de 785.762 ações ordinárias de emissão da Contax, que correspondem a 22,73% do capital da investida. A distribuição das ações está inserida no processo de liquidação da CTX. Notícia neutra.

Kroton e Estácio anunciam envio de documento ao Cade
Ambas as empresas informaram ao mercado o envio do documento intitulado “Ato de Concentração”, referente à combinação dos negócios das Companhias, conforme prevista no protocolo e justificação da incorporação das ações da Estácio pela Kroton, celebrado em 8 de julho de 2016 e divulgado nos Fatos Relevantes de 8 e 14 de julho de 2016. Tal documento contem um estudo a respeito dos efeitos mercadológicos decorrentes da fusão entre as empresas e é necessário para o embasamento técnico da decisão do Cade a respeito da operação. Notícia neutra.

Minerva: a subsidiária Minerva Luxembourg vai emitir Novas Notas no mercado internacional que serão ofertadas somente a investidores institucionais qualificados, residentes e domiciliados nos Estados Unidos. A Minerva prestará garantia solidária das obrigações assumidas por sua subsidiária mas não revelou o valor da emissão.

Arsesp reconhece investimentos feitos pela Sabesp para enfrentar crise hídrica
A agência reguladora dos serviços de água e saneamento do Estado de São Paulo reconheceu que os investimentos feitos pela Sabesp para enfrentar a crise hídrica nos últimos anos devam fazer parte de sua base regulatória para fins de revisão tarifária. A próxima revisão tarifária da Sabesp deve acontecer em 2017 e, em função desse fato, poderá ter um reajuste tarifário maior do que era anteriormente esperado. Notícia positiva.

Vale: a Samarco entregou ao presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais o Plano de Recuperação Ambiental Integrado, que segundo Roberto Carvalho, diretor-presidente da mineradora, o documento possui um balanço realizado pela própria Samarco, para recuperação ambiental das áreas atingidas pelo rompimento da barragem de Fundão. Boa notícia, porém ainda sem efeitos práticos.