Curtas Empresas

Banco Sofisa: alertamos aos acionistas que a partir de ontem o Banco Sofisa começou a pagar os juros sobre capital próprio aprovados pelo Conselho de Administração em 14/09/2009. O pagamento deste provento estava suspenso por decisão do Judiciário Federal devido à discussão travada entre o Banco Sofisa e a Autoridade Fazendária.

BRF expande sua presença no sudeste asiático
Dando continuidade à estratégia de expansão de sua presença no sudeste asiático e seu comprometimento com os mercados muçulmanos, a BRF fechou um acordo de cooperação com uma das empresas da PPB Group Berhad, que incluirá investimento de US$ 16 milhões. A PPB Group Berhad é um conglomerado malaio que opera em vários segmentos de mercado no sudeste asiático, incluindo os segmentos de grãos, agribusiness e produtos de consumo. Após a conclusão da transação, a empresa brasileira ficará com participação indireta de 70% das ações da FFM Further Processing SDN BHD, uma empresa processadora de alimentos baseada na Malásia.

Cemig antecipa pagamento de energia à Renova
A Cemig pagou à coligada Renova cerca de R$ 118 milhões referente à entrega de energia futura contratada no âmbito do Contrato de Compra e Venda de Energia celebrado entre a Renova e a Cemig GT. A quitação do valor se dará com a entrega de energia nos montantes especificados no Contrato, a partir de maio de 2021. À opção da Cemig, os valores antecipados poderão também ser convertidos em participação acionária no empreendimento eólico denominado Sertão III, de onde virá a energia contratada. Notícia neutra. Os valores envolvidos não são substanciais.

Helbor: O Conselho de Administração aprovou a captação de recursos no montante total de R$ 100 milhões por meio de emissão de Cédula de Crédito Bancário Imobiliária (CCB). O prazo de vencimento será de 4 anos e o valor será amortizado em parcelas trimestrais consecutivas de principal acrescido de juros. Os juros remuneratórios serão de 124% da taxa DI. Segundo a Helbor, os recursos líquidos obtidos com a emissão da CCB serão integralmente destinados a negócios de gestão ordinária da Companhia.

Subsidiária da Minerva emitirá Novas Notes 2026
O valor total da emissão é de US$ 1 bilhão no mercado internacional. Os juros remuneratórios serão pagos semestralmente, sob a taxa de 6,50% a.a e todas as obrigações assumidas pela Emissora no âmbito das Novas Notes serão garantidas pela Minerva. Além disso, a emissora pretende usar os recursos líquidos decorrentes da oferta das Novas Notes para pagar a oferta de recompra de todas e quaisquer 7,75% Notes remanescentes de sua emissão e devidas em 2023.

Petrobras: O Conselho de Administração da subsidiária Petrobras Distribuidora aprovou ontem a eleição de Ivan de Sá Pereira Junior para o cargo de Presidente. Ivan já vinha exercendo interinamente a Presidência da subsidiária desde 26 de janeiro. Adicionalmente, o CA aprovou a designação do Gerente Executivo de Logística e Suprimento da BR, Marcelo Fernandes Bragança, para responder, interinamente, pela Diretoria de Operação e Logística.

Usiminas: Conselho aprova renegociação de dívidas com bancos brasileiros e japoneses e debenturistas
Na próxima segunda-feira, 12 de setembro, serão divulgados os Instrumentos Financeiros com os detalhes da renegociação das dívidas. Os Instrumentos não alterarão as condições básicas antes divulgadas como o prazo de amortização de 10 anos e um período de carência de 3 anos para o início do pagamento do principal. Por ora, a Usiminas informou que assumirá o compromisso de, até o pagamento integral dos valores, somente pagar ou distribuir os dividendos que forem exigidos por lei ou por seu Estatuto Social e, em caso de distribuição de dividendos, efetuar um pagamento do mesmo montante aos Credores, como amortização antecipada do saldo a eles devidos. Entre as hipóteses de vencimento antecipado dos Instrumentos Definitivos, está o não recebimento dos recursos mantidos no caixa de sua controlada Musa, em montante mínimo de R$ 700 milhões, até o dia 30/06/2017. Foi aprovada também a concessão de garantia às dívidas objeto dos Instrumentos Definitivos perante os Bancos Brasileiros e os Debenturistas, consistente na hipoteca de primeiro grau sobre os laminadores de tiras a quente e a frio da usina de Ipatinga. A renegociação das dívidas é oportunamente e favorável à Usiminas.