BMFBovespa adquire 8,59% da Bolsa peruana

A BM&FBovespa adquiriu uma participação de 8,59% na Bolsa de Valores de Lima, tornando-se a maior acionista da bolsa peruana. Para comprar essa fatia, a BM&FBovespa investiu R$ 49 milhões (50,7 milhões de novos sóis peruanos). Até que tenhamos mais informações, consideramos a notícia como neutra, considerando-se ainda que os valores envolvidos não são altos frente ao porte da BMFBovespa.

CCR fará oferta de ações

O Conselho de Administração aprovou a realização de oferta pública restrita, de distribuição de novas ações ordinárias, no Brasil e no exterior, em quantidade inicial de 221.228.522 ações. Tomando como referência a atual cotação das ações, a CCR pode vir a arrecadar até R$ 4 bilhões com a oferta. Os recursos serão destinados para o reforço e estabilidade do caixa da Companhia e manutenção, expansão e/ou diversificação da rede de concessões. Neste caso, a CCR afirma que pode ocorrer investimento em novas concessões. Notícia positiva.

Consumo de energia aumenta 3% em janeiro, segundo CCEE

Segundo a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica, com base em medição entre os dias 1º e 24 de janeiro, o consumo de energia elétrica aumentou 3% frente ao mesmo período do ano passado. Tal aumento se deve, primordialmente, à presença de temperatura mais altas em 2017 (5ºC maior), uma vez que a atividade econômica permanece estagnada. O mercado cativo caiu 1,8% e o mercado livre subiu 18,9%, mostrando que a migração entre os dois mercados continua intensa. Vemos esta notícia como boa para as geradoras e ruim para as distribuidoras.

Banco BTG Pactual S.A. e BTG Pactual Participations

Encontra-se em estudos os potenciais efeitos da negociação de forma segregada dos valores mobiliários de emissão das instituições, visando endereçar, dentre outros temas uma maior transparência dos ativos de cada uma com diferenciação mais clara entre a atividade bancária e de gestão de recursos exercidos pelo Banco, e o veículo de investimentos em private equity exercido pelo BTGP. Notícia positiva.

Siderúrgica Nacional

A imprensa noticiou que o Tribunal de Contas da União proibiu novos repasses de recursos públicos por parte da Valec, dos fundos FINOR, FNE, FDNE, do BNDES e da BNDESPar à Transnordestina Logística S.A. para as obras de construção da ferrovia Transnordestina (Malha II). Nem a CSN nem a Transnordestina foram formalmente intimadas da decisão.

Telef Brasil emite debêntures

A empresa irá emitir debêntures simples, não conversíveis em ações, no montante total de R$ 2 bilhões, as quais serão objeto de distribuição pública com esforços restritos de distribuição, sob regime de garantia firme. Serão emitidas 200 mil debêntures, com valor nominal unitário equivalente a R$ 10 mil. As debêntures possuem prazo de vencimento de 5 anos. O valor nominal unitário de cada uma das debêntures não será atualizado monetariamente, mas sobre o saldo devedor do valor nominal unitário de cada uma das debêntures incidirá juros remuneratórios correspondentes a 108,25% dos DI. Os recursos líquidos obtidos serão integralmente utilizados para o reperfilamento de passivos financeiros da companhia. Notícia neutra.