Curtas Empresas

BR Insurance pretende incorporar sete controladas

Tratam-se de corretoras de seguros cuja principal atividade é a intermediação de seguros, sendo que suas receitas são provenientes de comissões recebidas de Companhias Seguradoras e Operadoras de Planos de Saúde pela comercialização de apólices de seguro. As incorporações estão inseridas no plano de otimização da estrutura societária da BR Insurance, que acredita que as incorporações irão melhorar a organização de suas atividades em razão da concentração dos investimentos, aumento de eficiência e ganho de sinergias, ganho de eficiência operacional, administrativa, contábil e de gestão, diminuição dos custos operacionais e financeiros. Notícia positiva.

Cemig esclarece notícia

Com relação à nota veiculada no jornal Estado de São Paulo, em 20/11/2016, sobre a Cemig estar preparando uma “oferta subsequente no início de 2017”, a Companhia informou que está estudando diversas possibilidades de melhorar seu endividamento, mas que uma emissão de ações não está entre as opções estudadas até a presente data. Notícia neutra.

Produção mundial de aço

A World Steel Association divulgou que a produção de aço bruto para os 65 países associados à entidade foi de 136,5 milhões de toneladas em outubro de 2016, 3,3% acima de outubro de 2015. A produção chinesa de aço bruto para outubro de 2016 foi de 68,5 milhões de toneladas, um aumento de 4,0% em relação a outubro de 2015. Em outros países da Ásia, o Japão produziu 9 milhões de toneladas de aço bruto em outubro de 2016, um aumento de 0,6% em relação a outubro de 2015, e a Índia 8,3 milhões de toneladas, um aumento de 12,3% em outubro de 2015. Já os EUA produziram 6,4 milhões de toneladas de aço bruto em outubro de 2016, uma queda de -2,5% em relação a outubro de 2015. Por aqui foram produzidos 2,7 milhões de toneladas de aço em outubro, uma queda de 8,8% na comparação anual. O índice de utilização da capacidade de aço bruto dos 65 países em outubro de 2016 foi de 69,6% e havia sido de 69% em setembro de 2016. Mais uma vez a China pressiona e não permitirá que ocorra queda da produção mundial de aço em 2016.