Curtas Empresas

Bradespar anuncia pagamento de juros sobre o capital próprio

Após a Vale anunciar a distribuição de JCP no fim de novembro, a Bradespar decidiu pagar R$ 37,4 milhões do mesmo provento aos seus acionistas, sendo R$ 0,100911902 por ação ordinária e R$ 0,111003093 por ação preferencial. As ações negociarão ex-JCP a partir de amanhã, 23/12/2016, ou seja, quem comprar ações da Bradespar no pregão de hoje receberá o provento em 09/01/2017 pelo valor líquido de R$ 0,085775117ação ON e R$ 0,094352629/ação PN. O valor líquido para cada ação corresponde a um Yield de apenas 0,7% e 0,6% de Yield, respectivamente para a ação ordinária e preferencial, considerando as cotações de fechamento de ontem. Esperávamos montante superior ao aprovado.

Bramotor

Tendo em vista o cancelamento do registro da companhia junto à CVM, a partir do pregão de hoje, os valores mobiliários de emissão da Brasmotor deixam de ser negociados na BM&FBovespa.

Cemig muda Diretoria

A Cemig comunicou alterações na Presidência e em praticamente toda sua diretoria. Notícia neutra, até que tenhamos mais claro possíveis mudanças no rumo de seus negócios.

Cosan aprova novo Programa de Recompra de ações

O Conselho de Administração da Cosan aprovou a abertura de um novo Programa de Recompra de Ações para manutenção em tesouraria, cancelamento ou alienação. Poderão ser adquiridas até 4 milhões de ações ON, equivalentes a aproximadamente 0,98209071% das ações em circulação nesta data. As ações poderão ser adquiridas até 21/12/2017.

Eletrobrás esclarece notícias da mídia

Com relação à matéria divulgada pelo Globo, intitulada “Fraude Amazônica”, a empresa esclareceu que trata-se do mesmo assunto já comentado pela companhia em Comunicado ao Mercado de 11/11/2016 e que não existe, até o momento, nenhuma novidade que demande novo pronunciamento oficial da empresa. Notícia neutra.

Gol publica estimativas preliminares para 2017

Após a reestruturação da frota em 2016, a Gol planeja trabalhar com 115 aeronaves em 2017, com redução da oferta de assentos total entre 3% a 5%, acompanhada por igual redução no volume de decolagens, gerando Ebit entre 5% a 7% da receita líquida estimada para 2017. A Companhia tem atuado com firmeza para ajustar o tamanho de sua frota à realidade econômica nacional e tem sido bem sucedida em equiparar a oferta de assentos com a realidade da demanda, o que se comprova pela manutenção das taxas de ocupação acima de 70%. De fato, a administração da Gol tem sido diligente diante das dificuldades do cenário macroeconômico brasileiro, mas a volatilidade das tendências do PIB brasileiro, da taxa de juros, do câmbio, e do preço do petróleo (WTI e Brent) impões severas complicações e perdas às companhias aéreas nacionais, incluindo a Gol.

Hypermarcas esclarece notícia da Reuters

A Reuters noticiou que a Hypermarcas havia vendido sua área de produtos descartáveis para a Ontex. A Companhia esclareceu: “conforme fato relevante divulgado em 7 de dezembro de 2015, a Companhia vem trabalhando em alternativas e negociações para alienação ou segregação de seus negócios de produtos descartáveis. Embora existam negociações avançadas com a Ontex em curso referentes à alienação do Negócio de Produtos Descartáveis, a Companhia informa que não há até o momento assinatura de instrumento vinculante.”

Petrobras e Total avançam na aliança estratégica com acordo bilionário

A Petrobras assinou ontem um Acordo Geral de Colaboração com a empresa francesa Total, relacionado à Parceria Estratégica estabelecida no MOU firmado entre ambas em outubro de 2016. Petrobras e Total são parceiras em 19 consórcios de exploração e produção no Brasil e no exterior e sócias no gasoduto Bolívia-Brasil. Com o novo acordo, as duas empresas elevam substancialmente o nível de cooperação tecnológica nas áreas de geociências, sistemas submarinos e estudos conjuntos em áreas de mútuo interesse. As companhias também se tornarão parceiras nos campos de Iara e Lapa, no pré-sal da Bacia de Santos e em duas usinas térmicas, com compartilhamento de infraestrutura do terminal de regaseificação localizados na Bahia. A transação tem o valor global estimado de US$ 2,2 bilhões, incluindo entrada de caixa à vista, pagamentos contingentes e um carrego de investimentos no desenvolvimento da produção de ativos comuns às duas empresas, a ser pago pela Total à Petrobras e suas subsidiárias, conforme o caso. Notícia positiva.

Renova tem rating rebaixado

A Fitch Rating rebaixou o rating nacional de longo prazo da Renova Energia S.A. de ‘CC (bra)’ para RD (bra). De acordo com a Fitch, o rebaixamento reflete a ausência de pagamento de R$ 49 milhões de juros da 3ª emissão de debêntures simples da Renova que venceram em 15 de dezembro de 2016. A companhia informa que está em negociação com o Banco do Brasil S.A. (único debenturista) para postergação do pagamento dos juros. Notícia negativa.