Cemig perde também Miranda

A empresa informou que houve a revogação da medida liminar nos autos do Mandado de Segurança nº 23.042/DF, que tramita perante o Superior Tribunal de Justiça, impetrado por sua subsidiária integral Cemig Geração e Transmissão S.A., com o objetivo de anular a decisão do Ministério de Minas e Energia (“MME”) que, por meio do Despacho publicado em 26 de outubro de 2016, indeferiu, no mérito, o pedido da Cemig GT para a prorrogação do prazo de concessão da Usina Hidrelétrica de Miranda, nos termos de seu Contrato de Concessão nº 007/97. Após essa decisão, as três usinas da Cemig, que estão em litígio no âmbito da Lei 12.783 passam a operar em regime de cotas, até sua retomada pelo Poder Concedente. Notícia previsível e muito negativa.

Marisa renova parceria com a Assurant Seguradora

Foi firmado Acordo Operacional e Contratos de Representação de Seguros e de Comercialização de Produtos de Assistência e Outras Avenças, todos para viabilizar a prorrogação a partir de 1º de abril da parceria com a Assurant Seguradora S.A. e Assurant Serviços Ltda., cujo escopo é a comercialização pela Marisa de produtos de seguros e assistência. Os Contratos terão prazo de vigência de até 5 anos e a Marisa receberá a quantia de R$ 75 milhões como antecipação, que serão recebidos em duas parcelas iguais, em março e junho de 2017.

Paranapanema não publicará o balanço de 2016 no prazo legal

Em Fato Relevante divulgado hoje, a Paranapanema foi a terceira empresa nesta semana a informar que não fará a publicação do balanço de 2016 no prazo legal. Em reunião realizada ontem, o Conselho de Administração decidiu, de forma excepcional, postergar a aprovação e divulgação das Demonstrações Financeiras de 2016, em função de novas evoluções no processo de reperfilamento da dívida da Companhia e readequação de sua estrutura de capital. A administração acredita que o reperfilamento da dívida pode vira a impactar, positivamente, o parecer dos auditores independentes sobre as DF’s 2016.

Petrobras desiste de ceder seus direitos aos campos de Baúna e Tartaruga Verde

A Petrobras declarou a impossibilidade de prosseguir com o processo de desinvestimento para a cessão dos direitos referentes aos campos de Baúna e Tartaruga Verde e requereu à Justiça Federal de Aracaju a extinção do processo judicial. Em 15/03, o TCU havia revogou a cautelar e mantido a permissão de continuidade do processo, por estar em fase avançada de negociação. Em comunicado, a Petrobras afirma: “Diante da referida decisão, da insubsistência das condições da proposta de aquisição apresentada e da manutenção dos efeitos da liminar judicial, o prosseguimento deste processo de desinvestimento mostrou-se inviabilizado, haja vista a impossibilidade negocial ou procedimental de se retomar as negociações.”. Notícia negativa.

JHSF PART

O resultado de 2016 incorporou itens não recorrentes que derivaram de atitudes para equilibrar a estrutura de capital da companhia, entre eles perda contábil na alienação de negócios, reconhecimento antecipado de despesas financeiras diferidas associadas a contratos de financiamento liquidados antecipadamente com os recursos provenientes das vendas de ativos, spreads bancários que foram reduzidos com o pagamento das referidas dívidas, e efeitos de distratos e provisionamento para empreendimento imobiliário embargado. A receita líquida caiu 39% para R$ 385 milhões e o prejuízo cresceu 328% em 2016, para R$ 251 milhões.

PDG REALT

Em meio à tentativa de execução de um Plano de Reestruturação devido à sua crise financeira, a PDG enfrentou a piora da situação econômica do País e do setor de incorporação imobiliária, tendo que suportar queda na demanda por imóveis e aumento dos distratos. Em consequência, houve interrupção de algumas obras em andamento, acúmulo de dívidas condominiais e IPTU de unidades prontas, aumento de dívidas com fornecedores e aumento do contencioso da PDG. As vendas brutas atingiram R$ 1,5 bilhão, 41% abaixo das vendas brutas realizadas em 2015, enquanto o prejuízo do ano passado praticamente dobrou, passando de R$ 2,8 bilhões em 2015 para R$ 5,3 bilhões em 2016 .