Curtas Empresas

Cesp realizará novo programa de demissão voluntária

A Cesp prepara um novo programa de demissão voluntária, que deve ter início no começo do próximo ano, disse seu Diretor Financeiro e de Relações com Investidores, Almir Martins, ao conversar com analistas de mercado ontem. Martins destacou que devido ao fim dos contratos de concessão das hidrelétricas Jupiá e Ilha Solteira, agora operadas pela chinesa CTG, a Cesp apresentou redução de 32,7% no terceiro trimestre de 2016 com despesas de pessoal, comparado com o mesmo período em 2015, mas precisa aprofundar o corte para se ajustar totalmente à perda correspondente de receitas. Notícia positiva.

Eletropaulo fará reestruturação societária

A empresa fará uma reestruturação societária, que se dará por meio das cisões parciais da Brasiliana Participações e da AES Elpa com a subsequente incorporação dos respectivos acervos cindidos pela AES Eletropaulo, de forma que os atuais acionistas da Brasiliana Participações – a AES Brasil e BNDESPAR –, e da AES Elpa passarão a deter participação direta na AES Eletropaulo. Tal reestruturação visa a simplificação das estruturas acionárias das Companhias, promovendo: (i) maior agilidade ao processo de tomada de decisão, considerando a assinatura de um novo acordo de acionistas entre AES Brasil e BNDES para a AES Eletropaulo; (ii) melhoria na liquidez dos investimentos e na geração de caixa futura da AES Eletropaulo estimada em torno de R$ 700 milhões até o final da concessão o que contribuirá para redução do seu nível de endividamento; e (iii) maior liquidez para os acionistas minoritários da AES Elpa, que passarão a deter participação direta na AES Eletropaulo. Notícia positiva.

Localiza

Com o objetivo de fomentar a liquidez das ações ordinárias de emissão da Localiza, a partir de hoje a Credit Suisse (Brasil) S.A. CTVM passa a exercer a função de formador de mercado para as referidas ações.

Multiplan emite debêntures

A Multiplan fará uma emissão de debêntures simples no valor de R$ 300 milhões. Os recursos líquidos obtidos serão destinados pela Companhia, diretamente ou através de suas controladas, para aquisição, e/ou construção, e/ou expansão, e/ou revitalização, e/ou desenvolvimento de shopping centers e/ou empreendimentos imobiliários. Notícia favorável.

Petrobras e Ultrapar

No início da noite de ontem a petroleira anunciou oficialmente o que antes a impressa havia anunciado extraoficialmente: a venda, por R$ 2,8 bilhões, de sua distribuidora de GLP Liquigás para a também distribuidora Ultragaz, subsidiária da Ultrapar. A notícia é favorável, mas a governança das companhias envolvidas falhou.

Rumo

Interpelada pela Bovespa a companhia respondeu que não existe nenhum documento assinado e/ou vinculante a respeito da venda de participação acionária de seu complexo portuário em Santos. Ontem, após o jornal Valor Econômico informar que a Rumo teria recebido uma proposta de R$ 2 bilhões por uma participação majoritária no complexo, a ação subiu fortemente, tendo fechado a sessão com ganho de 6%. Hoje a ação ON pode ajustar.