Curtas Empresas

CPFL Energia emite debêntures
O Conselho de Administração aprovou a quarta emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, em duas séries, da espécie quirografária, com garantia adicional fidejussória na forma de fiança a ser prestada pela CPFL. As debêntures serão objeto de distribuição pública com esforços restritos. A emissão será composta por 40 debêntures, sendo 20 da 1ª Série e 20 da 2ª Série, com prazo de vigência de cinco anos contados da data de emissão. O valor nominal unitário das debêntures, nas respectivas datas de emissão, será de R$ 10 milhões de reais, perfazendo o montante total de R$ 400 milhões de reais. Os recursos oriundos da emissão das debêntures serão destinados ao capital de giro e outras atividades usuais da Companhia. Notícia neutra.

CADE pede esclarecimentos à Estácio Participações
O Conselho Administrativo de Defesa Econômica pediu explicações à empresa a respeito da demissão de 74 funcionários, feita antes da aprovação da fusão com a Kroton, o que poderia sugerir “consumação antecipada da operação”. A Estácio Participações esclareceu que a decisão de demitir os referidos funcionários não tem relação com o processo de combinação de negócios com a Kroton. A notícia é negativa, mas não acreditamos que terá grande peso na decisão do órgão regulador.

Eternit: Luis Terepins renunciou ao cargo de membro efetivo e Presidente do Conselho de Administração. O executivo havia sido eleito na AGO realizada em 27 de abril e seu mandato se estenderia até a AGO de 2018. Em razão da renúncia, os conselheiros elegeram Luiz Barsi Filho para o cargo de Presidente do CA. Já o cargo de membro efetivo permanecerá vago, passando o CA a ser composto por seis membros. Luis Terepins e seu irmão Carlos Eduardo Terepins tem sua história empresarial ligada à construtora Even. Os motivos da renúncia não foram mencionados pela Eternit.

Ferbasa: No mês de agosto a receita líquida registrou R$ 69,9 milhões, queda de 16,5% quando comparada ao mesmo período de 2015, impactada pela desvalorização de 0,7% do dólar médio no período e pela redução de 3,2% no volume de vendas. O destaque ficou por conta da produção e, em especial, do acréscimo de 108% na produção de ferrocromo baixo carbono, utilizado na produção de aços inoxidáveis, com larga aplicação nas indústrias de bens de consumo.

Odontoprev: Em RCA realizada ontem os conselheiros aprovaram o pagamento, em 5 de outubro, de Juros sobre Capital Próprio relativo ao terceiro trimestre de 2016, no montante de R$ 11,3 milhões. Com esta deliberação os proventos do ano somam R$ 150,8 milhões e segue em linha com o ano passado, quando foram deliberados R$ 221 milhões relativo ao lucro de 2015. As ações da Odontoprev serão negociadas ex-JCP a partir de 21 de setembro.

Petrobras: Refinaria Abreu e Lima bate recorde de processamento de petróleo
Pelo quarto mês consecutivo, Abreu e Lima bateu seu recorde de processamento de petróleo. Em agosto, a refinaria alcançou a marca de 3,09 milhões de barris, o equivalente a 99,77 mil barris de petróleo processados por dia, carga 0,6% superior ao mês de julho de 2016. Com esse desempenho operacional, a refinaria já é responsável por cerca de 30% de todo o Diesel S-10 produzido no Brasil e colabora com a redução do nível de importação do combustível pela Petrobras. Atualmente, a unidade entrega 10 mil m3 por dia desse derivado aos seus mercados-alvo, no Norte e Nordeste. Mais uma notícia favorável para a Petrobras.