Curtas Empresas

CSN anuncia primeiro desinvestimento
Como prometido em teleconferência no último dia 16, Benjamin Steinbruch anunciou ontem à noite a venda da Metalic, sua fabricante de latas de aço adquirida em 2002. A Metalic é a única empresa da América Latina a fabricar latas de aço de duas peças, embalagem de alta tecnologia para acondicionamento, principalmente, de bebidas. A conclusão da operação está prevista para ocorrer no fim de setembro pelo valor base de US$ 98 milhões que será pago à vista, em Reais, pela polonesa Can-Pack. A compradora é uma das maiores fabricantes de embalagens metálicas do mundo que fornece soluções para as indústrias de bebidas, alimentos e produtos químicos na Europa, Ásia e África. Este desinvestimento é bem vindo para ajudar a desalavancagem da CSN, porém ainda muito tímido.

Tarifa da Cemar terá aumento de 8,24%
A Aneel autorizou a Cemar a aplicar aumento tarifário médio de 8,24% a partir de 28 de agosto. O efeito médio para o consumidor será de 8,28% no segmento de alta tensão e de 8,23% na baixa tensão. Como a maior parte do reajuste refere-se à repasse de custo de energia comprada, o efeito da notícia é neutro.

Privatização da Cesp volta à pauta
A empresa informou que o Conselho Diretor do Programa Estadual de Desestatização – CDPED, em reunião realizada ontem decidiu recomendar ao Governador do Estado de São Paulo a retomada dos trabalhos e estudos necessários à privatização da CESP, nos termos do art. 5º da Lei 9.361, de 05 de julho de 1996. Notícia favorável à companhia.

Tarifas de Ceal e Cepisa são prorrogadas
A Diretoria da ANEEL aprovou a prorrogação do prazo de vigência das tarifas da Companhia Energética de Alagoas (Ceal) e da Companhia Energética do Piauí (Cepisa). O reajuste tarifário deveria ser realizado em agosto, mas com a decisão fica postergado para setembro. De acordo com portarias de designação do Ministério de Minas e Energia (MME), os reajustes tarifários da Ceal e da Cepisa devem ser realizados de modo ordinário e com periodicidade anual, a partir de 28 de setembro de 2016. As duas empresas, subsidiárias da Eletrobras, foram designadas pelo MME como responsáveis pela Prestação do Serviço Público de Distribuição de Energia Elétrica após a não renovação dos contratos de concessão. Dessa forma, as distribuidoras ficam responsáveis pela continuidade da prestação do serviço até a chegada de um novo concessionário ou até 31 de dezembro de 2017, o que ocorrer primeiro. Notícia desfavorável à Eletrobras, mas de pouco impacto.

Duratex negocia com debenturistas
O Ebitda da Duratex fechou o mês de junho em 2,63x acima da despesa financeira líquida consolidada logo, abaixo dos 3,0x previstos na Escritura da 1ª Emissão Privada de Debêntures conversíveis em ações. Diante disso, a Duratex vai apresentar aos debenturistas uma proposta de equiparação dos indicadores financeiros às condições negociadas com os demais credores, o que significa o não cumprimento da obrigação especial da Emissora descrita na Escritura relativa ao trimestre encerrado em 30.06.2016. A Assembleia de Debenturistas vai acontecer no dia 23 de setembro de 2016, às 10 horas, na sede da Duratex.

Petrobras: Decisão sobre o direito de preferência dos acionistas na operação de venda da BR Distribuidora
O artigo 253 da Lei das SA determina que os acionistas de companhia aberta têm direito de preferência na aquisição de ações do capital de subsidiária integral se a companhia decidir aliená-las no todo ou em parte. Em maio a Petrobras formulou consulta à CVM buscando confirmar seu entendimento sobre a inaplicabilidade do artigo 253 no caso da venda de ações da BR Distribuidora. O Colegiado da CVM divulgou sua decisão a favor da Petrobras. Dessa forma, a Companhia não precisa dar direito de preferência de compra aos seus acionistas quando vender as ações de emissão da BR Distribuidora de sua propriedade.

Samarco: Ibama multou a Samarco em R$ 1 milhão devido à descoberta de depósito de rejeitos inadequado em Mariana, com risco para o meio ambiente. A Samarco afirma que as autoridades tinham conhecimento deste depósito.

Leilão A-3 é cancelado por falta de demanda
Eduardo Azevedo, secretário de Planejamento e Política Energética do Ministério de Minas Energia, afirmou que o Leilão A-3 que seria realizado este ano, foi cancelado, pois a procura de energia foi tão baixa que pode ser satisfeita com o Mecanismo de Compensação de Sobras e Déficits (MSCD). Este fato atesta os efeitos da recessão sobre o consumo de energia no País.

Demanda por vôos domésticos acumula um ano de retração
A Associação Brasileira das Empresas Áreas (Abear) que representa a Gol, a Latam Brasil, a Azul e a Avianca, revisou para baixo sua projeção de demanda para o setor em 2016. Em janeiro, a Abear havia estimado queda de 7%. A revisão de estimativa reflete as dificuldades enfrentadas pelo setor. Julho foi o 12º mês consecutivo de retração (-6,49% vs julho de 2015). Já o fluxo total de passageiros teve recuo de 8,48%, na comparação anual, ao se situar em quase 8,1 milhões de viagens. Na primeira metade do ano, a demanda por vôos domésticos acumula redução de 6,63% em comparação com igual período de 2015.