Curtas Empresas

Cyrela: prévia operacional do 2T16
Os lançamentos e as vendas líquidas contratadas no segundo trimestre deste ano caíram 43,9% e 31,4%, respectivamente comparados aos valores do 2T15. Das vendas líquidas do trimestre, no valor total de R$ 558 milhões, 55% foi de produtos em estoque e 45% venda de lançamentos. O indicador de Vendas sobre Oferta (VSO) em base 12 meses recuou para 30,1% (havia sido de 32,2% no 1T16. Há um ano já havia caído para 38,1%. Em resumo, um trimestre operacionalmente pouco favorável.

Oi: convocada reunião extraordinária do Conselho de Administração
Os conselhereiros da Oi vão se reunir amanhã para apreciar o requerimento de convocação de Assembleia Extraordinária apresentado pelo acionista Societé Mondiale Fundo de Investimento em Ações. Esse acionista, titular de 6,64% do capital social da Oi, requereu a convocação de Assembleia para discutir e avaliar a situação econômico-financeira da Oi e pretende também destituir todo o atual Conselho.

Vale: produção de minério de ferro e pelotas no 2T16
Devido à sazonalidade e à melhor produtividade do Sistema Norte, a Vale alcançou uma produção 86,8 Mt de minério de ferro no 2T16, representando um aumento de 12% em relação ao 1T16. Novamente Carajás obteve recorde de produção para um segundo trimestre (36,5 Mt), devido à melhoria de eficiência. Com relação à produção do 2T15, o volume do 2T16 caiu 2,8% devido à decisão de reduzir a produção de operações com menor margem e à paralisação de fornecimento de run of mine à Samarco. Em base semestral, a produção da primeira metade do ano, de 164,4 Mt foi 1,4% abaixo da produção do 1S15. Sem Samarco, a produção de Pelotas alcançou 10,0 Mt no 2T16, ficando 12,4% e 17,9% abaixo do 1T16 e do 2T15, respectivamente. Esta performance teve origem na parada na planta de pelotização de Fábrica e nas paradas programadas para manutenção nas plantas de Tubarão. A produtividade do minério de ferro extraído, chamado de RG (Recuperação Global) alcançou o recorde de 46,1% na base trimestral deste segundo período do ano (45,4% no 2T15). O índice foi 39% em 2013, 41% em 2014 e 46% em 2015.

Com base no critério de otimização de margens, a produção do 1S16 e o plano para o restante de 2016, ajustado para sazonalidade, indicam uma produção anual no limite inferior da faixa do guidance original de 340-350 Mt para 2016.