Eletrobras esclarece notícias

A respeito da ação coletiva movida por investidores em face da Companhia nos Estados Unidos, a empresa esclareceu que, conforme já divulgado em nota explicativa às suas demonstrações financeiras relativas ao exercício encerrado em 31 de dezembro de 2016, em 27/03/2017 foi divulgado o resultado da audiência de defesa preliminar, sendo que o Tribunal acatou parcialmente os argumentos da Eletrobras e parcialmente os argumentos dos reclamantes. O processo agora passará para a fase de certificação, sem criar, neste momento, obrigação financeira para a Eletrobras. Notícia neutra.

Fibria recebe parte de parcela referente a ativos florestais no RS

Comunicou o recebimento de parte da segunda parcela referente ao Contrato de Compra e Venda entre a Fibria e a CMPC Celulose Riograndense sobre ativos florestais e terras localizadas no Rio Grande do Sul. O valor recebido foi de R$ 50 milhões, após a obtenção de certas aprovações governamentais aplicáveis e a transferência de 100% das quotas da sociedade Losango-FBR Florestal Ltda e 49% das quotas da Losango-RS Administração para a CMPC. O valor restante da segunda parcela, de R$ 152,0 milhões, será liberado para a empresa após obtenção das demais aprovações governamentais e o cumprimento de outras condições. O valor total do negócio foi de R$ 615 milhões.

Weg construirá usinas de geração de energia solar

Assinou os contratos de fornecimento na modalidade EPC (engineering, procurement and construction) para os complexos de geração de energia solar fotovoltaica Coremas I e II. Serão construídas duas usinas solares, de 31,12 MWp de capacidade de geração cada, incluindo a subestação e a linha de transmissão na cidade de Coremas, no estado da Paraíba. O projeto inclui a construção de outra usina de energia solar, a Coremas III, com previsão para ser entregue em outubro de 2018. Juntas, as três usinas somarão 93 MWp em capacidade de geração, com investimentos de até R$ 426 milhões. A Weg vai fornecer toda a engenharia, gestão de compras e construção das usinas. As usinas vão gerar 207,000 MWh ao ano, energia suficiente para abastecer mais de cem mil residências e incluir definitivamente os projetos solares brasileiros no cenário internacional. Notícia positiva.