Curtas Empresas

Kroton e Estácio divulgam informações a respeito da combinação de negócios
Os Fatos Relevantes, divulgados simultaneamente por Kroton e Estácio, apenas confirmam informações já conhecidas. A relação de troca é de 1,281, irá se pagar um dividendo extraordinário de R$ 420 milhões para os acionistas da Estácio, serão emitidas novas ações ordinárias da Kroton para efetivar a troca de ações e essas propostas estarão sujeitas a aprovação das respectivas assembléias de acionistas e das autoridades do setor e da concorrência. Por fim, entendem que a operação não enseja direito de retirada em nenhuma das duas empresas. Notícias neutras, portanto, para as ações das duas companhias.

Multiplus e Itaú possibilitam troca diferenciada de pontos
Foi alterada a relação de troca de pontos do programa Sempre Presente por pontos do programa Multiplus, possibilitando que alguns segmentos de participantes do programa Sempre Presente possam converter seus pontos de maneira mais vantajosa para eles porque 1 ponto Sempre Presente passou a equivaler a 1 ponto Multiplus. Os participantes Multiplus terão mais chances de juntar pontos Multiplus e de planejar viagens no Brasil e exterior por meio de voos LATAM, pelas companhias da Oneworld, ou demais parcerias, ou trocar por mais de 550 mil produtos e serviços oferecidos pela rede de fidelidade.

PDG: sem entendimentos sobre venda de terrenos
Encerrou ontem, sem entendimentos, o período de exclusividade que vinculava a PDG ao Banco Votorantim e a BV Empreendimentos na negociação de um conjunto de terrenos e empreendimentos imobiliários de propriedade da PDG. Também ontem a noite a PDG informou que avançou um pouco mais na efetivação de seu plano de reestruturação de dívidas. Serão emitidas novas debêntures simples em substituição às atuais Notas Promissórias Comerciais no valor de aproximadamente R$ 556 milhões. O Plano tem como objetivo readequar os vencimentos das dívidas da PDG às suas perspectivas de caixa futuro. As notícias são desfavorável por um lado e razoavelmente favorável por outro, mas insuficientes para justificar a surpreendente valorização de 25,66% da ação ON da PDG no pregão de ontem.

Vale: sobre Samarco
A BHP afirmou ontem que a Samarco não tem condição de retomar suas operações em 2016. Interpelada pela CVM, a Vale confirmou, em parte, o comentário de sua sócia. No final de junho a Samarco já havia apresentado o Estudo de Impacto Ambiental e o Relatório de Impactos Ambientais (que noticiamos aqui) à Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento de Minas Gerais, a SEMAD. Esses estudos são parte do processo de licenciamento para utilização de cavas exauridas para deposição de rejeitos. Em comunicado, a Vale informou: “Tendo em vista o estágio atual do processo e os próximos passos necessários para obtenção do licenciamento, a Samarco não pode auferir, sequer com grau razoável de precisão, um prazo de retorno das operações da empresa. Entretanto, a Samarco entende que existe uma probabilidade muito baixa de retorno das suas operações no exercício de 2016”. Há muito não contamos com o retorno das operações da Samarco em 2016.