Curtas Empresas

Telefônica Brasil: a Companhia pagará o montante líquido de IR de R$ 552,5 milhões, em JCP, equivalentes ao valor de R$ 0,30683738850/ação ON e R$ 0,33752112735/ação PN, com base no lucro apurado no balanço de 31 de agosto de 2016. O pagamento será realizado até o final do exercício social de 2017, em data a ser definida pela diretoria. Atenção acionistas: a partir do dia 3 de outubro as ações da Telefônica passarão a negociar ex-direitos ao JCP aprovados ontem.

Petrobras: no Plano Estratégico e no Plano de Negócios e Gestão aprovados ontem foram definidas duas métricas principais, uma de segurança e outra financeira. Na métrica de segurança a petroleira vai perseguir a redução de 36% da taxa de acidentados registráveis, de 2,2 em 2015 para 1,4 em 2018. Na métrica financeira o objetivo é reduzir a dívida líquida/Ebitda, de 5,3 em 2015 para 2,5 em 2018. O PNG 2017-2021 aprovou investimentos de US$ 74,1 bilhões para este período, valor reduzido em 25% comparado aos US$ 98,4 bilhões do PNG 2015-2019. A carteira de investimentos vai priorizar projetos de exploração e produção de petróleo no Brasil, com ênfase em águas profundas. Nas demais áreas de negócios, os investimentos destinam-se, basicamente, à manutenção das operações e a projetos relacionados ao escoamento da produção de petróleo e gás natural. Ao longo do dia publicaremos nossa opinião sobre os temas aprovados ontem.

Óleo e Gás Participações e OGX Petróleo e Gás vão devolver a concessão do Campo de Tubarão Azul
As empresas não encontraram uma alternativa viável para retomar as atividades no Campo de Tubarão Azul e, desta forma, transcorrido o período de um ano de suspensão da produção no Campo, a OGX solicitou a devolução da concessão junto à Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. A OGX vai iniciar o processo de desativação e abandono do referido campo em conformidade com as normas da ANP e órgãos reguladores de meio ambiente.

Distribuidoras de Energia Elétrica: problema de sobrecontratação diminuiu consideravelmente
Segundo a Associação dos Distribuidores de Energia Elétrica, a ação do Governo nos últimos meses conseguiu reduzir bastante os problemas de sobrecontratação das distribuidoras. Além de diversas ações regulatórias que vêm sendo tomadas, como as duas rodadas do Mecanismo de Compensação de Sobras e Déficits, do Decreto 5.163 e outras, mais recentemente, foi muito importante a postergação da entrega de 700 MW de Belo Monte, que entrariam no sistema em um momento particularmente desfavorável. Apesar do consumo de energia elétrica estar em patamar ainda muito baixo, tais notícias são um alento para o segmento de distribuição de energia elétrica. A maioria das empresas deste segmento teve resultados desfavoráveis durante o primeiro semestre de 2016.

Instituto Aço Brasil publica dados de produção, consumo aparente e exportação do mês de agosto
A produção brasileira de aço bruto em agosto foi de 2,8 milhões de toneladas, uma queda de 1,1% comparada à produção de agosto de 2015. Na mesma base de comparação a produção de laminados cresceu 2,3%, ao atingir 1,9 milhão de toneladas. A produção de janeiro a agosto de 2016 ficou em 20,3 milhões de toneladas de aço bruto e 14,0 milhões de toneladas de laminados, o que representa uma redução de 10,6% e de 11,0%, respectivamente, sobre o mesmo período de 2015.

O consumo aparente nacional de produtos siderúrgicos foi de 1,6 milhão de toneladas, volume 10,2% menor que o registrado em agosto de 2015. No acumulado, o consumo aparente alcançou 12,1 milhões de toneladas, sendo 20,7% inferior a agosto de 2015. As vendas domésticas atingiram 1,5 milhão de toneladas de produtos siderúrgicos em agosto de 2016, uma queda de 6% em relação a agosto de 2015. No acumulado houve queda de 12,9% frente ao mesmo período do ano anterior, totalizando 11,1 milhões de toneladas.

A exportação de produtos siderúrgicos em agosto atingiu 1,1 milhão de toneladas, e valor de US$ 556 milhões. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, houve uma queda de 11,9% em volume e uma alta de 1,5% em valor. No acumulado do ano, foram exportados 8,7 milhões de toneladas, alta de 2,7%, com faturamento de US$ 3,5 milhões, queda de 21,7%, comparados com o mesmo período de 2015.