Enquanto todos aguardam pelo final da reunião de política monetária do Fed, que ocorrerá na tarde de hoje, o Banco do Japão (BoJ) já trouxe algum ânimo para os investidores. Também em sua reunião de política monetária, o banco central japonês surpreendeu o mercado ao definir uma meta de 0% para a taxa de juros em 10 anos, com o objetivo de intensificar o combate contra a deflação. Outro fato que dá sustentação aos mercados internacionais é a alta do petróleo, impulsionado pelos dados da API, que ontem mostrou forte queda nos estoques da commodity nos EUA. Internamente não há novidades além da cena política, na qual seguem as negociações para as aprovações das medidas de ajuste fiscal. Assim o mercado local deve seguir o desempenho dos seus pares internacionais, como indica o Ibovespa futuro que, às 9h36, operava com alta de 0,60%.

Foco Gráfico

O Ibovespa-futuro abriu em alta e rompendo para cima o processo de congestionamento em forma de triângulo, mas terá que se sustentar acima da resistência (58.300 pontos) representada pelo lado superior da figura para permitir a expectativa de ingresso em nova manifestação altista na direção do objetivo situado em 59.260 pontos (comentário feito às 09:10 h e baseado no gráfico intraday de 60’).

O dólar-futuro penetrou no suporte situado em R$ 3,26/R$ 3,255 e, se perdê-lo, efetivamente indicará possibilidade de extensão da queda até o objetivo situado em R$ 3,23 (comentário feito às 09:10 h e baseado no gráfico intraday de 60’).

Assista ao vídeo da Análise Gráfica

Economia em Foco

EUA – Pedidos de Hipotecas na MBA: recuaram 7,3% na semana encerrada em 17 de setembro, ante recuo de 4,2% na semana anterior.

Agenda

Econômica

Econômica