A Bovespa deve sofrer mais uma vez com a pressão baixista do exterior, como indica o Ibovespa futuro que, às 9h33, operava em queda de 0,88%. A agenda interna não possui indicadores econômicos a serem divulgados, com investidores se focando na cena política e no exterior. A fixação da meta fiscal de 2017 deve ser decidida entre hoje e amanhã, com déficit um pouco menor do que a deste ano, mas já é estudado algum aumento de impostos. Lá fora o “Brexit” ainda é o centro das preocupações, trazendo queda para as bolsas européias e índices futuros de Nova York. Neste movimento de aversão ao risco, os investidores buscam proteção nos títulos soberanos considerados mais seguros, como os dos EUA, Alemanha e Japão, provocando queda dos juros para patamares mínimos históricos.

Foco Gráfico

O Ibovespa-futuro abriu em baixa e testou o suporte imediato de 52.105 pontos, que se for perdido indicará possibilidade de extensão da queda até 51.350 pontos. Se não perder o apoio, poderá se congestionar entre ele e a resistência situada em 52.645 pontos.

O dólar-futuro tem R$ 3,353 de objetivo imediato para este avanço, mas não deverá ultrapassá-lo sem prévio congestionamento para reduzir os elevados níveis do Indicador de Força Relativa (comentários feitos às 09:10 h e baseados nos gráficos intraday de 60’).

Economia em Foco

IPC-Fipe acelera na última semana de junho
A Fipe divulgou o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da última semana de junho no município de São Paulo, que registrou alta de 0,65%, contra 0,42% na quadrissemana anterior. Dos sete grupos pesquisados, quatro assinalaram aceleração: Habitação (de 0,68% de 0,80%), Alimentação (de 0,33% para 1,17%), Transporte (de -0,13% para 0,09%) e Educação (de 0,12% para 0,16%). As desacelerações ocorreram nos grupos Despesas Pessoais (de 0,55% para 0,34%), Saúde (de 0,65% para 0,42%) e Vestuário (de 0,46% para 0,32%). Alimentação continua sendo o principal item a impactar os índices de preço. O índice da Fipe de junho foi a 0,65%, com maior impacto dos alimentos in natura, em decorrência de fatores climáticos, como o frio das últimas semanas. Para as próximas apurações, é possível que este índice se mantenha neste patamar ou recue um pouco, dependendo deste foco de pressão.

Agendas

Corporativa – 06/07/2016

Econômica – 06/07/2016