Já são dez pregões positivos consecutivos, com o Ibovespa acumulando alta de 9,4% no período. O Ibovespa futuro indica cautela e, após operar ligeiramente positivo nos primeiros minutos de negócios, passou a cair marginalmente (-0,06%, às 9h35), testando o otimismo recente dos investidores com o cenário interno. A agenda de hoje traz somente a primeira reunião do Copom sob o comando de Ilan Goldfajn, na qual se espera pela manutenção dos juros (mais informações no item Economia em Foco). As bolsas europeias operam em alta, com exceção de Londres, que passou a cair ligeiramente na última hora. Já os futuros do Dow Jones e S&P 500 sobem ao redor de 0,3%.

Foco Gráfico

O Ibovespa-futuro abriu em alta, tentando se sustentar acima da resistência representada pelo topo formado em 57.340 pontos e, se o conseguir, aumentará as chances de manutenção da atual trajetória altista, na direção dos objetivos situados em 58.000 e 58.400 pontos.

O dólar-futuro testa o suporte imediato de R$ 3,26 e, se perdê-lo, indicará maiores possibilidades de extensão da queda até o objetivo representado pelo fundo formado em R$ 3,233 (comentários feitos às 09:10 h e baseados nos gráficos intraday de 60’).

Economia em Foco

Decisão do Copom
Hoje é dia de decisão do Copom, a primeira reunião de Ilan Goldfajn, sendo consenso a manutenção da taxa em 14,25%. As expectativas se voltam então ao que será dito no comunicado e, depois, na ata, divulgada, a partir de agora, na terça-feira seguinte. Será importante também saber como devem se comportar os novos diretores, considerados mais austeros (ou duros) do que os anteriores.

Na decisão de hoje devem pesar as dificuldades políticas em avançar no ajuste fiscal e a ambição de se chegar ao centro da meta em 2017 (4,5%). A inflação está em queda, pela demanda retraída, mas é importante atenção sempre a fatores pontuais, como os choques agrícolas. Ao fim deste ano, estamos prevendo a taxa Selic a 13,50% e o IPCA a 7%. A Focus projeta 13,25% e 7,26%, respectivamente.

EUA: Pedidos de Hipotecas na MBA na semana até 16/julho
A Associação de Bancos Hipotecários (MBA, na sigla em inglês) informou que os pedidos de empréstimos imobiliários recuaram 1,3% na semana encerrada em 16 de julho, ante elevação de 7,2% na semana anterior. A pesquisa semanal de pedidos de hipoteca da MBA mede a variação no número de novos pedidos hipotecários durante uma determinada semana, dando informações sobre os compradores no mercado imobiliário dos EUA, sinalizando, em conjunto com outros indicadores desse mercado, o cenário de piora ou melhora da atividade no setor.

Agenda

Econômica