A série de indicadores econômicos dos EUA divulgados nesta manhã atrai as atenções dos investidores, que irão analisar estes dados em busca de indicações de como o Fed reagirá na próxima semana, em sua reunião de política monetária. Na Europa tivemos a decisão do BoE, banco central inglês, que optou por manter a taxa de juros e o volume de seu programa de compra de bônus, mas sinalizou que poderá voltar a reduzir os juros caso a economia do Reino Unido volte a enfraquecer. Os principais índices europeus sobem na margem e os contratos futuros do Dow Jones e S&P 500 têm alta ao redor de 0,5%. Por aqui o Ibovespa futuro operava, às 9h38 com alta de 0,56%.

Foco Gráfico


O Ibovespa-futuro abriu em ligeira alta, mas terá que ultrapassar a resistência de 58.150 pontos para anular a possibilidade de estar desenvolvendo uma configuração do tipo Bandeira de Baixa. Caso perca o suporte de 57.380 pontos, a figura estará confirmada e indicará maiores chances de manutenção da anterior trajetória baixista (comentário feito às 09:12 h e baseado no gráfico intraday de 60’).

O dólar-futuro abriu em queda e rompendo a base do afunilamento (Triângulo Diagonal|), mas poderá anular uma queda de maior intensidade se conseguir ultrapassar a resistência de R$ 3,363 (comentário feito às 09:12 h e baseado no gráfico intraday de 60’).

Assista ao vídeo da Análise Gráfica

Economia em Foco

IGP-10 acelera em setembro
O IGP-10, segundo a FGV, variou 0,36% em setembro, ante -0,27% no mês anterior. No ano, o índice acumula 6,55% e 11,23% em doze meses. O IPA-10 registrou alta de 0,39%, ante -0,57% em agosto, com acelerações em Produtos Agropecuários (de -1,66% para 0,21%) e Matérias-Primas Brutas (de -1,31% para 1,65%). Contribuíram para essa aceleração dos grupos os itens: soja em grão (de -9,56% para -2,43%), minério de ferro (de -1,61% para 8,89%) e mandioca (de 0,88% para 13,18%). O IPC-10 registrou 0,27% em agosto, ante 0,38% no mês anterior, com cinco das oito classes desacelerando, destacando-se o grupo Transportes (de 0,42% para -0,04%), com o item gasolina passando de 0,59% para -1,15%. O INCC-10 assinalou 0,34%, ante 0,23% em agosto. O IGP-10 veio mais elevado em setembro, impactado no atacado pela alta de algumas culturas agrícolas, causada pela quebra de safra. Para as próximas apurações, atenção deve ser dada a entressafra da carne e o aumento no custo de alguns insumos, influenciando na ração. Por outro lado, com o varejo ainda fraco, os preços ao consumidor tendem a se manter em baixa. Atenção, neste caso, para o inicio das negociações entre varejistas e fornecedores com as encomendas das vendas de Natal. Isto poder ser um fator de pressão nos preços.

EUA: pedidos de seguro-desemprego foram 260 mil na semana encerrada em 10 de setembro, ante 259 mil na semana anterior e expectativa de 263 mil. O total de pessoas atendidas pelo auxílio foi de 2,143 milhões na semana encerrada em 03 de setembro, ante 2,142 milhões na semana anterior (revisado de 2,144 milhões).

EUA – vendas no varejo: De acordo com o Departamento de Comércio norte-americano as vendas no varejo recuaram 0,3% em agosto, aquém da expectativa média do mercado (-0,1%) e do aferido no mês anterior (+0,1%, revisado da estabilidade). Excluindo o setor automotivo, as vendas recuaram 0,1% em agosto, ante expectativa de mercado de +0,3% e o aferido em julho (-0,4%, revisado de -0,3%).

EUA – Índice de Preços ao Produtor (PPI): O Departamento do Trabalho norte-americano informou que o Índice de Preços ao Produtor (PPI) ficou estável em agosto, abaixo da expectativa média do mercado (+0,1%) e acima do aferido no mês anterior (-0,4%). O núcleo do PPI, que exclui alimentos e energia por serem muito voláteis, avançou 0,1% em agosto, em linha com a expectativa de mercado e acima do mês anterior (-0,3%).

EUA – Índice de produção de Nova York: O indicador Empire State Manufacturing, que mede o desempenho do setor manufatureiro na região de Nova York, passou de -4,2 pontos em agosto para -2,0 pontos em setembro. A estimativa média do mercado apontava para estabilidade

EUA – Índice de atividade na Filadélfia: O índice de atividade da Filadélfia, realizado pelo Federal Reserve local, atingiu 12,8 pontos em setembro, contra 2,0 pontos em agosto. A expectativa de mercado apontava para estabilidade.

Agenda

Econômica

Econômica