O Ibovespa futuro acompanha os mercados internacionais e, às 9h35, operava com queda de 0,56%. Novos comentários de dirigentes regionais do Fed alimentaram a expectativa de que o momento para uma nova elevação dos juros dos EUA está se aproximando. A instabilidade do petróleo nesta manhã também é mais um fator de pressão baixista para os mercados acionários. Na Europa, a Bolsa de Londres tem menor desvalorização devido a indicadores econômicos positivos do Reino Unido. Internamente não há novidades no campo político, com os investidores acompanhando a reunião de Michel Temer com os ministros da área econômica.

Foco Gráfico

O Ibovespa-futuro abriu em baixa e se perder o apoio representado pelo fundo imediato de 59.890 pontos poderá testar a reta de sustentação, em mais ou menos 59.500 pontos (comentário feito às 09:08 h e baseado no gráfico intraday de 30’).

O dólar-futuro tenta manter os avanços e confirmar o rompimento da reta de resistência de baixa, com possibilidade de atingir R$ 3,265/R$ 3,27 (comentário feito às 09:08 h e baseado no gráfico intraday de 60’).

Assista ao vídeo da Análise Gráfica

Economia em Foco

IGP-M registra 0,09% na segunda prévia de agosto
A FGV divulgou o IGP-M do segundo decêndio de agosto, com variação de 0,09%, ante 0,32% em igual período de julho. No ano, o índice geral assinala alta de 6,19% e 11,43% em doze meses. Na base do IGP-M, destaque para IPA-M, com -0,01%, vindo de inflação de 0,15% no mês anterior, com deflação em Bens Intermediários (de 0,43% para -0,30%) e Produtos Agropecuários (de 0,21% para -0,06%). O varejo (IPC-M) passou de 0,29% para 0,35% e o INCC-M assinalou 0,19% em agosto, contra 1,46% em julho. Os IGPs de agosto ainda mantém expectativa de significativa desaceleração, motivado pela deflação no atacado, podendo, em breve, ter reflexos no preço do varejo.

Agenda

Corporativa

Econômica