A possibilidade de Michel Temer vetar o projeto de alívio de dívidas estaduais ganha a atenção dos investidores nesta quarta-feira. Fora isto o noticiário segue fraco, com a agenda interna de indicadores econômicos vazia. Assim o penúltimo pregão do ano deve manter o baixo giro financeiro, com agentes evitando maiores exposições. O exterior pode trazer algum impulso, com o petróleo em leve alta, além do minério de ferro, que subiu 1,1% no mercado à vista da China. A alta destas commodities, aliás, beneficia a Bolsa de Londres, que funciona pela primeira vez na semana após o feriado do Natal. As demais bolsas europeias operam de lado, com alguma preocupação com o resgate do banco italiano Monte dei Paschi. Já os futuros do S&P 500 e Dow Jones operavam em alta, seguindo o fechamento positivo de ontem, quando foram impulsionados pelo índice de confiança do consumidor no maior nível desde 2001. Às 9h38 os contratos de Ibovespa futuro mostravam alta de 0,23%.

Foco Gráfico

O Ibovespa-futuro abriu em alta, mas precisa ultrapassar a resistência representada pelo topo formado em 60.095 pontos para permitir a expectativa de manutenção da atual trajetória altista. O suporte mais próximo está situado em 59.300 pontos e terá que ser perdido para indicar chance de uma queda de maior intensidade (comentário feito às 09:10 h e baseado no gráfico intraday de 30’).

O dólar-futuro terá que ultrapassar a resistência imediata de R$ 3,287, para indicar um repique até o topo formado em R$ 3,292. O suporte está agora representado pelo fundo formado em R$ 3,264 e se for perdido aumentará as possibilidades de continuação da trajetória baixista (comentário feito às 09:14 h e baseado no gráfico intraday de 30’

Assista ao vídeo da Análise Gráfica

Economia em Foco

Temer deve vetar pacote de renegociação dos Estados

Tudo leva a crer que o presidente Michel Temer deve vetar o projeto de socorro aos Estados em situação mais crítica. Caso isso ocorra um novo projeto deve ser enviado ao Congresso em breve. A justificar isso, a decisão da Câmara de derrubar praticamente todas as contrapartidas que os Estados em situação financeira calamitosa teriam que cumprir para aderir ao regime de recuperação fiscal. Nesta quarta-feira Temer deve se reunir com o Ministro da Fazenda Henrique Meirelles para fazer um balanço sobre as medidas econômicas anunciadas pelo governo e avaliar possíveis novas ações. É o presidente tentando gerar uma agenda positiva e esvaziar uma crise política que começa a se aproximar perigosamente. O TSE segue acelerando suas investigações sobre a chapa Dilma Temer.

Agenda

Corporativa

Econômica