Chegamos à última sessão do ano na Bovespa com seu principal índice acumulando valorização de 37,91% e aproximando-se novamente dos 60 mil pontos. A semana apresenta volume crescente, mas sempre bem abaixo da média dos pregões normais. Já a agenda de indicadores de hoje traz algumas novidades para os investidores avaliarem, como o IGP-M de dezembro e a Pnad de novembro, mas estes não devem impulsionar os negócios. Assim o Ibovespa futuro (+0,07%, às 09h40) aponta para uma abertura próxima da estabilidade no mercado à vista. Vale destacar também a última prévia da carteira teórica do Ibovespa, que vigorará pelo próximo quadrimestre, confirmando a inclusão das ações ON da Eletrobrás, sem exclusões, além dos papeis PN do Bradesco assumirem o segundo maior peso na composição.

Foco Gráfico

O Ibovespa-futuro mostra situação neutra, podendo atingir 61.150/61.500 pontos se ultrapassar a resistência imediata de 60.890 pontos ou cair até a antiga resistência de 60.095 pontos, em caso de perda do suporte de 60.555 pontos (comentário feito às 09:10 h e baseado no gráfico intraday de 30’).

O dólar-futuro penetrou no suporte representado pelo fundo formado em R$ 3,264, mas a velocidade da queda inicial poderá dar chance para um congestionamento ou tentativa de recuperação, mesmo que apenas breve pausa antes da continuação da trajetória baixista até R$ 3,25/3,23 (comentário feito às 09:10 h e baseado no gráfico intraday de 30’).

Assista ao vídeo da Análise Gráfica

Economia em Foco

IGP-M registra 0,54% em dezembro
Segundo a FGV, o IGP-M variou 0,54% em dezembro, ante -0,03% em novembro, acumulando inflação de 7,17% em 2016, abaixo dos 10,54% de 2015. No mês, o IPA-M variou 0,69%, ante deflação de 0,16%, com destaque para Bens Intermediários (de -0,43% para 0,53%) e Matérias-Primas Brutas (de 0,90% para 1,96%), motivado por minério de ferro (de 9,04% para 17,53%), soja em grão (de -2,42% para 0,38%) e leite in natura (de -8,78% para -6,34%). O IPC-M foi de 0,20%, ante 0,26%, com 4 das 8 classes desacelerando, com destaque para o grupo Habitação (de 0,26% para -0,62%), com o item tarifa de eletricidade residencial, cuja taxa passou de 0,81% para -5,42%. O INCC-M registrou 0,36% em dezembro, ante 0,17% no mês anterior.

Taxa de desocupação foi a 11,9% em novembro
Continua dramática a situação do mercado de trabalho no País. No trimestre terminado em novembro, pela PNAD Contínua do IBGE, a taxa de desocupação foi a 11,9%. Contra o trimestre de jun-jul-ago/2016 (11,8%), cresceu 0,1 p.p. e contra igual período de 2015 (9,0%), 2,9 p.p.. A população desocupada (12,1 milhões) permaneceu estável contra o trimestre anterior, mas avançou 2,9 pontos percentuais contra o mesmo do ano anterior. A população ocupada (90,2 milhões) também se manteve estável contra o trimestre anterior e recuou 2,1% contra o mesmo do ano anterior. O número de empregados com carteira assinada (34,1 milhões) ficou estável sobre o trimestre anterior e caiu 3,7% contra o mesmo período de 2015. Estes dados mostram que o desemprego ainda deve se manter elevado neste início de 2017, podendo chegar a mais de 12% da PEA em meados do ano. Uma recuperação, apenas ao fim do ano citado.

Agenda

Corporativa

Econômica

Investimentos Ltda. para uso exclusivo do destinatário, não podendo ser reproduzido ou distribuído por este para qualquer pessoa sem expressa autorização da Lopes Filho. Este Relatório de Análise é distribuído somente com o objetivo de prover informações e não representa, em nenhuma hipótese, uma oferta de compra e venda ou solicitação de compra e venda de qualquer valor mobiliário ou instrumento financeiro. As informações contidas neste Relatório de Análise são consideradas confiáveis na data de sua publicação. Entretanto, a Lopes Filho não pode garantir a exatidão e a qualidade das mesmas. As opiniões contidas neste Relatório de Análise são baseadas em julgamentos e estimativas, estando, portanto, sujeitas a mudanças.

Sem prejuízo do disposto acima e em conformidade com as disposições da Instrução CVM nº 483/10, o(s) analista(s) de valores mobiliários responsável(eis) pela elaboração deste Relatório de Análise declara(m) que:

(I) é (são) certificado(s) e credenciado(s) pela APIMEC.
(II) as análises e recomendações refletem única e exclusivamente suas opiniões pessoais, às quais foram realizadas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Lopes Filho.
(III) sua(s) remuneração(ões) é (são) fixa(s).

Informações adicionais sobre quaisquer emissores objeto dos Relatórios de Análise podem ser obtidas diretamente, por telefone, com o(s) analista(s) responsável(eis). Os Relatórios de Análise podem ser consultados no website http://www.lopesfilho.com.br, cujo acesso é restrito aos assinantes e usuários do serviço de Assessoria em Mercado de Capitais da Lopes Filho. Informações sobre emissores que não são objeto dos Relatórios de Análise podem ser obtidas através de solicitação ao Departamento Comercial.

As informações, opiniões, estimativas e projeções contidas neste documento referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças, não implicando necessariamente na obrigação de qualquer comunicação no sentido de atualização ou revisão com respeito a tal mudança.